PUBLICIDADE

Novo tratamento de imunoterapia tem bons resultados contra o câncer de mama

Imunoterapia pode ajudar no tratamento de pacientes em estágio inicial de câncer de mama

Em 9/1/2017
Redação
Escrito por Redação
Redação Minha Vida

O câncer é uma das doenças mais temidas atualmente, devido a sua complexidade. O tratamento contra os tumores, mesmo sendo eficiente em grande parte das vezes, vem acompanhado de efeitos colaterais. Por isso, os cientistas vêm aprofundando as investigações sobre o estímulo ao sistema imunológico para combater o câncer.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Pesquisadores do hospital Moffitt Cancer Center, nos Estados Unidos, estão trabalhando em uma vacina que estimula o sistema imunológico a atacar a proteína HER2, gene que se expressa entre 25% e 30% dos cânceres de mama, nas células afetadas pelo câncer.

O tratamento ajudaria o sistema imunológico a reconhecer a proteína HER2 em células de câncer de mama. Sua abordagem envolve a criação da vacina de células imunes, chamadas células dendríticas que são colhidas de cada paciente individual e, em seguida, usado para criar uma vacina personalizada para cada paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os pesquisadores realizaram ensaios clínicos em 54 mulheres com câncer de mama em fase inicial que expressam HER2, para determinar a eficácia do tratamento. Para preparar a vacina, foram separadas as células imunológicas dendríticas do sangue de cada uma das mulheres, sendo injetada nas pacientes uma vez por semana durante seis semanas em um gânglio linfático, no tumor ou nos dois lugares.

Os resultados mostraram que o tratamento foi capaz de estimular uma resposta imune na maioria dos pacientes. Aproximadamente 80% das pacientes avaliadas teve uma resposta imunológica positiva e a vacina foi considerada bem tolerada e com toxicidade baixa. No entanto, houveram eventos adversos como fadiga, reações no local da injeção e calafrios.

Em 13 pacientes, a imunoterapia através da vacina teve uma resposta completa, ou seja, o câncer não foi mais identificado em amostras retiradas por procedimentos cirúrgicos. Além disso, a maior eficácia foi em mulheres com carcinoma ductal, um dos tipos mais comuns de câncer.

O objetivo do estudo é ajudar pacientes com câncer de mama em estágio inicial reestimulando o sistema imunológico para reconhecer e direcionar a proteína HER2 ainda durante o desenvolvimento do câncer.

Além disso, ainda não se sabe se a imunoterapia seria usada para curar o câncer definitivamente ou apenas tratá-lo. Os medicamentos são recentes, os pacientes que usam ainda precisam ser observados, para que futuramente possam descobrir se os tumores retornam ou não.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)