PUBLICIDADE

Três casos de leishmaniose humana são confirmados em Porto Alegre

Duas pessoas morreram e uma está internada em estado grave

Em 16/5/2017
Redação
Escrito por Redação
Redação Minha Vida

A Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre (RS) informou que foram registrados três casos de leishmaniose visceral humana na região. Uma menina de um ano e sete meses e um homem de 40 anos faleceram em setembro de 2016 por causa da doença. A terceira pessoa é uma idosa de 81 anos, que também mora no mesmo bairro das primeiras duas pessoas infectadas. Ela está internada em estado grave.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Foi emitido um alerta sobre a doença pela Vigilância Sanitária. Existe a orientação para os profissionais de saúde sobre pacientes com febre há mais de sete dias, com aumento do baço e fígado, palidez e perda de peso. Os bairros Jardim Carvalho e Morro Santana são as áreas consideradas endêmicas e foram encontrados lá cães infectados.

O que é leishmaniose?

Essa é uma doença infecciosa, porém, não contagiosa, causada por parasitas do gênero Leishmania. Os parasitas vivem e se multiplicam no interior das células que fazem parte do sistema de defesa do indivíduo, chamadas macrófagos. Há dois tipos de leishmaniose: leishmaniose tegumentar ou cutânea e a leishmaniose visceral ou calazar.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A leishmaniose tegumentar caracteriza-se por feridas na pele que se localizam com maior frequência nas partes descobertas do corpo. Tardiamente, podem surgir feridas nas mucosas do nariz, da boca e da garganta. Essa forma de leishmaniose é conhecida como "ferida brava".

Já a leishmaniose visceral é uma doença sistêmica, pois, acomete vários órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea. Esse tipo de leishmaniose acomete essencialmente crianças de até dez anos; após esta idade se torna menos frequente. É uma doença de evolução longa, podendo durar alguns meses ou até ultrapassar o período de um ano.