PUBLICIDADE

Componente encontrado no azeite pode ajudar a prevenir câncer no cérebro, aponta estudo

Substância ajuda na produção de molécula capaz de impedir a formação de tumores

Pesquisadores da Universidade de Edimburgo descobriram que o ácido oleico, um componente encontrado no azeite, ajuda a prevenir os genes causadores do câncer de cérebro. Confira aqui o estudo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

De acordo com os especialistas, a substância estimula a produção de uma molécula celular cuja função é prevenir a formação de proteínas causadoras de câncer.

Para a realização do estudo, os pesquisadores analisaram uma molécula celular, conhecida como miR-7, responsável por impedir a formação de tumores. Eles descobriram que a presença do ácido oleico ajuda na produção dessa molécula. Os testes foram feitos em extratos de células humanas e em células vivas no laboratório.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo o pesquisador responsável por liderar o estudo Gracjan Michlewski, da Faculdade de Ciências Biológicas da Universidade de Edimburgo, ainda é cedo para dizer que o ácido oleico é capaz de prevenir a formação de tumores cerebrais. Suas descobertas, no entanto, apontam para possíveis terapias baseadas no óleo para evitar que o câncer cerebral ocorra.

Dieta para proteger o cérebro

Não é de hoje que as escolhas alimentares que fazemos podem influenciar na saúde do cérebro. Uma forma de alimentação que ajuda a preservar as células cerebrais é a dieta mediterrânea.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Nas décadas de 1950 a 1960 um pesquisador norte-americano chamado Ancel Keys estudou os hábitos alimentares de diversos países e percebeu como as pessoas da região mediterrânea tinham menor incidência de doenças cardiovasculares, apesar de consumirem uma dieta rica em gordura. Assim ele conceituou a dieta mediterrânea que conhecemos até hoje.

A dieta mediterrânea é um plano alimentar baseado nos hábitos dos países banhados pelo Mar Mediterrâneo (principalmente o sul da Itália, Grécia e sul da Espanha). Os pratos da dieta mediterrânea são ricos em frutas frescas, vegetais, peixe, grãos integrais, leguminosas, gorduras monoinsaturadas e quantidades moderadas de álcool. Também há uma baixa quantidade de carne vermelha, gorduras saturadas e grãos refinados.

Gorduras monoinsaturadas

São líquidas em temperatura ambiente, mas iniciam a solidificação quando levadas à geladeira. Um bom exemplo de gordura monoinsaturada são os molhos à base de azeite, opacos na geladeira e transparentes em temperatura ambiente. Além de fornecer energia ao corpo, esse tipo de gordura conta com mais uma vantagem: ajuda a diminuir o LDL, conhecido como colesterol ruim.

Para aproveitar os benefícios das gorduras monoinsaturadas, recorra ao óleo de canola e de soja, azeite de oliva, abacate, castanhas e amêndoas. Mas não exagere na dose. Se comparados a outros tipos de gordura, eles realmente não causam tantos malefícios ao coração. Mas, em contrapartida, são bastante calóricos, por isso, é preciso consumi-los sob orientação de um nutricionista.