José perguntou:

Tenho gordura no figado, colesterol 266 e triglicerídeos 397. O que devo fazer?

  • Respondido em 07/09/2014
    Dr. Waldir Gabriel Miranda Relvas Cardiologia e Acupuntura - CRM 100134/SP - Profissional do Hospital TotalCor
    Olá,

    Prefiro responder seu questionamento falando acerca do que é considerado normal. Níveis séricos (sanguíneos) de HDL-c normais são aqueles que se encontram na faixa de 40 a 60 mg/dl. Valores acima de 60 mg/dl são inclusive, considerados protetores, porém, HDL-c muito elevado pode ser considerado doença do metabolismo de gorduras e deve ser acompanhado. No caso do LDL-c, de acordo com a última diretriz brasileira de aterosclerose, os valores normais variam de acordo com a categoria de risco do paciente em questão. Se este não tiver fatores de risco para doença arterial coronariana (infarto, por exemplo), tolera-se níveis de LDL-c até 160 mg/dl. Níveis superiores a 190 mg/dl são considerados preocupantes, pois podem sugerir traço genético e normalmente, são tratados de forma mais agressiva. A medida que o risco escalona, porém, os valores toleráveis caem até 70 mg/dl, como por exemplo, em pacientes que já sofreram um infarto prévio ou portam diabetes. No consenso mais recente da sociedade americana de Cardiologia, decidiu-se por deixar as metas de LDL-c de lado, considerando que quanto menor o valor do colesterol, melhor para o paciente, já que valores muito baixos não implicam em efeitos colaterais. O valor isolado de colesterol total fala muito pouco acerca de doença, já que este é a soma dos valores de todas as frações do colesterol. Triglicérides acima de 150 mg/dl já são considerados elevados, porém, respondem muito bem a mudanças em seu estilo de vida. Em seu caso específico, como há a presença de esteatose hepática (gordura no fígado), oriento procurar um cardiologista para lhe avaliar de forma mais amiúde. Em linhas gerais, sugiro bom senso na alimentação, reduzindo alimentos ricos em gorduras e atividade física regular caso você não possua quaisquer restrições a esta. É Sempre salutar que independentemente de qualquer orientação, você procure, porém, seu cardiologista de escolha, que poderá particularizar qual a forma mais efetiva de chegar a valores normais para seu caso.