Agitação: tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Agitação?

Sinônimos: inquietação

Agitação significa atividade desordenada. Em termos médicos, entende-se este problema como alterações de comportamento (um misto de nervosismo com excitação) que tornam a pessoa inquieta, com picos de tensão e irritabilidade.

PUBLICIDADE

Causas

A agitação, geralmente, não é um sintoma isolado. As crises de agitação podem vir acompanhadas de outros sintomas, a exemplo de febre, dores e estresse. Diversas condições podem estar envolvidas nas causas. Veja algumas:

Distúrbios cerebrais e mentais

Outros fatores

  • Alcoolismo
  • Síndrome da abstinência alcóolica
  • Consumo excessivo de cafeína
  • Uso excessivo de drogas, como cocaína, maconha, alucinógenos, ópio, entre outras. A suspensão no uso dessas mesmas drogas também pode levar a sintomas de agitação, principalmente quando a pessoa as usava excessivamente
  • Hospitalização
  • Hipertireoidismo
  • Infecções (mais frequentes em idosos)
  • Suspensão do uso de nicotina (principalmente em fumantes)
  • Uso de teofilina e outros medicamentos
  • Deficiência de Vitamina B6

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar agitação são:

  • Clínico geral
  • Neurologista
  • Geriatra
  • Endocrinologista
  • Psiquiatra
  • Psicólogo
  • Infectologista
  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando as crises de agitação começaram?
  • Com que frequência elas ocorrem?
  • Elas vem acompanhadas de outros sintomas? Quais?
  • Quanto tempo as crises costumam durar?
  • Há quanto tempo você vem tendo essas crises?
  • Você foi diagnosticado recentemente com outra condição de saúde? Qual?
  • Você faz uso de algum tipo de medicamento? Qual?
  • Você fuma ou parou de fumar recentemente? Há quanto tempo?
  • Você parou de fumar por conta próprio ou utiliza outros métodos para ajudar a lidar com a ausência de nicotina?
  • Você ingere ou ingeria bebidas alcóolicas? Com que frequência? Em quais quantidades?
  • Você faz ou fazia uso de drogas? Quais?
  • Você parou de beber ou de fazer uso de drogas? Há quanto tempo?
  • Você tem crises de delírio?
  • Você foi hospitalizado recentemente?
  • Você já foi diagnosticado com alguma doença cerebral ou mental? Qual?
  • Você tem irritabilidade, ansiedade ou nervosismo?
  • Você se sente tenso com muita frequência?
  • Qual a quantidade de café que você consome todos os dias?
PUBLICIDADE

Tratamento e Cuidados

Cuidados

A forma mais eficiente de se tratar agitação é encontrar e tratar a causa subjacente. A agitação, se não for devidamente tratada, pode levar a complicações de saúde mais graves, como até mesmo tentativa de suicídio.

Enquanto isso, procure tornar o ambiente o mais agradável e calmo possível, com iluminação adequada e, talvez, um leve som ambiente. Procure dormir bastante também e, se necessário, faça uso de medicamentos para tratar outros sintomas que possam surgir. Converse com um médico antes de utilizar qualquer tipo de remédio.

Depois que encontrada a causa, é imprescindível que o tratamento seja levado à risca e sem interrupções.

PUBLICIDADE

Medicamentos para Agitação

A agitação pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico. Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Os medicamentos mais comuns no tratamento da agitação são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde