Alcalose: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Alcalose?

Alcalose é o estado em que os fluídos do corpo ficam muito alcalinos, ou seja, com pH superior a 7,45. Ocorre principalmente quando há excesso de bases (compostos alcalinos) no sangue. É um estado contrário à acidose, em que os fluidos corporais se tornam mais ácidos. Estar com alcalose ou acidose reflete no equilíbrio do pH do corpo, o que pode causar desequilíbrios no corpo.

Tipos

Existem alguns tipos de alcaloses, de acordo com a causa do problema. São elas:

  • Alcalose metabólica
  • Alcalose respiratória
  • Alcalose hipoclorêmica
  • Alcalose hipocalêmica
  • Alcalose compensada.

Causas

Cada tipo de alcalose tem uma causa específica:

  • Alcalose metabólica é causada pela prevalência de bicarbonato (uma base) no sangue, que pode ser resultado tanto pelo aumento dessa substância, quanto pela perda das substâncias ácidas
  • Alcalose respiratória é ocasionada pelo nível baixo de dióxido de carbono (CO2) no sangue, que pode ser causado por hiperventilação (em geral decorrente de alguma dor ou de ansiedade)
  • Alcalose hipoclorêmica é resultado pela perda de compostos químicos chamados cloretos, o que pode acontecer durante crises de vômitos, por exemplo
  • Alcalose hipocalêmica é a reação dos rins quando o corpo apresenta baixa de potássio
  • Alcalose compensada, é quando os níveis de compostos ácidos e básicos estão altos ao mesmo tempo.

Além disso, a alcalose muitas vezes pode ser causada por algum problema nos rins, que elimina a mais ou a menos as substâncias ácidas e básicas.

Sintomas

Sintomas de Alcalose

Entre os sintomas gerais da alcalose, encontramos:

  • Náuseas
  • Sensação de torpor
  • Espasmos musculares prolongados
  • Tremor nas mãos
  • Contração muscular.

Caso evolua para algo mais grave, ela apresentará sintomas como:

  • Tonturas
  • Dificuldade para respirar
  • Confusão
  • Estupor.

Cada tipo de alcalose apresenta sintomas específicos. A alcalose metabólica, por exemplo, apresenta sinais apenas quando evolui para algo mais grave, levando a hipocalemia e com isso:

Entre os sintomas da alcalose respiratória encontramos:

  • Delírio
  • Confusão
  • Parestesias periféricas
  • Cólicas
  • Sincope.

A alcalose respiratória crônica pode não apresentar sintomas.

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar uma alcalose são:

  • Clínico geral
  • Pneumologista
  • Endocrinologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar.

Diagnóstico de Alcalose

A alcalose é uma doença difícil de ser diagnosticada, pois seus sintomas podem ser confundidos com outros problemas de saúde. Em geral, ela só é percebida quando o médico pede exames como:

  • Gasometria arterial
  • Dosagem de eletrólitos séricos
  • pH da urina
  • Urina tipo I.

Dependendo dos resultados, o médico pode pedir novos exames para tentar encontrar a causa do problema.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Alcalose

O tratamento da alcalose varia conforme a causa do problema. A alcalose respiratória, por exemplo, em geral é tratada com a redução da velocidade da respiração. Isso pode ser melhorado, por exemplo, com o alívio de alguma dor causadora do problema. Quando a causa da hiperventilação é a ansiedade, respirar dentro de um saco de papel pode aumentar o dióxido de carbono no sangue e auxiliar no quadro. Mas isso não é recomendado a todos os pacientes.

Já a alcalose metabólica tem em seu tratamento a reposição de água e dos eletrólitos do sódio e potássio, além do tratamento específico da causa deste desequilíbrio. Quando o quadro é muito grave, pode ser administrado por via venosa ácido diluído.

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

Entre as complicações da alcalose não tratada podem surgir arritmias, coma ou o desequílibrio eletrolítico, causando a hipocalemia, por exemplo.

Prevenção

Prevenção

É possível reduzir o risco de desenvolver um quadro de alcalose mantendo bons hábitos de saúde, como comer de forma saudável: quanto mais nutrientes tiver em seu prato, menos a chance de ocorrer um desequilíbrio entre os ácidos e bases do seu corpo. Por isso mesmo, prefira ter em sua dieta muitas frutas e vegetais, que são ricos em vitaminas e minerais. Alimentos ricos em potássio, como bananas, cenouras, feijões e espinafre são boas pedidas para auxiliar no equilíbrio do pH do sangue.

Prevenir a desidratação também é importante. O ideal é que um adulto consuma entre 35 a 40 ml de água por quilo. Para quem é atleta ou faz exercícios de intensidade moderada ou alta por mais de uma hora por dia, também precisa repor seus eletrólitos com bebidas isotônicas, como o soro caseiro, água de coco ou bebidas isotônicas industrializadas.

Quando a alcalose é causada por alguma condição nos rins, ela não é prevenível.

Fontes e referências

  • Manual Merck