Alotriofagia: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Alotriofagia?

Alotriofagia, também chamada de Pica ou picanismo, é nome que representa a ingestão de substâncias que não apresentam nenhum valor nutritivo e o portador continua ingerindo de forma persistente e desassociada a qualquer prática cultural. Na alotriofagia é comum observar o consumo de terra, barro, cabelo, alimentos crus, cinzas de cigarro e fezes de animais. Mas também podem ser itens inofensivos, como comer gelo.

É um transtorno mais comum na infância, em crianças com entre um e seis anos.

Causas

A alotriofagia pode ter diversas causas. Veja algumas:

  • Deficiências nutricionais como ferro (anemia) e zinco
  • Presença de distúrbio mental, como esquizofrenia, transtorno obsessivo compulsivo (TOC) ou depressão
  • alotriofagia na gravidez em geral é atribuída à anemia.

Fatores de risco

Alotriofagia é mais comum em crianças de um a seis anos. Grávidas também podem apresentar alotriofagia, devido à anemia.

Sintomas

Sintomas de Alotriofagia

O único sintoma da alotriofagia é o consumo de itens não nutritivos. Os mais comuns são

  • Terra
  • Barro
  • Cabelo
  • Alimentos crus
  • Cinzas de cigarro
  • Fezes de animais
  • Tinta
  • Cola
  • Sabão
  • Gelo.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

É importante buscar ajuda médica se perceber que uma criança, gestante ou adulto está ingerindo itens não nutritivos, como terra, barro, cabelo, alimentos crus, cinzas de cigarro, entre outros... Além disso, caso você reconheça que tem alotriofagia, procurar um psiquiatra é o primeiro passo para se curar.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar uma alotriofagia são:

  • Clínico geral
  • Psiquiatra
  • Nutrólogo

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

Diagnóstico de Alotriofagia

Para que uma pessoa esteja com alotriofagia é preciso que ela repita o comportamento de comer itens sem teor nutritivo ao corpo por um mês ou mais tempo.

Nos casos de alotriofagia é necessário o médico avaliar se o comportamento não se trata de um sintoma de outro adoecimento, como, por exemplo, no caso da esquizofrenia em que a pessoa acaba comendo substâncias sem valor nutritivo pela incapacidade de diferenciar o certo do errado.

Além disso, o médico pode pedir exames de sangue para detectar se há deficiência de algum nutriente, como o ferro e o zinco, que podem ser possíveis causas da alotriofagia.

Além disso, é importante observar se os itens ingeridos não estão provocando algum dano ao organismo, como intoxicações e infecções no aparelho digestivo, por exemplo.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Alotriofagia

O tratamento dependerá da causa da alotriofagia, e pode incluir mudanças na dieta, suplementação de nutrientes (em casos de deficiência) e suporte psicológico, que é importante principalmente para as crianças que apresentam a alotriofagia.

Além disso, pode ser necessário tratar as complicações que ocorrem com a alotriofagia, como intoxicações e infecções no aparelho digestivo, por exemplo.

Ainda não há comprovação de que algum medicamento específico possa curar a alotriofagia.

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

As principais complicações desta doença acontecem no sistema digestivo e podem ocorrer intoxicações ou infecções.

Prevenção

Prevenção

Como a alotriofagia é uma condição multifatorial, não há apenas uma forma de prevenir. Em geral, na gravidez, ela pode ser evitada se houver o consumo apropriado de nutrientes.

Fontes e referências

  • Hewdy Lobo, médico psiquiatra e nutrólogo, (CRM-SP 114.681)
  • Ana Carolina Schmidt, psicóloga (CRP 06/99198)
  • Associação Brasileira de Psiquiatria