PUBLICIDADE

Cárie - Sintomas, Tratamentos e Causas

Visão Geral

O que é Cárie?

As cáries são orifícios e lesões estruturais nos dentes, sinais de deterioração. Diversos fatores podem levar uma pessoa a apresentar cáries, que é um dos problemas mais comuns do mundo.

PUBLICIDADE

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Estima-se que todas as pessoas eventualmente apresentarão cáries ao menos uma vez na vida.

A cárie pode ocorrer em dentes de leite (decíduos), assim como em dentes permanentes, podendo ocorrer em bebês de poucos meses, assim como em idosos. Independente de passageira ou permanente, a cárie deve ser tratada o mais rápido possível.

Tipos

Existem três tipos principais de cárie. Confira:

Cárie coronária

É o tipo mais comum de cáries e ocorre tanto em crianças como em adultos. A cárie coronária se localiza nas superfícies de mastigação ou, ainda, entre os dentes.

Além disso, existem as cáries de fóssulas e fissuras, que são um tipo de cárie coronária. Elas coronárias, ocorrem com frequência nos dentes posteriores de crianças e jovens, na superfície que recebe o nome de oclusal, parte de cima do dente. É muito indicado para evitar esse tipo de cárie, além da escovação, o uso de um selante, que faz com que os resíduos alimentares não fiquem em contato com essa região.

Cárie radicular

À medida que envelhecemos, a gengiva se retrai, deixando partes da raiz do dente expostas. Como não existe esmalte cobrindo as raízes do dente, estas áreas expostas se deterioram facilmente, provocando cáries do tipo radicular.

Cárie recorrente

A deterioração pode ocorrer em volta das restaurações e coroas (parte exposta do dente) existentes. Isto porque essas áreas tendem a acumular placa, que acabam levando à deterioração e, assim, ao surgimento de cáries.

Causas

As bactérias estão presentes naturalmente na boca. Elas transformam todos os alimentos, especialmente açúcar e amido, em ácidos. As bactérias, os ácidos, os resíduos de comida e a saliva se juntam na boca e formam uma substância pegajosa chamada placa, que adere ao dente. Ela é mais proeminente nos molares traseiros, logo acima da linha da gengiva em todos os dentes, e nas bordas das obturações. A placa que não é removida dos dentes se mineraliza formando tártaro. A placa e o tártaro irritam as gengivas, resultando em gengivite e, por fim, periodontite.

A placa começa a se acumular nos dentes dentro de 20 minutos após comer (o período em que a maior parte da atividade bacteriana acontece). Se a placa não for removida de forma cuidadosa e rotineira, as cáries não só aparecem, como se proliferam.

Os ácidos da placa dissolvem a superfície esmaltada e criam orifícios nos dentes (cáries). As cáries normalmente não provocam dor, a não ser que cresçam muito e afetem os nervos ou causem uma fratura no dente. Se não forem tratadas, um abscesso dentário poderá se desenvolver. As cáries não tratadas também destroem as estruturas internas do dente (polpa) e terminam causando sua perda.

A cárie é causada pela desmineralização do esmalte de um dente, através dos ácidos que as bactérias bucais produzem, elas se utilizam dos nutrientes dos resíduos alimentares que ficam grudados nos dentes. As bactérias se aderem ao dente e aos resíduos existente nos dentes, formando o chamado biofilme dental e o resultado dessa decomposição são ácidos que conseguem desmineralizar o esmalte do dente. Por isso a importância da escovação e uso de fio dentário, pois quanto menos substrato para as bactérias, menor a produção de ácidos.

A cárie inicialmente é assintomática e o paciente não percebe que ela está ocorrendo. Em uma segunda etapa, forma-se uma cavidade no dente. Se essa cavidade for em um local visível, o paciente pode perceber, caso contrário, ela continua se desenvolvendo.

Com a evolução, o esmalte é perfurado, chegando perto da dentina, camada abaixo do esmalte e protegida por ele. Nesta fase, o paciente pode começar a sentir dor com quente e principalmente com doces e gelado. Se não tratada nesta fase, a cavidade vai aumentando, chegando a atingir o nervo do dente e necessitando do tratamento de canal e até levando a sua perda.

Saiba mais: Dentes podres: veja os tratamentos possíveis

O que é biofilme dental (placa bacteriana) e tártaro?

O biofilme dental, que é uma massa formada bactérias e resíduos alimentares sobre os dentes, começa a se formar rapidamente após qualquer tipo de alimentação. Inicialmente, essa película é muito pouco aderida ao dente e sua remoção é muito fácil. Por esse motivo a indicação repetitiva que os dentistas fazem para que os dentes sejam escovados após cada refeição.

Quando esse biofilme não é removido, ele vai se encorpando, com proliferação das bactérias aderidas a ele e novos resíduos vão se aderindo a essa massa. Após alguns dias, essa massa de bactérias está estruturada e bem unida ao dente, produzindo ácidos que causam as cáries e inflamado as gengivas, que ficam com uma cor mais avermelhada e começam a sangrar.

Até esta fase, o problema ainda pode ser revertido pelo próprio paciente, com escovações bem realizadas nos dentes e uso de fio dentário. Caso isso não ocorra, com o tempo essa massa denominada biofilme, irá se mineralizar e se torna um bloco duro e firmemente aderido ao dente.Após a formação do tártaro, apenas o dentista consegue removê-lo.

Fatores de risco

Todo mundo que tem dentes possui riscos de desenvolver cáries, eventualmente, mas os seguintes fatores podem aumentar as chances:

Localização do dente

Deterioração dos dentes ocorre mais frequentemente molares e pré-molares, que ficam localizados na parte de trás da boca. Estes dentes têm muitas ranhuras, sulcos e fissuras que podem coletar partículas de alimento. Como resultado, eles são mais difíceis de serem mantidos limpos do que os dentes da frente, cuja escovação é mais fácil. Nos molares e pré-molares, pode haver formação de placa e acúmulo de bactérias, produzindo, assim, o ácido que corrói e destrói o esmalte do dente.

Certos alimentos e bebidas

Alimentos mais fáceis de ficarem presos aos dentes por um longo tempo, como leite, sorvete, mel, açúcar, refrigerante, frutas secas, bolos e biscoitos, são mais propensos a causar cárie do que alimentos que são facilmente dissolvidos pela saliva.

Comer com frequência

Quando você come ou bebe refrigerantes constantemente, você aumenta a produção de ácido que atacam os dentes.

Escovação inadequada

Não escovar os dentes logo após as refeições pode levar à formação de placas e ao início do processo de deterioração do dente. Os 20 primeiros minutos após a alimentação são o período de maior atividade bacteriana dentro da boca.

Pouco flúor

O flúor ajuda a prevenir as cáries e pode até mesmo reverter os estágios iniciais de danos aos dentes. Graças a seus benefícios, o flúor é adicionado a muitos abastecimentos públicos de água, como bebedouros. É também um ingrediente comum em cremes dentais e enxaguantes bucais e é bastante comum como tratamento para cáries em consultórios odontológicos.

Idade

Crianças pequenas e idosos estão entre os que mais contraem cáries. Isso acontece por causa de problemas na escovação quando ainda se é muito criança e devido ao desgaste dos dentes e diminuição das gengivas, que tornam os dentes mais suscetíveis a cáries. Medicamentos que reduzem a quantidade de saliva, também comum em pessoas mais velhas, é um outro fator de risco acompanhado da idade.

Boca seca

A boca seca é causada pela falta de saliva. A saliva ajuda a prevenir a cárie dentária dissolvendo os alimentos e impedindo a formação de placa bacteriana dos dentes. Substâncias presentes na saliva também ajudam a combater o ácido produzido pelas bactérias e pode até mesmo ajudar a reparar casos precoces de cárie. Certos medicamentos e algumas condições médicas reduzem a produção de saliva e aumentam o risco de cárie.

Recheios gastos ou aparelhos dentários

Ao longo dos anos, obturações dentárias podem enfraquecer, começam a quebrar ou desenvolver outros tipos de problema. Isso facilita o acúmulo de placa bacteriana e, consequentemente, a formação de cáries dentárias.

Transtornos alimentares

Anorexia e bulimia podem levar à erosão dentária significativa e ao surgimento de cáries. O ácido do estômago presente no vômito sobre os dentes dissolve o esmalte dentário. Os transtornos alimentares podem, também, reduzir a produção de saliva.

Azia

Azia ou doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) pode trazer o ácido produzido no estômago para a boca (refluxo), o que pode levar ao desgaste do esmalte dos dentes e causar danos significativos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Últimas perguntas sobre Cárie

Sintomas

Sintomas de Cárie

Os sinais e sintomas das cáries dentárias podem variar, dependendo da sua dimensão e localização. Quando uma cavidade dental está apenas começando, a pessoa pode não apresentar nenhum sintoma. Conforme o dano aumenta, este pode causar sinais e sintomas bastante recorrentes, como:

Buscando ajuda médica

Uma pessoa pode não estar ciente de que há formação de cáries em seus dentes. Por essa razão, é importante fazer visitas regulares ao dentista para exames e limpezas constantes. Se você sentir dor de dente, principalmente ao comer e beber algo, consulte um dentista o mais rápido possível.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Entre as especialidades que podem diagnosticar uma cárie dentária estão:

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

Diagnóstico de Cárie

O diagnóstico de cáries costuma ser fácil. O dentista pode fazê-lo por meio de:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Cárie

O tratamento pode ajudar a evitar que a lesão no dente se transforme em cárie. Os dentistas preenchem o dente, removendo o material deteriorado com uma broca e substituindo-o por materiais como liga de prata, ouro, porcelana ou resina composta. A porcelana e a resina composta se aproximam mais da aparência natural do dente e podem ser a melhor alternativa para os dentes frontais. Muitos dentistas consideram que a amálgama de prata (liga) e o ouro são mais fortes e, normalmente, são usados esses materiais para os dentes traseiros. Também há uma tendência de utilização de resina composta de alta resistência nos dentes traseiros.

O tratamento de canal também pode ser recomendado se o nervo de um dente parar de funcionar devido a uma cárie ou lesão no dente. O centro do dente, incluindo o nervo e o tecido dos vasos sanguíneos (polpa), é removido junto com as partes deterioradas do dente. As raízes são preenchidas com um material de vedação. O dente é preenchido e, se necessário, coloca-se uma coroa sobre ele.

Medicamentos para Cárie

Os medicamentos mais usados para o tratamento de cáries são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

Cárie dentária pode levar a algumas complicações sérias, como:

Desconforto ou dor;Dente fraturado;Incapacidade de morder com o dente;Abscesso dentário;Sensibilidade no dente

Cárie tem cura?

O tratamento geralmente salva o dente. O tratamento precoce é menos doloroso e mais barato do que o tratamento de uma cárie avançada.

Você pode precisar de medicamentos anestésicos ou outros medicamentos receitados para aliviar a dor durante e depois do tratamento odontológico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

A higiene oral é a principal forma de prevenção de cáries. Ela consiste em limpeza profissional regular (a cada seis meses, pelo menos), escovar os dentes pelo menos três vezes por dia e utilizar fio dental diariamente. Podem ser feitos raios-X anuais para detectar o possível desenvolvimento de cáries em áreas de alto risco na boca.

É preferível comer alimentos mastigáveis e pegajosos (como frutas secas e doces) como parte de uma refeição e não como um lanche. Se possível, escove os dentes ou enxágue a boca após comer esse tipo de alimento. Diminua a frequência dos lanches, que criam um suprimento contínuo de ácido na boca. Evite tomar bebidas açucaradas e comer balas e doces frequentemente.

Os selantes dentais podem evitar algumas cáries. Selantes são películas finas de plástico aplicados às superfícies de mastigação dos molares. Essa película impede o acúmulo de placa nas cavidades profundas dessas superfícies vulneráveis. Os selantes normalmente são aplicados nos dentes das crianças logo após o surgimento dos molares. As pessoas mais velhas também podem se beneficiar do uso de selantes.

Normalmente, recomenda-se usar flúor para proteção contra cáries dentárias. Foi comprovado que pessoas que ingerem flúor na água ou por meio de suplementos apresentam menos cáries do que outras. Se o flúor é ingerido quando os dentes estão se desenvolvendo, ele é incorporado à estrutura do esmalte e o protege contra a ação dos ácidos.

O flúor tópico também é recomendado para proteger a superfície do dente. Produtos que contenham flúor incluem alguns tipos de creme dental e enxaguantes bucais. Muitos dentistas incluem a aplicação de soluções tópicas de flúor (aplicadas em uma área localizada do dente) como parte das consultas de rotina.

Como evitar a cárie, o tártaro e as doenças de gengiva?

Conforme dito anteriormente, essas doenças são causadas pela decomposição dos restos alimentares realizado pelas bactérias.

A boca é uma região com muitas bactérias e não temos como e nem desejamos remove-las 100%. Sendo assim, devemos manter o controle da quantidade de bactérias bucais e a quantidade de resíduos que elas se utilizam. A escovação e uso de fio dentário após a ingestão de alimentos é a forma mais simples e eficaz de se evitar essas doenças.