Dificuldade para engolir

Visão Geral

O que é Dificuldade para engolir?

Quem já passou pela situação nada agradável de ficar com um alimento preso na garganta sabe o quanto é aflitivo o momento. O paralisante mal-estar também se estende quando o que foi ingerido "não desce", provocando o engasgamento, ou então com uma tosse que dispara bem na hora da primeira garfada de uma refeição. A dificuldade de engolir os alimentos tem um nome: disfagia. O problema, que atinge principalmente os idosos, indica a alteração na deglutição e pode acarretar em sérios riscos se não for tratada. A disfagia não é uma doença, mas sim um sinal de algum mau funcionamento do esôfago. Ela pode ser causada por distúrbios de ordem neurológicas, mecânicas, psicológicas e também pode decorrer do envelhecimento natural.

Causas

A dificuldade para engolir pode ser causada por inúmeras e diferentes razões. Veja alguns exemplos:

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar a dificuldade para engolir são:

  • Clínico geral
  • Otorrinolaringologista
  • Gastroenterologista

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando a dificuldade para engolir começou?
  • O problema foi piorando com o passar do tempo?
  • Você sente outros sintomas? Quais?
  • Você sente dor?
  • Você foi diagnosticado recentemente com algum problema de saúde? Qual?
  • Você faz uso de algum tipo de medicamento? Qual?
  • Você foi exposto à radiação ou à qualquer outra substância química?
  • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas? Funcionou?

Buscando ajuda médica

A dificuldade de engolir substâncias líquidas ou sólidas não deve ser negligenciada, mesmo que o problema pareça algo banal. A disfagia pode ser um sintoma de doenças graves, como o câncer de esôfago e o megaesôfago. Quanto mais cedo o distúrbio for diagnosticado, menos chances ele tem de provocar danos irreversíveis.

Passar muito tempo subestimando os sinais do corpo pode ser crucial antes do agravamento de outras complicações. A disfagia denuncia que algo não vai bem no organismo. Para detectar o mal basta fazer uma endoscopia. Em casos de câncer de estômago, ao procurar o médico em estágio inicial, há grandes possibilidades de iniciar um tratamento bem sucedido.

O diagnóstico é fundamental para ampliar as possibilidades de resolução de complicações sérias. Em alguns casos é necessário fazer cirurgias para a retirada do esôfago. No entanto, as intervenções cirúrgicas devem ser feitas em estágios iniciais. Daí a importância de consultar um médico antes de o mal se alastrar. Quando a dificuldade para engolir não é tratada ela pode desencadear uma série de problemas, como desidratação, problemas respiratórios e até desnutrição.

Tratamento e Cuidados

Cuidados

Tratar a dificuldade para engolir requer alguns cuidados, mas a tarefa está distante de ser considerada difícil. Para evitar a desnutrição e engasgamentos consecutivos especialistas recomendam a adaptação da alimentação. Os alimentos sólidos devem ser triturados ou esmagados junto com líquido para que possam ser engolidos com facilidade. Já as refeições frias, como iogurte e vitaminas, podem aliviar a dor provocada pelo distúrbio. Variar o cardápio é importante. A disfagia pode diminuir o apetite, portanto, garantir os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo é fundamental.

Fontes e referências

  • Ricardo Darriba, gastroenterologista
  • Ministério da Saúde
  • Federação Brasileira de Gastroenterologia
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não