Doença de Addison

Visão Geral

O que é Doença de Addison?

Sinônimos: insuficiência adrenocortical crônica, insuficiência adrenal primária

A Doença de Addison é o nome dado à condição em que as glândulas suprarrenais (também chamadas de glândulas adrenais) não são capazes de produzir quantidades suficientes de seus hormônios. Ela foi descrita pela primeira vez pelo médico inglês Thomas Addison, em 1849.

Sinônimos

Insuficiência adrenal; Hipofunção adrenocortical.

Tipos

Há dois tipos possíveis de Doença de Addison, que são motivados por causas distintas. Elas são: insuficiência renal primária e insuficiência renal secundária.

Causas

As glândulas adrenais, que ficam localizadas logo acima dos rins, são divididas em duas partes: o córtex e a medula. Cada uma delas produz hormônios diferentes. A primeira produz corticosteroides, a exemplo do cortisol, e a segunda produz catecolaminas, como a adrenalina. Esses hormônios são produzidos em resposta ao estresse. As glândulas suprarrenais também secretam a aldosterona, um hormônio diretamente envolvido na regulação da osmalaridade do sangue (o equilíbrio entre sódio e potássio presentes no plasma sanguíneo), e estimulam a conversão de proteínas e gorduras em glicose, ao mesmo tempo em que diminuem a captação da glicose pelas células, aumentando, assim, a utilização de gorduras pelo corpo. O córtex também produz pequenas quantidades de andrógeno, o hormônio sexual masculino, tanto em homens quanto em mulheres.

A Doença de Addison pode ocorrer devido a dois grandes motivos distintos, podendo ser classificada de insuficiência adrenal primária e insuficiência adrenal secundária.

Insuficiência adrenal primária

Este tipo de insuficiência adrenal ocorre quando o córtex das glândulas suprarrenais sofre algum tipo de dano, impossibilitando-o de produzir hormônios em quantidades adequadas.

Isso pode ocorrer, principalmente, devido a um problema autoimune, ou seja, quando as células de defesa do organismo enxergam o córtex adrenal como um agente invasor e atacam-no, prejudicando suas funções.

Outros motivos podem levar à insuficiência adrenal primária, como:

  • Tuberculose
  • Infecções das glândulas suprarrenais, causadas por HIV e fungos, por exemplo
  • Propagação de um câncer para as glândulas
  • Sangramento das glândulas
  • Uso de medicamentos anticoagulantes.

Insuficiência adrenal secundária

A Doença de Addison também pode ocorrer quando há um problema com glândula pituitária. Essa glândula pituitária é responsável pela produção do hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), que estimula o córtex adrenal a produzir seus hormônios. A produção inadequada ou insuficiente de ACTH pode levar a uma queda na produção de hormônios que são normalmente produzidos pelas glândulas suprarrenais, apesar de estas não estarem sendo danificadas por nenhum motivo aparente.

Outra causa mais comum para este tipo de insuficiência adrenal é a interrupção abrupta do uso de medicamentos corticoides – bastante comum em pessoas que estão tratando algumas doenças crônicas, como esclerose múltipla e asma.

Fatores de risco

Os principais fatores de risco para Doença de Addison incluem algumas doenças específicas, como:

Sintomas

Sintomas de Doença de Addison

Os sinais e sintomas da doença de Addison geralmente desenvolvem-se lentamente, ao longo de vários meses, e podem incluir:

Algumas vezes, os sinais e sintomas da doença de Addison podem aparecer de repente e sem aviso – o que configura um caso de insuficiência suprarrenal aguda. Nesses casos, os sinais e sintomas podem incluir:

  • Dor na parte inferior das costas, abdômen ou pernas
  • Vômitos e diarreia severa e consequente desidratação
  • Pressão arterial baixa
  • Perda de consciência
  • Hipercalemia (altas quantidades de potássio no sangue).

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Consulte um médico se você apresentar sinais e sintomas que geralmente ocorrem em pessoas com doença de Addison, como:

  • Hiperpigmentação da pele
  • Fadiga severa
  • Perda de peso não intencional
  • Problemas gastrointestinais, como náuseas, vômitos e dor abdominal
  • Tontura ou desmaios
  • Necessidade de ingerir sal
  • Dores musculares e nas articulações.

Muitos dos sintomas causados pela doença de Addison são comuns a outros problemas de saúde também. Por isso, o médico pode ajudar a determinar se a causa para seus sintomas seja a doença de Addison ou alguma outra condição médica.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar Doença de Addison são:

  • Clínico geral
  • Endocrinologista
  • Gastroenterologista
  • Reumatologista
  • Psiquiatra
  • Ginecologista
  • Urologista
  • Dermatologista
  • Cardiologista
  • Angiologista
  • Neurologista

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quais são os seus sintomas?
  • Quando seus sintomas surgiram?
  • Qual a intensidade e gravidade dos sintomas que você apresentou?
  • Você foi diagnosticado com alguma condição de saúde? Qual?
  • Você está fazendo uso de algum tipo de medicamento? Qual?
  • Você teve ou tem algum problema nas glândulas suprarrenais?
  • Você notou quaisquer mudanças em sua pele?
  • Você se sente cansado com frequência?
  • Você perdeu peso recentemente?
  • Você sente dores? Onde? Com que intensidade?
  • Você sente necessidade ou desejo de ingerir sal?

Diagnóstico de Doença de Addison

Primeiramente, o médico lhe fará uma série de perguntas sobre o seu histórico clínico e sobre seus sinais e sintomas. Se, a partir das respostas que obtiver, ele achar que você pode ter a doença de Addison, você pode passar por algum dos seguintes testes:

  • Exame de sangue
  • Teste de estimulação do ACTH, que envolve a medição do nível de cortisol no sangue antes e depois de uma injeção de ACTH sintético
  • Teste hipoglicêmico induzido por insulina, geralmente recomendado para um possível diagnóstico de insuficiência adrenal secundária
  • Exames de imagem, como tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Doença de Addison

O tratamento para doença de Addison envolve, basicamente, uma terapia de reposição hormonal para corrigir os níveis de hormônios esteroides que o corpo do paciente não está produzindo. Algumas opções de tratamento incluem:

  • Corticosteroides orais
  • Injeções de corticoide
  • Terapia de reposição de andrógeno.

Essas opções de tratamento ajudam a melhorar os sintomas, mas o paciente muito provavelmente terá de fazer uso deles por toda a vida.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Seguir à risca o tratamento recomendado pelo médico é essencial para o paciente conseguir conviver bem com a doença. Além disso, algumas mudanças no estilo de vida também são necessárias, como a inclusão de mais quantidade de sal na dieta. Isso é importante principalmente em dias quentes, quando as pessoas costumam transpirar muito, durante exercícios físicos, ou, ainda, caso a pessoa tenha problemas gastrointestinais, como diarreia crônica.

Você também pode fazer uso de alguns medicamentos de venda livre, a exemplo de analgésicos para dor e outros sintomas. Consulte um médico antes de comprar algum remédio na farmácia.

Complicações possíveis

A doença de Addison, se não for devidamente tratada, pode causar algumas complicações de saúde – algumas, inclusive, muito difíceis de tratar. Veja exemplos:

  • Diabetes
  • Tireoidite de Hashimoto
  • Hipoparatireoidismo
  • Tireotoxicose
  • Hipofunção ovariana, em mulheres, ou insuficiência testicular, em homens.
  • Anemia perniciosa.

Expectativas

Seguindo a terapia de reposição hormonal corretamente e fazendo uso dos medicamentos conforme orientação médica, as pessoas com doença de Addison podem levar uma vida normal.

Prevenção

Prevenção

Por enquanto, não se conhecem métodos eficazes de prevenção da doença de Addison.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
  • Mayo Clinic
  • Organização Mundial da Saúde
  • Addison’s Disease Self Help Group
  • Manual Merck
  • National Adrenal Diseases Foundation
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não