Estomatite ulcerativa

Visão Geral

O que é Estomatite ulcerativa?

Sinônimos: úlcera oral, estomatite - ulcerativa, úlcera - boca

Estomatite é um termo geral usado para designar doenças ou inflamações da cavidade bucal, que podem ter causas diversas.

“Estômato”, palavra de origem grega, significa “boca”. A estomatite diz respeito a inflamações provocadas por vírus que, no geral, acometem mais crianças e são caracterizadas pelo surgimento de lesões na boca, febre e dor.

Sinônimos

Estomatite ulcerativa

Causas

Normalmente, o vírus responsável pela estomatite é o da herpes simples (HSV-1). Menos comumente, os vírus da família Coxsackie também podem causar o problema. Ambos se aproveitam de momentos de baixa imunidade, provocados por uma gripe, por exemplo, para entrar em ação.

Além disso, outras infecções virais, bacterianas e fúngicas também podem causar estomatite. Veja outras possíveis causas para estomatite:

Fatores de risco

A estomatite é mais comum em crianças do que em adultos, além de ocorrer com mais facilidade durante as estações frias do ano (outono e inverno). Isso acontece porque é durante o frio em que ocorre a maioria dos casos de gripes e resfriados, que tornam o sistema imunológico mais vulnerável. Além disso, por causa das baixas temperaturas, as pessoas costumam circular mais por ambientes fechados e cheios de pessoas, a fim de se aquecer – o que acaba ajudando na disseminação dessas doenças.

Estomatite é mais comum na primeira infância e pode ocorrer, principalmente, a partir do sexto mês de vida, quando o bebê costuma parar de receber anticorpos da mãe pelo leite materno. A maior incidência de estomatite se concentra entre os dois e os cinco anos, período em que as crianças normalmente já vão à escola e vivem em contato próximo com os colegas.

Sintomas

Sintomas de Estomatite ulcerativa

Os principais sinais e sintomas de estomatite incluem:

Vermelhidão na região da gengiva;Surgimento de pequenas erupções arredondadas;Surgimento de bolhas que mais tarde se rompem e dão origem a úlceras orais. As úlceras são muito semelhantes a aftas e podem se espalhar por toda a boca, sobretudo na gengiva, na língua e no começo da faringe, próximo às amígdalas.;Febre alta;Dor na boca;Irritabilidade (principalmente em crianças);Falta de apetite;Dificuldade para comer;Dor de cabeça

A crise dos sintomas costuma durar por aproximadamente duas semanas, mas a primeira semana é sempre a mais difícil, que é quando a boca está mais sensível do que nunca e há presença de dor nas lesões.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Se você tiver sofrido alguma lesão ou trauma na boca e, em seguida, notar o surgimento de erupções e úlceras em sua boca, além de dor, febre e dificuldade para comer, marque uma consulta com um médico – principalmente se os sintomas não passarem espontaneamente.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar uma estomatite são:

  • Clínico geral
  • Odontologista
  • Dentista
  • Gastroenterologista
  • Infectologista
  • Imunologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quais são os principais sintomas?
  • Quando os sintomas surgiram?
  • Qual a intensidade dos sintomas?
  • Você ou seu filho já foram diagnosticados com alguma outra condição médica? Qual?
  • Você ou seu filho têm algum problema odontológico? Qual?
  • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas?
  • Seu filho tem dor ou dificuldade para se alimentar?
  • Quais outros sintomas estão presentes?
  • Seu filho sofreu alguma lesão ou trauma na boca recentemente?

Diagnóstico de Estomatite ulcerativa

Durante a consulta, o médico irá começar por um exame físico, no qual ele examinará a boca e fará uma série de perguntas sobre os sintomas, de modo geral, e sobre seu histórico clínico. Isso já costuma ser suficiente para diagnosticar estomatite. No entanto, o médico pode solicitar exames laboratoriais adicionais para verificar se um determinado vírus ou bactéria está por trás da causa, ou, ainda, para excluir outras possíveis condições.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Estomatite ulcerativa

O tratamento para estomatite depende muito da causa. Em caso de infecções virais, o tratamento pode concentrar-se na prescrição de medicamentos antivirais, na adoção de uma dieta baseada em líquidos (para reduzir a irritação dentro da boca) e analgésicos tópicos que podem ser aplicados na boca e que ajudam a amenizar a dor.

Corticosteroides também podem ser indicados para reduzir a inflamação causada pela estomatite. Em caso de infecções bacterianas, o médico poderá prescrever antibióticos.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Os cuidados dentro de casa também são essenciais para pacientes com estomatite. Em parceria com o tratamento ministrado por um especialista, lavar a boca com água salgada, por exemplo, e fazer uso de medicamentos analgésicos para diminuir a dor podem ser boas medidas a serem tomadas.

Além disso, é sempre bom evitar o consumo de alimentos ou bebidas muito quentes ou muito frias, pois podem agravar os sintomas.

Permanecer em repouso e seguir uma dieta balanceada é o melhor que se pode fazer até o dia da consulta com o médico.

Complicações possíveis

Devido à baixa imunidade, pode acontecer de uma pessoa com estomatite desenvolver uma infecção secundária, embora isso não seja comum.

Na maioria dos casos, a complicação mais grave tende a ser a desidratação, já que até mesmo tarefas simples como beber água são um problema para quem tem estomatite – especialmente para crianças, que costumam sentir os sintomas com mais intensidade.

Expectativas

O tratamento, se for seguido corretamente, consegue resolver o problema da estomatite sem grandes complicações.

Tratar a causa subjacente e manter uma boa higiene oral são sempre o melhor caminho para evitar que a doença seja reincidente. O vírus causador da estomatite permanece no corpo mesmo após o desaparecimento dos sintomas.

Prevenção

Prevenção

Lavar as mãos corretamente ajuda a evitar a entrada de muitos vírus e bactérias. Procure manter as mãos de seu filho sempre bem lavadas, pois é comum crianças, principalmente de meses de vida, levarem a mão à boca.

É essencial, também, manter uma boa higiene oral e tratar a causa subjacente à estomatite.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não