Polimialgia reumática: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

Sinônimos

Sinônimos: pmr

PMR

PUBLICIDADE

O que é Polimialgia reumática?

Polimialgia reumática é uma doença inflamatória que costuma afetar pessoas com idade acima de 50 anos do sexo feminino. A prevalência do problema na população mundial é de 0,5 a 0,7% e varia de acordo com a área geográfica analisada por razões ainda não conhecidas.

O termo "mialgia" vem da palavra grega "dor muscular" e "poli" significa muitos. Assim, em termos literais, polimialgia quer dizer "dor em muitos músculos".

Causas

Ainda não se sabe as causas da polimialgia reumática. Apenas que ela não é uma doença infecciosa ou contagiosa. Em 15 % dos casos, a polimialgia reumática está associada a uma outra doença, chamada arterite de células grandes ou arterite temporal, e metade das pessoas com arterite temporal sofrem de polimialgia reumática.

Fatores de risco

Não há fatores de risco conhecidos da doença. Ainda não foi identificado qualquer traço de hereditariedade e, até o momento, nenhum fator comportamental pareceu contribuir para o seu desenvolvimento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Polimialgia reumática

Os sintomas clássicos da doença são:

  • Enrijecimento dos músculos dos membros
  • Enrijecimento dos músculos do quadril
  • Enrijecimento dos músculos do pescoço.

Os sintomas são equivalentes nos dois lados do corpo e costumam aparecer rapidamente, em questão de dias ou semanas e, em alguns casos, até em uma mesma noite.

Outros sintomas menos comuns são:

  • Dores nas articulações das mãos e dos pulsos
  • Febre
  • Mal-estar
  • Emagrecimento
  • Perda de apetite
  • Depressão.

Uma característica comum de portadores da doença é a grande dificuldade de levantar da cama logo cedo, trocar de roupas e sair do carro após um longo passeio sentado. As dores e o enrijecimento muscular costumam diminuir ao longo do dia.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Diagnóstico de Polimialgia reumática

O diagnóstico da polimialgia reumática é clínico e, em muitos casos, difícil. Alguns exames podem ser solicitados pelo médico para excluir a possibilidade de infecções e outras doenças.

Exames

Após o diagnóstico, costumam ser solicitados dois exames para acompanhamento da doença:

  • Velocidade de Hemossedimentação (VHS)
  • Proteína C reativa (PCR).
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Polimialgia reumática

O tratamento da polimialgia consiste, basicamente, na administração de doses de corticoides. Nos casos em que a doença vem acompanhada da arterite temporal, a dose de corticoides costuma ser maior. Alguns pacientes já mostram melhora dos sintomas após uma única dose, mas, para outros, o progresso pode ser demorado e difícil.

De qualquer forma, se os sintomas não apresentarem qualquer mudança após duas ou três semanas de tratamento, o diagnóstico de polimialgia reumática deve ser reavaliado.

Expectativas

Após o controle dos sintomas com a administração de corticoides, a medicação vai sendo reduzida para chegar a uma dose mínima ou à suspensão do tratamento.

Complicações possíveis

Devido à dor intensa e ao enrijecimento muscular, o paciente com polimialgia reumática tende a ficar acamado, diminuindo sua qualidade de vida. Nos casos em que ela está associada à arterite temporal, o não tratamento pode levar à cegueira irreversível.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Após a regressão do enrijecimento muscular, o paciente pode voltar às atividades normais, incluindo a prática de exercícios.

Vale lembrar que mesmo a menor dose de corticoides pode causar efeitos colaterais, incluindo aumento de glicose no sangue, ganho de peso, insônia, osteoporose, catarata, afinamento da pele e aparecimento de hematomas. Por isso, o acompanhamento médico é fundamental para evitar esses problemas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

Não há como prevenir a polimialgia reumática.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Fontes e referências

  • Reumatologista Maria Angela Amaral Gurgel Vianna, do Núcleo Avançado de Reumatologia do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo;
  • Reumatologista Ari Halpern, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo;
  • Reumatologista Samuel Katsuyuki Shinjo, médico assistente do serviço de reumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP;
  • Reumatologista Roberto Heymann, coordenador da comissão de Dor, Fibromialgia e outras Síndromes Dolorosas de partes moles da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR);
  • American College of Rheumatology