Terror noturno: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Terror noturno?

Sinônimos: pavor nocturnus, distúrbio do terror noturno

Terror noturno é uma parassonia (distúrbio do sono) que, assim como o sonambulismo, é mais comum em crianças mas pode acometer adultos. Durante os episódios de terror noturno, que normalmente duram de alguns segundos até poucos minutos, a criança pode sentar na cama, gritar, abrir os olhos, correr pela casa, chorar inconsolavelmente etc. e não acordar, não se lembrando do acontecido no outro dia. Adultos com terror noturno têm mais tendência a serem agressivos durante os episódios do problema do que as crianças e, ao contrário delas, podem se lembrar de pequenas partes do que aconteceu durante esses períodos. Todos esses sintomas acontecem nas primeiras horas do sono.

PUBLICIDADE

O terror noturno é diferente do pesadelo, uma vez que o pesadelo acontece nas últimas horas do sono, faz com que a criança acorde e normalmente lembre sobre o que estava sonhando. O terror noturno costuma apavorar mais os pais do que a própria criança, uma vez que ela não se lembra de nada do que aconteceu nesse período.

Da mesma forma que acontece no caso de crianças com sonambulismo, os episódios de terror noturno tendem a desaparecer de forma natural conforme ela cresce. Contudo, pode ser necessário algum tratamento ou tomar medidas para que ela não se machuque durante esses momentos. Em adultos, é necessário identificar a causa do sintoma e buscar tratamento.

Causas

A causa exata do terror noturno ainda não é conhecida, mas acredita-se que esteja ligada a um estímulo exagerado no sistema nervoso central durante o sono, que aconteceria porque as suas células ainda não estão maduras. Os seguintes fatores também podem estar relacionados ao problema:

Fatores de risco

O maior fator de risco para o desenvolvimento de terror noturno em crianças é ter familiares com histórico de sonambulismo, ou do próprio terror noturno, durante infância.

Adultos com terror noturno normalmente também apresentam histórico de depressão ou de ansiedade, apesar da maioria não ter nenhum problema mental.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Terror noturno

Durante um episódio de terror noturno a pessoa pode:

  • Sentarse na cama
  • Gritar
  • Ter uma expressão facial de medo intenso
  • Chutar ou se debater
  • Apresentar sudorese
  • Ser difícil para acordar e, se acordar, ficar confusa
  • Apresentar uma respiração anormal e batimento cardíaco acelerado
  • Chorar inconsolavelmente
  • Ficar com os olhos bem abertos e olhar fixo
  • Levantar da cama e correr dentro ou ao redor da casa
  • Ficar agressivo (mais comum em adultos).
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Episódios ocasionais de terror noturno normalmente não são motivos de preocupação, e os responsáveis podem apenas comentar com o médico sobre o problema em uma consulta de rotina. Contudo, é importante procurar ajuda médica se:

  • Os episódios de terror noturno se tornarem mais frequentes
  • Apresentar interrupções constantes de sono ou acordar outros membros da família
  • A criança tiver medo de dormir
  • Apresentar comportamento de risco ou se machucar
  • Aparentemente seguir o mesmo padrão em todos os episódios de terror noturno
  • O problema persistir durante a adolescência ou fase adulta.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar terror noturno são:

  • Clínico geral
  • Pediatra
  • Médico do sono
  • Neurologista
  • Psicólogo
  • Psiquiatra.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar tempo. Dessa forma, você já pode chegar ao consultório com algumas informações:

  • Um diário de aproximadamente duas semanas antes da consulta médica que contenha a qualidade do sono (sua ou da criança) e outros fatores que podem interferir no sono, como consumo de cafeína ou ingestão de remédios
  • Uma lista com todos os sintomas, mesmo que não pareçam relacionados ao problema, e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que tenha e medicamentos, vitaminas ou suplementos que tome com regularidade
  • Informe fatores potenciais de estresse ou mudanças na rotina diária.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Qual a frequência com que acontecem os episódios de terror noturno?
  • O que a pessoa faz nesses momentos? É sempre o mesmo “ritual”?
  • O paciente já teve distúrbios do sono no passado?
  • Alguém da família tem distúrbios do sono?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes de sair do consultório.

Diagnóstico de Terror noturno

Normalmente o terror noturno é diagnosticado pelo médico através da descrição dos eventos. Ele ainda pode fazer um exame físico ou psicológico no paciente para identificar as condições que podem estar contribuindo com os episódios de terror noturno. Se o diagnóstico não for claro e ele suspeitar de problemas respiratórios durante o sono, o médico pode solicitar um exame de estudo do sono (polissonografia).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Terror noturno

Normalmente os casos de terror noturno não precisam de tratamento, apenas de medidas de prevenção para evitar que a criança se machuque. Eles tendem a desaparecer por completo quando ela cresce. Durante os eventos, os pais não devem restringir a atividade motora da criança, pois isso pode prolonga-los.

Se os episódios de terror noturno forem ocasionados por outras condições de saúde, como apneia do sono, refluxo ou estresse, o tratamento dependerá daquilo que está ocasionando ou colaborando com o problema.

Caso a criança fique muito violenta ou corra o risco de se machucar, pode ser indicado o uso de alguns medicamentos, como os benzodiazepínicos antes dela deitar. Normalmente este tratamento dura de três a seis semanas.

Também é importante que a pessoa siga uma regularidade nos horários de dormir e despertar, além de deixar o quarto desobstruído e portas e janelas firmemente trancadas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Se o filho apresenta episódios de terror noturno, os pais devem:

Deixar o ambiente o mais seguro o possível

  • Feche e tranque as portas externas e as janelas durante a noite
  • Coloque alarmes ou sinos nas portas internas, para que caso a criança as abra ou as force para isso, você acorde
  • Coloque todos os objetos cortantes ou frágeis fora do alcance da criança, de preferência trancados, e longe de locais que ela possa balançar ou se pendurar para alcança-los
  • Bloqueie portas externas ou escadas com um portão
  • Evite o uso de beliches
  • Mova fios elétricos ou outros objetos em que a criança possa tropeçar.

Estabelecer uma rotina para a hora de dormir

  • Faça atividades calmas e relaxantes, como ler livros ou tomar um banho morno, antes de dormir
  • Se a criança não está dormindo direito, providencie para que ela durma um pouco mais ou tire sonecas, pois a privação de sono pode contribuir com o terror noturno.

Procurar causas de ansiedade ou estresse

Se o seu filho parece estressado ou ansioso, converse com ele sobre o que está causando isso. Ele conseguir confiar nos pais ou responsáveis para falar sobre o assunto, e você demonstrar atenção conforme ele fala e tranquilizar os seus medos, pode ajudar.

Procurar por um padrão

Mantenha um diário do sono da criança. Nele você deve anotar os dias em que aconteceram os episódios de terror noturno, quanto tempo depois que a criança dormiu ele aconteceu, quantas vezes por noite, o que a criança faz nesses momentos e a duração. Se notar, por exemplo, que normalmente o problema acontece todos os dias no mesmo horário, acorde a criança quinze minutos antes do episódio e mantenha-a acordada por cinco minutos. Depois disso ela pode voltar a dormir.

É importante também manter em mente que normalmente o terror noturno não é uma condição séria e que costuma desaparecer conforme a criança cresce.

Complicações possíveis

As complicações do terror noturno estão ligadas a possibilidade da criança ou adulto se machucarem nos episódios do problema. Por isso é importante manter a casa o mais segura o possível.

Expectativas

Os episódios de terror noturno tendem a ser curtos, duram de trinta segundos até cinco minutos, muito raramente duram mais do que isso. As crianças voltam a dormir imediatamente após o evento.

Assim como o sonambulismo, normalmente a condição desaparece conforme a criança cresce, sendo que deixar a casa mais segura e aguardar passar é – na maioria dos casos – tudo o que os pais podem fazer.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

A prevenção do terror noturno consiste em:

  • Não deixe que a criança fique muito estressada e, quando ela tiver que passar por momentos estressantes ou de mudança, converse com ela e tente tranquilizala
  • Estabeleça uma rotina antes de deitar para que ela relaxe, assim como horários para dormir e acordar
  • Certifique-se que o seu filho está descansando o suficiente
  • Previna que ele fique cansado demais, o que facilita o aparecimento do terror noturno, por ficar acordado até muito tarde.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Fontes e referências

  • Sociedade Brasileira de Pediatria
  • Associação Brasileira de Medicina do Sono
  • Hospital Israelita Albert Einstein
  • Clínica Mayo
  • Children’s Health System