TPM: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é TPM?

A TPM, ou Síndrome Pré-Menstrual (SPM), se caracteriza pelo conjunto de sensações que ocorrem cerca de 10 dias antes do início do ciclo menstrual. Segundo dados do Ministério da Saúde, a TPM atinge mais de 70% das mulheres brasileiras.

Nem todas as mulheres sofrem com TPM, quem também pode aparecer em diferentes graus. Caso a TPM esteja te incomodando e atrapalhando suas atividades diárias, procure ajuda médica.

Tipos

Nem todas as mulheres sentem os mesmos sintomas durante a TPM. São tantas sensações que a medicina separou a tensão pré-menstrual em cinco tipos diferentes, que podem acontecer separadamente ou ao mesmo tempo nas mulheres. Conheça todos eles:

TPM A

A TPM tipo A está relacionada com a ansiedade. A queda do hormônio estrogênio, que ajuda a baixar o estresse, e maior liberação de adrenalina e cortisol, dupla que contribui para o estresse. Os principais sintomas são:

Em alguns casos a mulher também pode se sentir mais desatenta e atrapalhada, derrubando coisas, batendo em objetos.

TPM C

A TPM tipo C está relacionada principalmente a compulsão alimentar. Ela recebe a classificação C porque vem do inglês craving, que significa desejo. Se durante a menstruação ou antes dela você prefere os restaurantes mais gordurosos ou ataca o chocolate que está no armário, esse é o seu tipo de TPM.

Os sintomas que se encaixam na TPM C são:

  • Compulsão por doces ou salgados
  • Vontade de comer guloseimas ou comidas diferentes
  • Dores de cabeça

Essa TPM está relacionada com os mecanismos de recompensa que temos no cérebro. Quando você come um alimento rico em açúcar ou gordura, algumas áreas no seu cérebro são ativadas, dando a sensação de prazer. Como durante a TPM os hormônios estão alterados, esse mecanismo pode gerar uma reação exagerada, causando uma sensação de prazer ainda maior.

TPM D

A tensão pré-menstrual do tipo D está relacionada com os sintomas depressivos. Os principais sinais dessa TPM são:

  • Raiva sem razão
  • Sentimentos perturbadores
  • Pouca concentração
  • Lapsos de memória
  • Baixa autoestima
  • Sentimentos violentos

Essas sensações são causadas geralmente pela redução de serotonina e à resposta exagerada que corpo pode dar diante às oscilações hormonais normais do período.

TPM H

A TPM tipo H tem esse nome porque está relacionada à palavra "hidratação". A TPM H está relacionada principalmente com a retenção de líquidos e suas consequências. Pessoas que tem a TPM do tipo H sentem:

  • Ganho de peso (por conta da retenção de líquido)
  • Inchaço abdominal
  • Sensibilidade e inchaço em mamas
  • Inchaço nas extremidades do corpo, como mãos e pés

TPM O

Existem outros sintomas menos comuns que também podem estar relacionados à TPM. Esses sintomas foram agrupados e classificados como TPM tipo O – referente a “outros” sintomas. Entre eles estão:

Causas

Durante aproximadamente 28 dias, o corpo da mulher sofre diversas alterações que preparam o útero para receber um bebê. Nos primeiros 14 dias ocorre o período de ovulação, e junto com ele a elevação dos níveis de estrógeno. Esse hormônio é um dos responsáveis por controlar o nosso bem-estar. Nos 14 dias seguintes, a parede do útero começa a engrossar, como se estivesse preparando uma "cama" para o possível bebê. Nessa fase ocorre uma queda nos níveis de estrógeno e elevação nas taxas de progesterona.

Essa alteração, quando muito brusca, já pode causar uma série de sintomas, como ansiedade, alterações do humor, dores nos seios e outros tantos conhecidos das mulheres. Passados esses 14 dias, o endométrio - parede que recobre o útero - começa a descamar e ser eliminado na forma de menstruação, gerando com ela uma outra queda hormonal, dessa vez na progesterona e no estrógeno. Por isso em algumas mulheres os sintomas podem ser ainda mais intensos durante a menstruação.

Dessa forma, a TPM é caracterizada como todos esses sintomas que podem ocorrer antes e durante a menstruação, causados pela queda brusca dos níveis de estrógeno e progesterona.

Fatores de risco

Entre os fatores que aumentam o risco de TPM estão:

  • Histórico familiar de TPM
  • Idade, sendo que os sintomas ficam mais comuns com o envelhecimento
  • Ansiedade, depressão ou outros problemas de saúde mental
  • Sedentarismo
  • Estresse
  • Uma dieta com baixo teor em vitamina B6, cálcio, ou magnésio
  • Alta ingestão de cafeína

Sintomas

Sintomas de TPM

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa e também de ciclo para ciclo. Entre os sintomas de TPM estão:

  • Ansiedade
  • Tensão
  • Dificuldade para dormir
  • Irritabilidade
  • Alterações de humor
  • Desatenção, fazendo a mulher derrubar coisas e bater em objetos
  • Compulsão por doces ou salgados
  • Vontade de comer guloseimas ou comidas diferentes
  • Dores de cabeça
  • Raiva sem razão
  • Sentimentos perturbadores
  • Pouca concentração
  • Lapsos de memória
  • Baixa autoestima
  • Sentimentos violentos
  • Ganho de peso (por conta da retenção de líquido)
  • Inchaço abdominal
  • Sensibilidade e inchaço em mamas
  • Inchaço nas extremidades do corpo, como mãos e pés

Entre os sintomas menos comuns de TPM estão:

  • Alteração nos hábitos intestinais
  • Aumento da frequência urinar
  • Fogachos ou sudorese fria
  • Dores generalizadas, incluindo cólicas
  • Náuseas
  • Acne
  • Reações alérgicas
  • Infecções do trato respiratório

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Marque uma consulta médica se você não está conseguindo controlar a TPM apenas com mudanças de estilo de vida. Busque ajuda também se os sintomas da TPM estão atrapalhando as duas atividades diárias, como trabalho e lazer.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar TPM são:

  • Endocrinologista
  • Ginecologista

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quão graves são os sintomas?
  • Em que dias do ciclo menstrual os sintomas são piores?
  • Você tem dias livres de sintomas durante o ciclo menstrual?
  • Você pode prever quando os sintomas estão chegando?
  • Alguma coisa parece fazer os sintomas melhores ou piores?
  • Os sintomas interferem com suas atividades diárias?
  • Você ou alguém da sua família foi diagnosticado com um transtorno psiquiátrico?
  • Que tratamentos você já tentou até agora? Eles funcionaram?
  • Você usa anticoncepcional? Qual?
  • Quais medicamentos e suplementos você toma?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para TPM, algumas perguntas básicas incluem:

  • Há algo que eu possa fazer para minimizar os sintomas da TPM?
  • Os sintomas da TPM, eventualmente, irão embora por conta própria?
  • Será que esses sintomas indicam uma doença mais grave?
  • Você recomenda um tratamento para os sintomas da TPM? Quais são os tratamentos disponíveis?
  • Existe uma alternativa genérica para o medicamento que você está prescrevendo?
  • Você tem material impresso que eu posso levar comigo? Quais sites você recomenda?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de TPM

Nenhum exame pode diagnosticar a TPM. Portanto, o diagnóstico é baseado no histórico médico e informações sobre os últimos dois ou três ciclos.

Problemas de tireoide tratáveis podem, por vezes, causar sintomas semelhantes aos da TPM. Então, pode ser que o médico ou médica fala um exame para avaliar o hormônio estimulante da tireoide (TSH). Isso ajuda a ter certeza de que sua glândula tireoide está funcionando corretamente.

É importante para o médico ou médica descartar outras doenças que causam sintomas como os de TPM. Por isso, pode levar mais de uma visita para diagnosticar os seus sintomas. Diagnosticar TPM pode ser difícil se você tem uma outra condição que se agrava conforme o ciclo menstrual.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de TPM

Não existe um único remédio ou tratamento para toda mulher que sofre com TPM, mas sim tratamentos tópicos, conforme o que ela está sentindo. Confira os tratamento que funcionam melhor para cada tipo de TPM:

TPM A

A melhor maneira de amenizar o estrese e a ansiedade da TPM tipo A é praticando exercícios físicos, além de manter uma dieta adequada. A atividade física ajuda a liberar endorfinas, hormônios que dão sensação de prazer. Para casos mais graves, existem alguns medicamentos, como os ansiolíticos, que podem ser usados para amenizar os sintomas. Mas só um médico, que pode ser o ginecologista, o endocrinologista ou um psiquiatra, poderá passar o melhor tratamento para o paciente.

TPM C

Para amenizar esse tipo de sintoma, primeiramente deve-se tentar fazer escolhas alimentares mais saudáveis ou então praticar atividade física - que também pode ajudar a amenizar a dor de cabeça.

Manter uma dieta equilibrada e rica em ômega 3, presente nos peixes e frutos do mar, pode ajudar a controlar essa compulsão. O uso de ansiolíticos e alguns medicamentos para compulsão em casos específicos também pode ser receitado. Algumas mulheres relataram que suplementos como ômega 3 e óleo de prímula ajudam na redução dos sintomas de desejo.

A enxaqueca e dor de cabeça pode ser prevenida com o uso de medicamentos, como o topiramato. Mas só um médico poderá receitá-lo. Além disso, o uso de anticoncepcional de baixa dose também pode ser utilizado, ou mesmo analgésicos comuns focados para o alívio da dor.

TPM D

Se os sintomas de depressão e tristeza forem graves, pode ser receitado o uso de antidepressivos. No entanto, geralmente os sintomas podem ser controlados com uma dieta equilibrada, prática de atividade física e cessação de vícios, como álcool e tabaco.

TPM H

Em alguns casos o uso de diuréticos pode ser necessário para combater a retenção de líquido. No entanto, o principal é reduzir o consumo de alimentos que promovem a retenção de líquidos, como sal e cafeína. Isso ajuda a reduzir o inchaço e sensibilidade.

TPM O

A liberação de agentes inflamatórios relacionados com o fluxo menstrual pode interferir no fluxo intestinal e causar dores, como cólicas. O uso de anti-inflamatórios nos dias que precedem o fluxo menstrual e nos primeiros dias pode ajudar a regularizar.

Devido à retenção hídrica o organismo pode tentar se autorregular, levando ao aumento na frequência de urina. Reduzir o consumo de sódio é a principal medida.

Já os fogachos e sudorese fria, se forem realmente incômodos, podem ser tratados com o uso dos anticoncepcionais de baixa dosagem. Isso evita as oscilações hormonais maiores e com isso previne as queixas relacionadas aos fogachos.

A acne terá tratamento local para redução da oleosidade e uso de anticoncepcional com ação antiandrogênica, ou seja, bloquear a ação hormonal masculina sobre a pele.

As náuseas e infecções do trato respiratório têm um tratamento preventivo mais global, com prática exercícios, redução de sal, cafeína, álcool, açúcar e cigarro.

Anticoncepcionais x TPM

Mulheres que tem sintomas leves podem se beneficiar do uso de anticoncepcionais para eliminar a TPM. Isso porque os medicamentos mantem os níveis de estrógeno sempre elevados, evitando a queda brusca que ocorre antes da menstruação e causa dos sintomas. Os anticoncepcionais sem pausa são os que mais beneficiam nesse quesito. No entanto, é preciso ficar atenta: anticoncepcionais com altas taxas de hormônio podem ter efeito contrário, pois quando a mulher faz a pausa os níveis de estrógeno sofrem uma queda brusca, podendo causar e agravar a TPM. O melhor a fazer é conversar com seu ou sua ginecologista.

TPM severa

Para TPM severa, também chamada de desordem disfórica pré-menstrual, o médico ou médica pode receitar uma injecção de acetato de medroxiprogesterona. No entanto, esse medicamento pode causar um aumento de alguns dos mesmos sinais e sintomas experimentados na TPM, tal como o aumento do apetite, ganho de peso, dor de cabeça e humor deprimido.

Medicamentos para TPM

Os medicamentos mais usados para amenizar os sintomas de TPM são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

O primeiro passo para gerenciar TPM é manter um diário menstrual. Anote o tipo de sintomas que você tem, se são graves, quando a menstruação ocorre e quando é sua ovulação. Isso pode ajudar a identificar padrões no ciclo e planejar com antecedência a melhor maneira de lidar com os sintomas.

Você pode seguir essas dicas para lidar com os sintomas da TPM:

Pratique hábitos saudáveis

  • Fazer pelo menos 2 horas e meia de exercícios moderados por semana
  • Comer uma dieta equilibrada, que inclui grãos integrais, proteínas, laticínios de baixo teor de gordura, frutas e legumes
  • Limitar cafeína, álcool, chocolate e sal
  • Considere suplementação de cálcio, ômega 3 e vitamina B6 com seu médico ou médica
  • Parar de fumar

Gerenciando a dor

Usar um medicamento anti-inflamatório não esteroide ou analgésico pode ajudar a aliviar a dor e reduzir o sangramento menstrual. Usar um sutiã com mais apoio, como um sutiã esportivo, pode ajudar a reduzir a dor na área.

Reduzindo o estresse

  • Tente algumas técnicas de relaxamento, tais como exercícios de respiração, yoga ou massagem terapêutica
  • Pratique uma melhor gestão do seu tempo e tente dormir o suficiente
  • Crie um sistema de apoio. Junte-se a um grupo de apoio sobre TPM e busque o apoio de seus amigos e familiares

Complicações possíveis

Algumas mulheres sofrem com sintomas tão fortes durante a TPM que podem se tornar incapacitantes. Nesse caso, a TPM é classificada como uma doença chamada de desordem disfórica pré-menstrual. Em alguns casos pode ser que ela nem consiga levantar da cama, de tanta dor. Nesse caso, o tratamento médico deve ser feito de perto, com medicamentos para controle dos sintomas específicos.

Prevenção

Prevenção

Não é possível prevenir a TPM. No entanto, algumas mudanças de hábitos podem contribuir para os sintomas sejam mais brandos. Confira:

  • Fazer pelo menos 2 horas e meia de exercícios moderados por semana
  • Comer uma dieta equilibrada, que inclui grãos integrais, proteínas, laticínios de baixo teor de gordura, frutas e legumes
  • Limitar cafeína, álcool, chocolate e sal
  • Considere suplementação de cálcio, ômega 3 e vitamina B6 com seu médico ou médica
  • Parar de fumar

Fontes e referências

  • Revisado por: Dr. Linus P. Fascina, Superintendente Médico Hospitalar do Sepaco – CRM 60529 SP
  • Ministério da Saúde
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não