Tumor na hipófise

Visão Geral

O que é Tumor na hipófise?

O termo "tumor" se refere a um aumento excessivo de tecido em alguma área do corpo quando uma massa de células cresce em um espaço reduzido, o que leva à compressão e lesão de outras células saudáveis. Um tumor pode ser benigno, com pouca chance de se espalhar por outras partes do organismo, ou maligno, quando há grande proliferação de células anormais e invasão das estruturas vizinhas.

Um tumor na hipófise ocorre, portanto, quando há o aumento excessivo de tecido e células dentro da hipófise, a glândula responsável pela secreção de alguns hormônios muito importantes para nosso organismo.

A hipófise é uma das áreas da cavidade craniana menos afetada pelo crescimento anormal de tecidos e células. No entanto, quando ocorrem, a grande maioria dos casos é de tumor não-canceroso (adenomas). Estes, geralmente, permanecem dentro da hipófise e não se espalham para outras partes do corpo.

A hipófise

A hipófise, também chamada de glândula pituitária, é uma glândula localizada na base do crânio e que é responsável pela produção de diversos hormônios, atuando, também, de maneira indireta no funcionamento de vários órgãos de nosso corpo.

Apesar de ser muito pequena (mais ou menos do tamanho de uma ervilha), a hipófise é dividida em duas partes: a neuro-hipófise, que regula os níveis de água do sangue e estimula as contrações do parto, por exemplo, e a adeno-hipófise, que produz seis hormônios distintos. Veja quais são:

  • Hormônio do crescimento (somatotrofina)
  • Hormônio estimulante da tireoide (tireoideotrófico)
  • Hormônio da produção do leite (prolactina)
  • Hormônio adrenocorticotropina, que regula a atividade glândula suprarrenal, que, por conseguinte, produz o hormônio cortisol
  • Hormônios gonadotrópicos (FSH e LH), responsáveis pela regulação do crescimento, puberdade, pressão arterial e processos reprodutivos.

Sinônimos

Tumor pituitário

Tipos

A hipófise pode desenvolver vários tipos de tumores, tanto benignos quanto malignos, embora a maioria seja benigna.

Os tipos mais frequentes de tumores são os adenomas - formações benignas de tecido glandular que são provocadas por mutações isoladas de células hipofisárias normais. Em alguns casos essas mutações podem ser transmitidas hereditariamente, dos pais para os filhos.

Outro tipo de tumor que pode ocorrer, porém com menor incidência, é o craniofaringeoma, que se origina dos restos embrionários das células que deram origem à glândula. Normalmente, trata-se de um tumor congênito presente desde o nascimento, mas que pode se desenvolver lentamente até a idade adulta sem que o paciente apresente sintomas. Na maioria dos casos ele é um tumor benigno, porém, devido à sua alta aderência às estruturas adjacentes, pode apresentar um comportamento maligno.

Causas

Os motivos pelos quais acontece esse crescimento anormal de tecidos e células da hipófise permanecem desconhecidos.

Uma pequena porcentagem dos casos de tumor na hipófise ocorre em pessoas com histórico familiar da doença, embora a grande maioria não apresente fatores hereditários para a condição. Ainda assim, os pesquisadores acreditam que mutações genéticas possam estar envolvidas nos motivos que levam uma pessoa a desenvolver um tumor na glândula.

Fatores de risco

Embora os tumores na hipófise possam ocorrer em qualquer idade, eles são mais comuns em idosos. Além disso, pessoas com histórico familiar de certas doenças hereditárias, como neoplasia endócrina múltipla do tipo 1 (MEN 1), apresentam mais chances de desenvolver um tumor nesta glândula. Isso acontece porque em MEN I ocorrem múltiplos tumores em várias glândulas do sistema endócrino.

Sintomas

Sintomas de Tumor na hipófise

Um tumor na hipófise pode levar a glândula a produzir quantidades maiores ou menores de hormônios. Qualquer uma das duas alternativas podem causar problemas sérios ao organismo. Tumores grandes, que medem cerca de um centímetro ou mais, são conhecidos como macroadenomas. Tumores menores são chamados microadenomas.

Pressão exercida pelo tumor

Os macroadenomas podem exercer pressão sobre a hipófise e sobre estruturas vizinhas também. Os principais sinais e sintomas de pressão exercida por um tumor pituitário podem incluir:

Mudanças hormonais

Alguns tumores pituitários, chamados de tumores de funcionamento, também produzem hormônios. Geralmente, eles levam a uma produção excessiva de hormônios. Além disso, diferentes tipos de tumores podem desenvolver-se na hipófise, levando ao surgimento de sinais e sintomas específicos e, por vezes, a uma combinação deles.

Um tumor na hipófise pode afetar diretamente a produção de hormônios pela glândula. Cada hormônio produzido pela hipófise, se sofrer alguma alteração, tanto para mais quanto para menos, pode levar ao surgimento de alguns sinais e sintomas específicos. Veja:

Hormônios adrenocorticotropina

Tumores que afetam a produção de hormônio adrenocorticotropina podem levar a alterações no funcionamento de glândulas suprarrenais, responsáveis pela produção de cortisol. Síndrome de Cushing é a principal consequência deste problema.

Hormônios de crescimento

O tumor, quando afeta a produção de hormônio do crescimento, pode fazer com que a glândula o produza em excesso. Os efeitos do excesso de hormônio de crescimento (acromegalia) podem incluir:

  • Características faciais específicas
  • Mãos e pés maiores que o normal
  • Sudorese em excesso
  • Alto nível de açúcar no sangue
  • Problemas de coração
  • Dor nas articulações
  • Dentes desalinhados
  • Aumento do crescimento de pêlos no corpo
  • Crescimento acelerado e excessivo, principalmente em crianças e adultos.

Prolactina

A superprodução de prolactina a partir de um tumor na hipófise (prolactinoma) pode causar a diminuição nos níveis normais de hormônios sexuais estrogênio mulheres e testosterona. Veja:

Sintomas relacionados ao estrogênio:

  • Períodos menstruais irregulares
  • Ausência de períodos menstruais
  • Interrupção da produção de leite pelas glândulas mamárias.

Sintomas relacionados à testosterona:

Hormônios estimulantes da tireoide

Quando um tumor na hipófise faz com que a glândula produza hormônio estimulante da tireoide em excesso, a glândula que fica localizada na traqueia passa a produzir quantidades excessivas do hormônio tiroxina. O tumor na tireoide é uma causa rara de hipertireoidismo ou de outra doença que acometa a tireoide. Veja os principais sinais e sintomas deste problema:

  • Súbita perda de peso
  • Batimentos cardíacos rápidos ou irregulares (arritmia)
  • Nervosismo ou irritabilidade
  • Evacuações frequentes.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Se você apresentar sintomas que possam estar relacionados a alterações hormonais, marque uma consulta com um especialista o quanto antes para que a causa exata possa ser determinada.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar um tumor na hipófise são:

  • Clínico geral
  • Endocrinologista
  • Oncologista
  • Neurologista
  • Nefrologista
  • Ginecologista
  • Urologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quais são seus principais sintomas?
  • Quando você notou o surgimento de seus sintomas?
  • Qual a intensidade dos seus sintomas?
  • Você já foi diagnosticado com alguma condição de saúde? Qual?
  • Você faz uso de algum medicamento? Qual?
  • Você está passando por algum tipo de tratamento? Qual?
  • Você já sofreu alterações hormonais antes?
  • Quais alterações hormonais você está sentindo?
  • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas? Funcionou?

Diagnóstico de Tumor na hipófise

Alguns exames podem ajudar o médico a realizar o diagnóstico de um tumor na hipófise. Veja:

  • Exames de sangue e urina. As análises de amostras de sangue e de urina podem mostrar se você tem uma superprodução ou deficiência de hormônios
  • Imagens do cérebro. Ressonância magnética ou uma tomografia computadorizada podem ser realizadas para ajudar o médico a avaliar a localização e o tamanho do tumor em sua hipófise
  • Testes de visão, que podem determinar se o crescimento de um tumor na hipófise tem prejudicado a visão ou a visão periférica.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Tumor na hipófise

O tratamento para um tumor da hipófise depende do tipo de tumor, do tamanho e de até onde ele cresceu dentro do cérebro. A idade e saúde geral do paciente também são fatores que ajudam a determinar o tipo de abordagem para o tratamento. Como os tumores na hipófise podem causar sérios problemas, colocando pressão sobre o cérebro, o tratamento muitas vezes é necessário e até mesmo urgente. A detecção precoce de tumores da hipófise é a chave para o sucesso do tratamento.

Há três abordagens possíveis para tratar um tumor na hipófise: cirurgia, terapia de radiação e uso de medicamentos específicos para alterações hormonais. Eles podem ser adotados isoladamente ou em conjunto com outros tipos de tratamentos. O principal objetivo, aqui, é controlar a produção de hormônios pela hipófise e remover o tumor completamente.

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

Os tumores na hipófise geralmente não crescem muito e nem se espalham para outras estruturas vizinhas. No entanto, eles podem afetar negativamente sua saúde, podendo causar perda de visão, deficiência permanência de hormônios, diabetes insupidus (que provoca quantidade excessiva de urina e sede intensa e pode levar à desidratação).

Uma complicação rara de tumor na hipófise, mas potencialmente grave, é a apoplexia pituitária, quando ocorre sangramento repentino no tumor. Apoplexia pituitária requer tratamento de emergência, geralmente com corticosteroides e eventual cirurgia.

Expectativas

Tumores na hipófise são perfeitamente tratáveis e o resultado do tratamento costuma ser animador. Além disso, se o tumor puder ser removido cirurgicamente, o prognóstico varia de satisfatório a bom, dependendo se o tumor será totalmente removido ou não – o que geralmente ocorre.

Prevenção

Prevenção

Não existem formas conhecidas de se prevenir um tumor na hipófise.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
  • Mayo Clinic
  • Hospital Israelita Albert Einstein
  • UCLA Pituitary Tumor Program
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não