PUBLICIDADE

Comer carboidratos por último pode ser mais benéfico para os diabéticos, diz estudo

Ingerir os alimentos dessa forma evita picos de glicemia e excesso de insulina liberado no corpo

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

O diabetes nada mais é do que a ineficácia do corpo em colocar a glicose para dentro das células, onde ela ajudará na síntese de energia. Isso pode acontecer por uma deficiência do pâncreas que deixa de produzir a insulina, hormônio responsável por esse transporte (no diabetes tipo 1), ou por que há uma resistência do corpo a esse hormônio (no diabetes tipo 2). De qualquer forma, quanto mais gradualmente a glicose entrar na corrente sanguínea por vez, melhor para o diabético! Por isso que a alimentação regrada é tão importante para quem tem essa doença.

E falando em regras de alimentação, especialistas acreditam ter encontrado uma nova regra para melhorar a forma como os diabéticos se alimentam. De acordo com um estudo publicado na revista científica Diabetes Care, a ordem em que se ingere os alimentos ajuda na distribuição da glicose. Para os especialistas, o ideal é que o consumo dos carboidratos seja feito por último, privilegiando primeiro as proteínas, vegetais e gorduras do prato.

Para chegar a essa conclusão, os estudiosos da Weill Cornell Medical College, em Nova York, Estados Unidos, monitoraram duas refeições de 11 pessoas com obesidade e diabetes tipo 2. No primeiro dia, eles mediram a glicemia de jejum de cada um deles, 12 horas após eles terem feito a última refeição no dia anterior. Depois, eles ofereceram uma refeição em que os estudados comeriam primeiro uma fonte de carboidrato, e 15 minutos depois ingeririam vegetais e itens ricos em proteínas e gorduras. Depois, foi medida a glicemia pós-prandial nos intervalos de 30, 60 e 120 minutos. Na semana seguinte, a mesma rotina foi empregada, só que a refeição começava com os vegetais e fontes de proteína e gordura e 15 minutos depois eles ingeriram os carboidratos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ao comparar a glicemia pós-prandial dos voluntários em ambas as ocasiões, os especialistas perceberam que os níveis de glicose eram muito menores quando vegetais e proteínas eram consumidos primeiro. A glicemia pós-prandial foi 29%, 37% e 17% menor nos intervalos de 30, 60 e 120 minutos respectivamente. Os níveis de insulina também eram menores após as refeições em que os carboidratos eram colocados por último.

Para os especialistas, esse estudo mostra que os pacientes diabéticos talvez não precisem cortar definitivamente os carboidratos, apenas ingeri-los de forma e ordem corretas. Dessa forma, isso pode mudar a forma como os médicos orientam a alimentação desses pacientes.

Alimentos aliados

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além desses cuidados, é importante que o diabético tenha uma alimentação balanceada. E alguns alimentos específicos ajudam a manter os níveis de glicose mais baixos. É claro que sozinho nenhum alimento faz milagre, mas em uma dieta balanceada alguns podem promover muitos benefícios para os portadores de diabetes. Conversamos com especialistas e listamos nove alimentos que são aliados dos diabéticos! Confira:

Abacate

Abacate é um ótimo alimento para portadores de diabetes - Foto: Getty Images
Abacate é um ótimo alimento para portadores de diabetes - Foto: Getty Images

O abacate é um ótimo alimento para os portadores de diabetes. Isto porque ele é rico em gorduras monoinsaturadas e também possui poli-insaturadas, ambas gorduras boas para a saúde. "O abacate, assim como as outras gorduras monoinsaturadas como azeite, nozes, castanhas, auxiliam na resistência à insulina e na prevenção de doenças cardiovasculares, o contrário das gorduras saturadas", explica a nutricionista Nicole Trevisan, do ADJ Diabetes Brasil.

Uma pesquisa publicada no The American Journal of Clinical Nutrition concluiu após revisar diversos estudos que as gorduras monoinsaturadas são benéficas para a dieta de quem tem diabetes tipo 1 e 2.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O estudo constatou que este alimento ajuda a reduzir os níveis do colesterol ruim, LDL, e aumentar o bom, HDL, o que é ótimo para os diabéticos que tem maior tendência a desenvolver problemas cardiovasculares. A pesquisa também observou que quando consumidas em quantidades moderadas, as gorduras monoinsaturadas não favorecem o ganho de peso em pessoas com diabetes. Procure ingerir no máximo quatro colheres de sopa de abacate no dia, pois este alimento é muito calórico.

Aveia

A aveia é rica em fibras - Foto: Getty Images
A aveia é rica em fibras - Foto: Getty Images

A aveia é um alimento importante para quem tem diabetes tipo 2, isto porque ela é rica em fibras solúveis. "Este nutriente ajuda a diminuir a velocidade da absorção da glicose, o que irá evitar os picos de glicose. Além disso, ele também controla a absorção do colesterol", explica o nutrólogo Roberto Navarro.

Uma pesquisa publicada no Journal of The American Board of Family Medicine revisou quinze estudos e concluiu que o consumo de fibras por pessoas com diabetes tipo 2 ajuda a reduzir a velocidade da absorção de glicose e por isso, o consumo deste nutriente é benéfico e deve ser encorajado. Para quem não tem diabetes, as fibras também ajudam a prevenir o surgimento da doença e ainda proporcionam saciedade.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Procure não esquentar a aveia, pois ela pode perder alguns nutrientes. Ingira até cerca de quatro colheres de sopa de aveia ao dia.

Peixes de águas profundas e frias

Salmão e outros peixes de águas frias e profundas são ricos em gorduras boas - Foto: Getty Images
Salmão e outros peixes de águas frias e profundas são ricos em gorduras boas - Foto: Getty Images

Os peixes de águas frias e profundas, como o salmão, a sardinha, o atum, a cavalinha e outros, são benéficos para a saúde por serem ricos em ômega 3. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Valência, na Espanha, analisou o consumo de carne e peixe em 945 pessoas entre 55 e 80 anos com alto risco cardiovascular e descobriu que o consumo de peixe, que é rico em ômega 3, está associado a menor incidência de diabetes tipo 2 e a diminuição da concentração de glicose, enquanto o consumo de carne vermelha está relacionado à obesidade.

Os estudiosos acreditam que isto ocorre porque o aumento do ácido graxo nas células dos músculos esqueléticos melhora a sensibilidade à insulina. Outro estudo publicado pela Universidade de Harvard notou que o ômega 3 previne o diabetes tipo 2. Este lipídeo aumenta os níveis de um hormônio chamado adiponectina que é benéfico em processos que afetam o metabolismo, como a regulação do açúcar no sangue e processos inflamatórios.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Esta gordura também ajuda a prevenir doenças cardiovasculares. "Diabéticos tem mais chances de desenvolver este tipo de doença porque o excesso de glicose circulando no nosso sangue, levam a uma oxidação excessiva de vários órgãos, principalmente os vasos sanguíneos", observa Navarro.

Iogurte sem gorduras

Iogurtes sem gorduras são boas opções para a saúde - Foto: Getty Images
Iogurtes sem gorduras são boas opções para a saúde - Foto: Getty Images

Os iogurtes com baixo teor de gorduras são boas alternativas para quem tem diabetes. Isto porque ele terá redução de gorduras saturadas, que em excesso favorecem problemas cardiovasculares, que são especialmente preocupantes para os portadores de diabetes. "Este alimento também é rico em cálcio. Estudos apontam que uma dieta pobre neste nutriente aumenta o acumulo de gorduras. Quando pensamos que boa parte dos diabéticos tipo 2 adquirem a doença devido à obesidade, observamos que há uma correlação indireta entre cálcio e diabetes", conta Navarro.

Além disso, o cálcio também é essencial para a manutenção de ossos e dentes. Os iogurtes ainda são ricos em lactobacilos que contribuem para a melhora da imunidade

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Amêndoas

Amêndoas são fontes de gorduras boas  - Foto: Getty Images
Amêndoas são fontes de gorduras boas - Foto: Getty Images

A amêndoa é uma ótima opção para a saúde de quem tem diabetes. Isto porque ela é rica em gorduras boas, monoinsaturadas e poli-insaturadas. Além disso, esta oleaginosa possui boas quantidades de magnésio. "Caso o diabético tenha crises de glicose muito elevada, ela será excretado na urina e junto sairão alguns nutrientes como o magnésio. Por isso, é importante que diabéticos que não se cuidam reponham o magnésio", explica Navarro.

Uma pesquisa publicada na revista científica Diabetes Care e feita com mais de 500 mil pessoas concluiu que o consumo de magnésio ajuda a reduzir o risco de diabetes tipo 2. A orientação é consumir até cerca de quatro unidades de amêndoas no dia.

Leguminosas

Entenda como as leguminosas são benéficas para os diabéticos - Foto: Getty Images
Entenda como as leguminosas são benéficas para os diabéticos - Foto: Getty Images

As leguminosas, como o feijão, a lentilha, o grão de bico e a ervilha são boas alternativas porque são ricas em fibras, que irão ajudar a diminuir a velocidade com que a glicose é absorvida. Além de serem fontes de proteínas. Procure ingerir até duas porções de leguminosas por dia.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Farinhas funcionais

As farinhas funcionais são ricas em fibras - Foto: Getty Images
As farinhas funcionais são ricas em fibras - Foto: Getty Images

As farinhas funcionais como a de amora, berinjela, banana verde e coco, são benéficas para os diabéticos e para prevenir esta doença. Isto porque elas são ricas em fibras solúveis, que irão evitar os picos glicêmicos e consequentemente da produção de insulina. Quanto mais picos glicêmicos e de insulina os diabéticos tiverem, maior será a piora do quadro. "A farinha de banana verde ainda estimula o crescimento de bactérias benéficas na flora intestina", ressalta Navarro.

Linhaça e chia

Ambas as sementes são saudávies e ajudam a emagrecer - Foto: Getty Images
Ambas as sementes são saudávies e ajudam a emagrecer - Foto: Getty Images

A chia e a linhaça possuem fibras solúveis que estão relacionadas com a prevenção e também são boas para quem tem diabetes. Isto porque como todos os alimentos ricos em fibras, elas vão evitar que ocorram os picos de glicose e da produção de insulina. "Além disso, elas possuem ômega 3, ácido graxo que é benéfico para quem tem diabetes", destaca Navarro.

Batata yacon

A batata yacon é uma ótima opção para quem tem diabetes - Foto: Getty Images
A batata yacon é uma ótima opção para quem tem diabetes - Foto: Getty Images

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Franca (UNIFRAN), em São Paulo, afirma que o consumo diário de batata yacon pode ajudar no controle da glicemia em portadores de diabetes tipo 2. Isto porque o alimento é rico em um carboidrato chamado frutooligossacárico que age de forma semelhante as fibras no nosso organismo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Um carboidrato simples pode ser rapidamente ingerido pelo organismo, aumentando as taxas de glicose e insulina, enquanto no caso do carboidrato da batata yacon ocorre o contrário. O corpo não consegue quebras as moléculas desse carboidrato com tanta facilidade e por isso a absorção é mais lenta.