PUBLICIDADE

Chocolate meio-amargo ajuda na prevenção de doenças cardíacas

A atuação positiva pode ser notada em apenas 15 dias de consumo

Incluir chocolate meio-amargo diariamente na dieta traz vantagens a quem quer passar longe das doenças cardíacas. Segundo um estudo publicado na revista científica Journal of Nutrition, alguns gramas de chocolate meio-amargo enriquecido com flavonóides, consumidos todos os dias durante duas semanas, podem reduzir os riscos de doenças cardiovasculares.

A pesquisa das universidades de L Aquila, na Itália, e Tufts, em Boston, informa que os compostos conhecidos como flavonóides estão presentes no principal ingrediente do chocolate, o cacau. Eles são os responsáveis pela ação benéfica do alimento.

O que acontece de fato é que os flavonóides impulsionam o aumento da produção de óxido nítrico, uma substância química produzida pelo corpo que atua no relaxamento e dilatação das artérias. O consumo de chocolate enriquecido com os compostos ajudaria, então, na redução da pressão sanguínea e da resistência à insulina. Os dois fatores contribuem para diminuir o risco de doenças cardíacas. (Faça uma avaliação nutricional gratuita e previna-se de doenças cardíacas).

O estudo foi baseado nas informações de 11 homens e oito mulheres que apresentavam problemas de pressão alta e resistência à insulina. Os participantes foram divididos em dois grupos: o primeiro consumiu 6 gramas diários de chocolate meio-amargo durante duas semanas, enquanto o segundo, a mesma quantidade de chocolate branco.

Passados 15 dias, os pesquisadores observaram que a pressão sanguínea dos participantes do primeiro grupo caiu de maneira significativa. Nas pessoas do segundo grupo, nenhuma mudança foi verificada.

Pesquisas anteriores já haviam identificado os benefícios do cacau enriquecido com flavonóides na redução dos riscos de problemas cardíacos. Porém, os pesquisadores ressaltam que o estudo atual mostra seus efeitos a curto prazo.

Vale, no entanto, tomar alguns cuidados na hora do consumo para que as propriedades nutritivas do chocolate não se transformem em inimigas. A nutricionista Fabiana Honda, da Consultoria Nutricional Patricia Bertolucci, aconselha a fugir dos produtos que abusam da gordura hidrogenada para substituir o cacau. Para isso, confira as proporções no rótulo.

Por se tratar de um alimento de alto índice glicêmico, e preferível consumir o chocolate logo após as refeições. Fabiana explica que, quando ingerido após longos períodos de jejum, ele e prontamente transformado em glicose e absorvido mais rapidamente, despertando a fome pouco tempo depois.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)