PUBLICIDADE

Ódio ao coentro é genético, revela pesquisa

Desgosto ao tempero e sensação de "comer sabão" reflete alteração genética

Com gosto intenso e bastante particular, há quem ame, mas há também quem odeie coentro - difícil é encontrar alguém indiferente. Porém, estudos apontam que os haters desta erva aromática, muito usada em pratos latino-americanos e indianos, podem ter uma alteração genética que explica tal desgosto.

'Coentrofóbicos' sentem cheiro e gosto de sabão

O ódio ao coentro começa primeiramente no olfato. A conclusão é do cientista Nicholas Ericksson, da Universidade de Chicago, que afirma que os "coentrofóbicos" têm uma sensibilidade ao aldeído em seus receptores olfativos. Contudo, Ericksson ressalta que gostar ou não de coentro não tem fator hereditário.

Vale lembrar que o aldeído é um composto orgânico presente na canela, baunilha e até mesmo no sabão - por isso, o coentro se torna insuportável ao paladar dessas pessoas, que muitas vezes relatam que coentro tem gosto de produto de higiene.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Povos menos tolerantes ao coentro

Povo Taxa de rejeição ao coentro
Orientais 21%
Europeus 17%
Afrodescendentes 14%
Latino-americanos, indianos e povos do Oriente Médio 3 a 7%

A pesquisa liderada por Ericksson ainda revelou quais são as populações que mais rejeitam o coentro. Veja na tabela acima.

O estudo revela que judeus, afro-americanos, europeus e orientais são aqueles que costumam sentir o gosto do coentro mais associado a sabão. Então, têm maior aversão à erva.