PUBLICIDADE

Açúcar pode auxiliar no desempenho sexual masculino

Glicose determina nível de testosterona em diabéticos

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Pesquisadores da The Endocrine Society's, testaram o nível de testosterona em diabéticos.O estudo envolveu 74 homens, sendo 42 deles normais, 23 com insuficiência níveis de açúcar no sangue ("pré-diabetes") e nove recém-diagnosticados com diabetes tipo 2.

Cada um dos pacientes bebeu uma solução açucarada (75 gramas de glicose pura), que geralmente provoca um aumento de níveis de açúcar no sangue. Após a ingestão de tal líquido, percebeu-se um aumento significativo no nível de testosterona dos pacientes, hormônio responsável pela libido masculina, independente de seu quadro clínico.

Segundo o Dr. Hayes, endocrinologista do St. Vincent's University Hospital, em Dublin, na Irlanda, tais resultados representam um avanço importante para o tratamento da saúde sexual dos homens, em especial dos diabéticos, já que seus resultados levantam suspeita de que eles possam apresentar uma disfunção hormonal chamada hipogonadismo, ou seja, baixa produção de testosterona, em função do diabetes.

Se, nos diabéticos, a produção de testosterona é proporcional ao aumento da ingestão de glicose, deve-se optar pela reposição deste hormônio masculino e por uma reeducação alimentar para haja um equilíbrio na produção destas substâncias e um desempenho sexual satisfatório por parte destes pacientes.

Contudo, é melhor ir com calma, pois, a reposição hormonal requer alguns cuidados.. Sobre ela, o especialista em reprodução assistida do Minha Vida, Edson Borges Júnior, explica que "Cada caso requer uma conduta individualizada, a importância do exame preventivo fica clara. A avaliação correta requer uma série de exames laboratoriais e de imagens, e o tratamento, por vezes, requer a formação de uma equipe multidisciplinar, composta por urologistas, clínicos gerais e endocrinologistas."