PUBLICIDADE

Quem sofre de enxaqueca tem memória melhor

Estudo identificou relação entre dor e armazenamento de informação

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Estudo feito pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, identificou que a memória de quem sofre de enxaqueca é muito melhor do que a das pessoas que não são acometidas pela dor de cabeça crônica.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCE), estima-se que o mal atinja de 12% a 15% da população geral, com uma prevalência de 17% entre as mulheres. "A enxaqueca é uma doença neurológica crônica e caracteriza-se por crises de cefaleia recorrentes, que duram entre 4 e 72 horas", explica o médico do Ambulatório de Cefaleias da Faculdade de Medicina do ABC, André Leite Gonçalves.

Foram testados cerca de 1500 voluntários com idades entre 40 e 50 anos. O estudo identificou que a capacidade cognitiva dos portadores da doença foi bem menor que o daqueles que não possuíam crises de enxaqueca.