PUBLICIDADE

Cuidado com os tratamentos estéticos oferecidos via internet

Procedimentos podem causar queimaduras e cicatrizes irreversíveis

O "peeling" é usado em casos que o médico diagnostica que o paciente necessita de um procedimento que renove as células da pele, especialmente das camadas mais superiores. Pode ser utilizado como medida de rejuvenescimento da pele, para tirar manchas ou cicatrizes de acne, ou para retirar lesões pré-malignas da pele.

É só o tempo esfriar que inúmeras clinicas de estética e salões de beleza, localizadas tanto nos bairros mais elegantes, quanto na periferia das grandes cidades, começam a oferecer "peelings" e tratamentos faciais e corporais de diversos tipos, indiscriminadamente, sem acompanhamento médico. Pela internet , ou mesmo através de folhetos e anúncios publicitários, diariamente nos chegam "promoções" tentadoras e perigosas, sem qualquer controle de organismos competentes para inibí-las e puní-las. Prometem resultados impossíveis , geram expectativas falsas que , muitas vezes , transformam-se além de grandes frustrações, em cicatrizes e queimaduras irreversíveis. Infecções por herpes simples e

inflamações são ocorrências comuns, devido à irresponsabilidade e ignorância de quem aplica os peelings.

Alguns desses tratamentos propostos e, muito particularmente, os "peelings", não podem e não devem ser administrados por leigos, por quem não tenha o mínimo conhecimento de como manipular e aplicar soluções quimicas que podem, inclusive, deformar o rosto e o corpo de uma pessoa. Não basta um simples curso de esteticista para habilitar alguém a descamar a pele de um cliente.

Somente um médico, dermatologista ou com curso de especialista em Medicina Estética, tem preparo e capacidade para escolher o melhor produto químico e na concentração adequada para cada caso de "peeling". Se houver reações e efeitos colaterais à aplicação do produto, o médico saberá como tratar seu paciente, sem arriscar sua saúde. Mesmo nos peelings superficiais, é importante avaliar a capacidade de resposta e cicatrização da pele, além da relação custo - benefício do procedimento em questão.

Quem se submete a esse tipo de tratamento, deve entender todo o processo, conhecer suas etapas e limitações, saber qual a duração prevista e o que é necessário fazer em cada fase do "peeling" , tanto no preparo da pele, antes da aplicação do produto, quanto os cuidados no período de recuperação . Para evitar a frustração do paciente, também é fundamental que o médico lhe dê uma expectativa real do resultado esperado.

Os pacientes de pele clara, louros, morenos-claro, são os que têm menor risco de hiperpigmentação ou hipopigmentação. Já os de pele morena ,também podem ser submetidos aos peelings, mas o preparo e os cuidados com a pele , tanto antes, quanto depois do procedmento, devem ser maiores. Vivemos uma época de forte culto à imagem; precisamos tanto frear essa loucura desvairada em busca de uma perfeição que inexiste, quanto colocar um filtro e um limite para tudo o que é oferecido sem critério.



Dr. Valcinir Bedin é dermatologista e Presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo

Para saber mais, acesse: www.doutorbedin.com.br