PUBLICIDADE

Como escolher um bom cirurgião plástico?

Utilizar de critérios referenciais rígidos é importante na hora de se submeter a cirurgias plásticas

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

A cirurgia plástica exige limites e critérios rígidos de avaliação. Por isso, a escolha do cirurgião plástico implica na decisão de priorizar um profissional que, além de ter amplo conhecimento científico sobre a técnica mais adequada, priorize o bom senso, respeitando os limites da Medicina.

No primeiro contato com o paciente na clínica é preciso estabelecer valores éticos. A seriedade do profissional é determinante para a boa relação médico-paciente, pois a ética é reconhecer a necessidade e indicar o procedimento adequado.

A atitude mais correta de um bom cirurgião plástico é informar com conhecimento de causa sobre o procedimento, resultados efetivos e reais benefícios, além dos cuidados no pré e pós-operatório. Nesse contexto, o médico deve ser criterioso sobre exageros em nome da beleza, com muitas intervenções que podem ser abusivas. E deve até recusar esse tipo de paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Por isso, critérios na escolha do médico devem reger a relação médico-paciente - e a empatia e a confiança entre ambos são primordiais. Além disso, o profissional deve ser especializado em cirurgia plástica e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

É importante também buscar referências do especialista e averiguar se a clínica ou hospital está autorizado pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a realização do procedimento cirúrgico, que exige maior aparato médico-hospitalar.

Nunca é demais ressaltar: não são permitidos procedimentos operatórios em consultórios médicos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além disso, o médico deve solicitar ao paciente, antes de qualquer procedimento, uma série de exames que vão atestar as reais condições de saúde, possibilitando a intervenção cirúrgica e plástica. Em conjunto, é essencial uma avaliação estética da cirurgia para saber se a mudança desejada é realmente possível ou se a correção do problema não tem solução estética efetiva. O paciente precisa estar consciente da real necessidade de se submeter ao procedimento de cirurgia plástica.

Portanto, é importante adotar critérios rígidos de avaliação, como reconhecer o bom profissional, o local adequado, ter conhecimento satisfatório sobre o procedimento e nunca ter dúvidas sobre a técnica a ser aplicada, desde a mais conhecida e consagrada, até a mais moderna e avançada. Nesse contexto, o médico é peça fundamental e determinante.

Seguindo essa premissa, o médico deve deixar claro para o paciente que não existem milagres dentro do espectro da cirurgia plástica.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O conhecimento aprimorado, experiência profissional, cuidados e avanços vão determinar o resultado satisfatório, afastando problemas de saúde ou frustrações pessoais do paciente. Por isso é importante que o médico esteja em constante reciclagem, participando de congressos e palestras ou apresentação de trabalhos e publicações, bem como ter um número expressivo de cirurgias já realizadas.