PUBLICIDADE

Depilação: como escolher o melhor método para você e cuidados necessários

Diferentes técnicas contribuem para diminuição dos pelos e podem ser feitas em qualquer lugar do corpo

Se você tem o hábito de fazer depilação, seja com cera, lâmina ou a laser, sabe que em alguns casos essa tarefa pode ser demorada, dolorosa e até mesmo causar alergias dependendo da agressividade do método. Portanto, antes de fazer uma depilação é preciso conhecer as diferentes técnicas e saber se são recomendáveis para o seu tipo de pele.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Então, se tem interesse em descobrir como os tipos de depilação são realizados, quais os cuidados antes e depois, prepara-se para sanar todas essas e muitas outras questões abaixo; confira:

O que é a depilação?

Os métodos de depilação foram inventados milênios atrás, porém acabou só se popularizando no início do século XX. A depilação é um processo para eliminação de pelos e, de acordo com a dermatologista Analupe Webber, deve ser feito, dependendo do método escolhido, com acompanhamento médico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tipos de depilação e como são feitos

Lâmina

Além de barato, raspar os pelos no chuveiro é muito prático, especialmente quando não há tempo de esperá-los crescer. Ao contrário do que muita gente pensa, a lâmina não faz com que os fios engrossem, mas de qualquer forma essa técnica não é indicada para a depilação do buço.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O método é o menos agressivo, desde que se tenha o cuidado de evitar passar a lâmina no sentido contrário ao do crescimento dos pelos para não encravarem.

Outra dica é preparar a pele com cremes de barbear ou produtos próprios para depilação e aguardar três minutos para os fios amolecerem. Evite sabonete, hidratante e condicionador, que não têm esta finalidade e podem provocar alergia. Rápida e indolor, esta depilação corta os pelos rente à pele, por isso, eles crescem em um ou dois dias.

Cremes depilatórios

Os cremes depilatórios possuem quase o mesmo efeito das lâminas, pois dissolvem o pelo e não eliminam a raiz. Esses produtos têm tioglicolato na fórmula, uma substância química utilizada no alisamento de cabelos que quebra a estrutura do fio até que ele seja destruído, deixando a superfície da pele lisinha.

Este químico também pode inibir um pouco a velocidade de crescimento do pelo, o que pode aumentar seu intervalo de reaparecimento para até cinco dias após o uso. Os cremes ainda costumam possuir ativos hidratantes, como óleos e manteigas, além da vitamina E, que combatem o ressecamento do corpo ao mesmo tempo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No entanto, embora os creme depilatórios sejam indolores, é sempre recomendado fazer um teste antes de usar esse tipo de produto. Aplique um pouco do creme na parte de trás do braço e espere 24 horas para ver se há alguma reação. Para fazer a depilação, é só seguir as instruções do fabricante. É importante controlar o tempo de aplicação à risca.

Deixar o cosmético em contato com a pele por mais tempo não melhora o resultado, pelo contrário, pode causar danos graves à pele. E, apesar das fórmulas estarem mais modernas, não são indicadas para regiões íntimas, pois o cheiro e o composto químico ainda é muito forte. Peles sensíveis também exigem atenção redobrada.

Ceras (quente e fria)

Essa é provavelmente a técnica mais dolorosa e demorada. Em compensação, o resultado é duradouro: até 20 dias, mas é preciso esperar que os fios estejam com um certo comprimento para que possam ser removidos. O ideal é que tenham mais de 0,5 centímetros para que colem na cera e saiam mais facilmente, com menos puxadas e agressões. Entretanto, atualmente já existem no mercado produtos com camomila e aloe vera, que ajudam a acalmar as peles mais sensíveis.

Além disso, com o tempo, os pelos começam a nascer mais finos e a raiz tende a enfraquecer, diminuindo a quantidade. A facilidade para o surgimento de pelo encravado se deve a este enfraquecimento ou ao descuido na hora de puxar a cera na direção contrária ao nascimento da raiz. Para ajudar, use um esfoliante corporal um ou dois dias antes da depilação. Remover as células mortas ajuda a liberar os pelos que ainda estão com dificuldade para sair.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Aparelhos elétricos

Diferentemente dos aparelhos de barbear masculinos, essas máquinas não cortam o pelo como uma lâmina. Graças a um rolamento no cabeçote, os fios são arrancados pela raiz sem afetar as camadas de proteção da pele, o que é higiênico.

Por arrancar os fios pela raiz, a opção pode durar até 25 dias e é ótima para onde os pelos crescem em diversas direções, como nas axilas. As desvantagens dos aparelhos elétricos são o desconforto (parecem arrancar fio por fio), além de aumentarem a chance de encravar os pelos. Por isso, evite-os se quer eliminar fios mais grossos como os da virilha ou em regiões sensíveis como o buço. Casos de beliscões e hematomas não são raros, portanto, nunca faça a depilação íntima.

Depilação com pinça

A pinça é uma boa alternativa para retirada de poucos pelos em algumas áreas específicas como a região do queixo e sobrancelhas, por exemplo. Mas o principal problema é o trauma que ela pode provocar à pele, quando o uso for contínuo e se você insistir demais para remover os pelos curtinhos. "Tem gente que cutuca os pelos e folículos pilosos todos os dias", conta a dermatologista Cristine Almeida. Essa atitude pode provocar manchas acastanhadas e, muitas vezes, até nódulos e cicatrizes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Se for feita da forma correta, a depilação com pinça não engrossa os pelos. As chances de encravamento são as mesmas que a da cera, já que os pelos também perdem a força e têm dificuldade para chegar à superfície da pele.

Depilação com linha

Apesar de ser muito dolorosa, esse tipo de depilação causa poucos riscos para a pele, pois os pelos são removidos pela raiz. Esse tipo de depilação deve ser feito aproximadamente de 15 em 15 dias, mas o tempo varia de pessoa para pessoa.

Depilação a laser

A depilação a laser é uma técnica de remoção progressiva dos pelos feita através da energia luminosa do laser. Na depilação a laser, o alvo é a melanina, substância responsável pela coloração do bulbo e da haste do pelo, causando dano térmico mínimo ao tecido adjacente. Em pessoas muito sensíveis a dor, é preciso utilizar cremes anestésicos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os tipos de laser mais utilizados para fazer a depilação a laser são o laser Alexandrite, o laser de diodo (800nm) e o laser Nd:YAG (1064nm). De acordo com a dermatologista Teresa Noviello, estudos sugerem que o melhor é o de iodo, que tem uma eficácia maior.

Saiba quais as contraindicações e quantas sessões são necessárias para obtenção de bons resultados!

Fotodepilação

A fotodepilação é uma alternativa para acabar com os pelos a partir de luz pulsada. "Com esse procedimento é possível variar a intensidade e o espectro da luz, tornando o procedimento menos doloroso", diz a dermatologista Regina Schechtman, da Academia Americana de Dermatologia.

Como o alcance da luz é maior, a fotodepilação não atua especificamente no pelo. Por isso, são necessários mais sessões para que se obtenha o efeito desejado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Eletroterapia

A eletroterapia é realizada com um feixe de radiofrequência, diretamente na base do pelo, para gerar um calor no local e a morte desse folículo piloso desde a sua base.

Indicações de depilação para cada parte do corpo

A depilação pode ser feita por qualquer pessoa que se incomode com seus pelos. Contudo, regiões mais sensíveis como virilha, buço e partes íntimas exigem métodos menos agressivos. Aprenda então como escolher o procedimento mais recomendável para cada área da pele, dependendo do seu objetivo:

Pernas

Em geral, mulheres que depilam apenas meia perna utilizam cera fria ou em roll-on. "O resultado é mais satisfatório e nesta área a pele não é tão sensível", explica a depiladora do The Elza, em São Paulo, Fátima de Souza. Já nas coxas e suas partes internas, recomenda-se o uso de cera quente, pois é menos agressivo e dolorido. O calor tende a dilatar os poros, facilitando a remoção dos pelos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Braços

Alguns homens recorrem à depilação de antebraços e região dos bíceps por estética ou para reduzir a sudorese excessiva. Nestes casos, por terem pelos mais grossos e resistentes, as opções de cera fria ou quente em roll-on também são as mais indicadas.

Axilas

O uso constante de lâminas não tende a engrossar os pelos (ao contrário do que muitos pensam), mas a sensação contínua dos fios apenas aparados, que não são arrancados pela raiz, pode gerar desconforto. A saída é alternar métodos de depilação, já que as ceras exigem um certo comprimento dos pelos. As versões quentes também tendem a escurecer a região. Muitos homens têm apostado neste procedimento para reduzir o odor de suor.

Buço

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Só use a pinça caso precise remover um ou outro pelo grosso. Se for depilar, prefira cera morna, que é menos agressiva. Algumas das alternativas para quem já tem o hábito de se depilar sozinho(a), incluem lâminas prontas com cera fria e cremes depilatórios (que não arrancam os fios, apenas os enfraquecem e os mantêm com a raiz). Depile o rosto sempre de três a quatro horas antes de sair de casa, pois a depilação pode acabar causando uma irritação na pele e deixando-a avermelhada.

Peito

Mulheres que possuem pelo no bico dos seios podem removê-los com pinça ou aparar com tesourinha. Se tiver muito pelo, use cera morna. "Homens que recorrem à depilação do tórax também utilizam preferencialmente este método", revela Fátima.

Virilha

É uma região bastante sensível e dolorida para depilar. O uso de lâminas pode provocar alergia e coceira em algumas pessoas, por isso, é mais indicado usar cera morna e descartável. De acordo com Fátima, as alternativas mais pedidas desde sempre são à base de mel e algas marinhas, mas sempre aparecem novidades como as ceras de chocolate e de lama negra. Nesta área do corpo também não se recomenda a remoção de pelos com aparelhos de cera em roll-on ou elétricos.

Região íntima

A depilação cavadíssima (que remove quase ou todos os pelos da região da vagina e do ânus) exige cuidados de higiene e a escolha de um local certificado para fazê-la. Assegure-se de que as ceras e utensílios utilizados, como espátulas, são descartáveis para evitar a contaminação por fungos e bactérias. Se for fazê-la sozinha, evite o uso de lâminas. Como a visibilidade da região íntima é muito ruim, podem acontecer acidentes facilmente, o que aumenta o risco de infecções.

As opções de cremes depilatórios também devem ser usadas com parcimônia. Por serem químicos, podem causar reações alérgicas graves na região das mucosas, que são muito sensíveis. Converse com um dermatologista e faça o teste de pele sempre antes de usá-lo.

A aplicação dói?

Tudo vai depender da técnica utilizada e do seu tipo de pele. De acordo com a dermatologista Analupe Webber, a sensibilidade à dor é subjetiva, então o mesmo procedimento pode ser dolorido para uma pessoa e para outra não. No geral, quem faz depilação a laser ou luz pulsada podem sentir dor, mas é um procedimento rápido e com grande benefício, além disso, a dor pode ser amenizada com produtos anestésicos.

Profissionais que podem fazer

A legislação não define quais são os profissionais aptos a realização de depilação. No entanto, a recomendação é que seja feita com a avaliação de um dermatologista. Os métodos mais convencionais, como lâmina, creme e cera, também podem necessitar de supervisão médica caso surjam complicações no paciente.

"Deve-se procurar um especialista quando há lesão após a depilação. A mais comum é a foliculite, quando a pele fica cheia de bolinhas. As pessoas de pele morena também podem apresentar manchas ao longo do tempo, nas áreas de depilação", diz Analupe Webber.

Quantas sessões são necessárias?

Segundo a dermatologista Renata Suzano, a média de sessões indicada para o procedimento depende do método escolhido: se for depilação definitiva ou temporária. As depilações temporárias são feitas semanal ou mensalmente, enquanto as definitivas pedem entre quatro a oito sessões a cada um ou dois meses.

Cuidados antes e depois da depilação

Alguns cuidados precisam ser tomados antes e depois da depilação para evitar alergias e outras complicações; são eles:

Contraindicações

As principais contraindicações da depilação é:

Além disso, a dermatologista Carla Bortoloto alerta que as grávidas não podem ser submetidas a nenhum procedimento a laser, luz pulsada ou eletroterapia. Não existem estudos científicos de segurança para esse tratamento durante o período gestacional.

Possíveis complicações/riscos

Esse tipo de procedimento pode causar hiperpigmentação e hipopigmentação (manchas escuras e claras na pele), dor, vermelhidão, hipertricose paradoxal (o crescimento repentino dos pelos em vez de sua redução), irritação, coceira e formação de pequenas feridas na pele.

Nestes casos o médico pode recomendar corticoides de uso local, hidratantes e antialérgicos. Por isso, é muito importante que o método seja realizado por um profissional apto.

Resultados da depilação

Métodos de depilação com cera, lâmina e pinça permitem que a pessoa esteja livre dos pelos por alguns dias. Já os recursos tecnológicos, como laser e fotodepilação, são procedimentos com grande eficácia em que os pelos tendem a não voltar, embora o sucesso do tratamento dependa do uso de equipamentos adequados e aplicação correta pelo profissional.

Referências

(1) Renata Suzano, dermatologista

(2) Analupe Webber, primeira-secretária da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Secção RS (SBD-RS)

(3) Flavia Rossato, dermatologista associada da SBD-RS

(4) Carla Bortoloto, médica especializada em dermatologia clínica e cirúrgica, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Clínico Cirúrgica (SBDCC) e da American Academy of Dermatology (AAD)

(5) Fátima de Souza, depiladora do The Elza, em São Paulo

(6) Cristine Almeida, dermatologista da da Sociedade Brasileira de Mesoterapia, de São Paulo