PUBLICIDADE

7 traços para fortalecer dentro de si antes de entrar numa relação

Com algumas mudanças de atitudes e pensamentos, podemos entrar em novos relacionamentos da melhor forma possível

Quando amamos uma pessoa, fazemos o possível para mantê-la conosco. Abrimos exceções, olhamos para o que antes não prestaríamos atenção e tentamos esconder nossas imperfeições. Entretanto, todo esse esforço parece ser em vão quando a relação termina. O fim do vínculo amoroso não apenas nos desgasta, como nos força a olhar para espaços vazios de nossa existência.

O luto e a superação demandam grande energia, e quando viramos a página, ainda sentimos que alguns medos nos acompanham. O receio de passar pelo mesmo trauma é grande, e não é incomum que muitos de nós comecem a se fechar para a vida. Sem perceber, acabamos entrando em um ciclo de inutilidade, em que passamos por momentos bons que não nos fortalecem, e decepções que não nos trazem aprendizados.

Para quebrar essa corrente, é necessário dar alguns passos para trás, e perceber que, antes de se relacionar com o próximo, é preciso ter um bom relacionamento com você mesmo. Veja a seguir, sete traços para fortalecer dentro de si antes de entrar numa relação:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

1. Cultive a autoestima e o autoconhecimento

O valor que atribuímos a nós mesmos pode ditar os caminhos de uma relação, e como ela irá impactar nossa vida. De acordo com a psicóloga Wanessa Moreira, quem tem baixa autoestima corre o risco de se submeter a situações desconfortáveis, apenas para ser aceito.

"O raciocínio é que a outra pessoa irá 'descobrir' o valor que você tem, caso você aceite tudo o que lhe for imposto. Mas isso não acontece", alerta a especialista. Portanto, esteja você em uma relação ou não, é importante cultivar o autoconhecimento. Dessa forma, você saberá reconhecer sua individualidade, assim como a vida que quer viver.

Wanessa explica que isso não é um ato egoísta, porque nós apenas conseguimos compreender as necessidades do outro quando sabemos como atender as nossas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para a psicóloga Milena Lhano, adotar esse pensamento reduz as chances de passarmos por frustrações severas e até vivermos em um relacionamento abusivo.

"Se nós não entramos como seres completos em um relacionamento, existem duas possibilidades: Ou iremos nos decepcionar porque o outro não irá corresponder nossas expectativas, ou podemos ser manipulados por alguém que se aproveite de nossa vulnerabilidade", alerta Milena.

2. Comece a prestar mais atenção no presente

Estar consciente do momento em que estamos na vida é importante para cuidar de nós mesmos, e também para entender por que escolhemos determinadas pessoas para estar ao nosso lado. Portanto, antes de iniciar uma relação, reflita sobre o que pode estar influenciando suas decisões.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo Milena Lhano, essa também é uma forma de se resguardar. "Se estamos vivendo um período de desânimo, a tendência é atrairmos pessoas semelhantes, ou então que queiram se aproveitar dessa fragilidade", alerta.

Observar com atenção a própria realidade é uma maneira de fazer escolhas mais assertivas, que sejam um reflexo de nosso crescimento pessoal, e não o contrário.

3. Coloque sua saúde mental em primeiro lugar

"É sempre mais saudável o relacionamento de duas pessoas inteiras, do que de dois indivíduos que não estão bem e precisam um do outro para se completar", alerta Milena Lhano.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Alguns de nós convivemos com distúrbios emocionais, como a ansiedade e depressão. Estas condições reduzem a nossa qualidade de vida, e nos fazem enxergar o mundo de forma distorcida. Até as pequenas coisas parecem pesar em nossas mentes.

Por isso, antes de se esforçar para cultivar uma vida a dois, você deve direcionar suas energias para a manutenção do seu bem-estar. Wanessa Moreira diz que os relacionamentos surgem em nossas realidades repentinamente, e nós não conseguimos saber um momento exato para entrar neles, pois a paixão toma conta de nós.

Entretanto, certificar-se de que você está bem consigo pode garantir uma maior tranquilidade para o vínculo amoroso.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

4. Modifique sua visão sobre a solidão

Estar cercado por pessoas que amamos é sempre algo prazeroso. Entretanto, nem sempre isso é possível. E é exatamente nesses momentos que podemos tentar mudar nossas percepções acerca da solidão, para nos sentir melhores com a nossa própria companhia.

De acordo com a psicóloga Lia Clerot, estar sozinho implica em um momento para cuidar de si, de projetos e da mente. Quando entendemos isso, diminuímos as chances de entrar em relacionamentos para suprir carências.

Wanessa explica que a parceria de uma relação é algo incrível de ser vivido. Entretanto, o vínculo amoroso não supre nossas necessidades individuais. "É possível se sentir sozinho dentro do relacionamento, principalmente quando não há uma conexão real com o outro", afirma.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

5. Aceite seus vazios

Acreditar que conseguiremos preencher todos os nossos vazios é utópico. Sempre existirão questões dentro de nós, que nem sempre terão respostas. Porém, é possível encarar algumas dúvidas como motivações para continuarmos a buscar soluções.

Para Wanessa, a chegada da maturidade esclarece esse processo. "Antes disso, a ansiedade em preencher os vazios, e não saber como, acaba prejudicando alguns de nossos relacionamentos", explica.

É importante aceitar que podemos viver fases ótimas, e logo em seguida, passar por momentos ruins. Isso faz parte do movimento da vida. Exercitar esse raciocínio nos faz ser pessoas menos exigentes, o que diminui o impacto das decepções dentro de nós.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"A melhor forma de preencher as lacunas da existência é cultivar o amor próprio, compreender a realidade e buscar propósitos", afirma Wanessa.

6. Encare o seu passado

"Quando carregamos traumas para novas relações, temos grandes chances de viver tudo novamente. O que colocamos em foco é o que acaba acontecendo", alerta Wanessa. Antes de abraçar o presente, é necessário entender que o passado não nos define.

Segundo a psicóloga, isso acontece porque o medo de reviver algumas dores nos faz enxergar o passado em tudo o que estamos vivendo no presente. É como um estado de paranoia constante, onde achamos que antigos sofrimentos estão se repetindo, principalmente em nossos relacionamentos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Quando não elaboramos nossos traumas internos, corremos o risco de esperar que o próximo cuide de nossas cicatrizes, repare o sofrimento anterior e até 'pague' pelo mal que o outro me causou", diz Milena Lhano.

7. Esteja mais aberto às possibilidades

A ansiedade nos faz viver em constante sofrimento, tentando antecipar os resultados de nossas escolhas. E a área amorosa pode ser bastante prejudicada pelo pensamento ansioso. De acordo com Wanessa, o medo acaba nos impedindo de viver o melhor do presente.

"Precisamos de mais realidade. Podemos alcançar isso sendo gentil com nós mesmos, e sendo verdadeiros com o que queremos e sentimos", esclarece. Ao não fazermos isso, já entramos em novas etapas com receio do fim. Enxergamos crises inexistentes, que poderiam ser resolvidas com um diálogo honesto.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Desapegar do controle e abrir-se para a vida traz uma grande leveza para o dia a dia, trazendo benefícios para quem está solteiro(a) ou em um relacionamento. "Não se esqueça que nós somos responsáveis pelas nossas atitudes e sentimentos, mas não pelo dos outros. Isso nos deixa vulneráveis, mas caso não aceitemos, estar com alguém pode ser sempre um sofrimento", conclui Milena Lhano.

Referências