PUBLICIDADE

Um em cada três pedestres se distrai com o celular ao atravessar a rua

Hábito aumenta a chance acidentes de trânsito por desatenção

Um estudo da Universidade de Washington (EUA) descobriu que um em cada três pedestres se distrai na hora de atravessar a rua, inclusive em cruzamentos movimentados e perigosos, porque está entretido com o telefone celular. Para os autores, falar ao celular e trocar mensagens, entre outras atividades, faz com que um indivíduo se arrisque ao ignorar os semáforos, atravessar em lugar errado ou não olhar para os dois lados da via. As conclusões foram publicadas dia 12 de Dezembro no periódico Injury Prevention, do grupo British Medical Journal (BMJ).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os pesquisadores passaram três meses analisando o comportamento de pedestres em 20 cruzamentos movimentados na cidade de Seattle, nos Estados Unidos. Ao todo, 1.102 pessoas de 25 a 44 anos foram observadas, sendo que a maioria (80%) estava sozinha quando atravessou a rua. Apenas um em cada quatro pedestres seguiu todas as medidas de segurança na hora de atravessar - obedecer aos semáforos, atravessar na faixa de pedestres e olhar para os dois lados.

Cerca de 30% das pessoas analisadas estavam mexendo no celular quando atravessaram a rua: 10% estavam ouvindo música; 7%, mandando mensagem de texto; 6% falando ao telefone e o restante, realizando outra atividade. De maneira geral, aquelas que estavam distraídas com os celulares levaram mais tempo para atravessar a rua (até 1,3 segundo a mais).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os estudiosos concluíram que mandar mensagem de texto é a atividade mais arriscada de se fazer na hora de atravessar a rua. Pessoas que faziam isso foram as que demoraram mais tempo (18% a mais do que a média) para fazer a travessia e foram até quatro vezes mais propensas a ignorar os semáforos, atravessar em lugar errado ou deixar de olhar para os dois lados da via. Os pesquisadores sugerem que sejam consideradas medidas que controlem o uso dos aparelhos móveis para pedestres, assim como acontece com o álcool ao volante.

Oito passos para fazer o detox do celular

O resultado da mania por celulares é a sensação permanente de que falta tempo para dar conta de tudo, além da falta de atenção com acontecimentos do dia a dia, como atravessar a rua. "Não é o caso, evidente, de abrir mão da tecnologia, mas aprender a usá-la a seu serviço - e não ficar à disposição dela initerruptamente", diz a psicóloga Marina Vasconcellos, de São Paulo. Se você quer entrar numa operação detox do celular, siga as dicas a seguir.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Desabilite as notificações

Marina Vasconcellos recomenda que sejam guardados horários durante o dia para ver se alguém mandou mensagem na rede social ou te desafiou em algum jogo, o que pode até incentivar a boa convivência se respeitados alguns limites.

Compre um despertador

Você é daqueles que coloca o celular embaixo do travesseiro? O mundo não vai cair se você deixá-lo desligado durante a noite. "Quando há uma alternância entre sons altos e baixos, o organismo fica em estado de alerta e não conseguimos dormir direito", afirma Marina Vasconcellos. Por isso, vele investir em um despertador tradicional e aposentar o alarme do celular.

Guarde os momentos na memória

"É comum vermos cada vez mais gente tirando fotos, fazendo filmagens e os colocando nas redes sociais, isso faz parte do mundo atual, mas é importante não esquecer que as lembranças mais valiosas ficam na memória", afirma Marina Vasconcellos. Outro ponto importante é lembrar que a interação entre as pessoas pode ser perdida em função da exposição, que nem sempre é positiva. "É preciso muita atenção com o que colocamos nas redes sociais, esse conteúdo chega ao alcance de gente que nem conhecemos muito bem", lembra a especialista.

Não tenha medo de desligar

Às vezes, o celular pode fazer a função de um controle remoto - e você é quem sofre o controle. O conselho da psicóloga Marina Vasconcellos é para usar mais o celular como um telefone de fato do que como uma caixa de e-mails ou uma forma de acesso à internet. Se for para relaxar, numa viagem ou num final de semana, não tenha receio de desligar o celular. A maior parte dos seus problemas pode esperar pela segunda-feira.

Busque ajuda profissional

Se isso já está te incomodando, busque a ajuda de uma terapia para se livrar do problema. No entanto, a psicóloga faz uma ressalva: "Procure um profissional que esteja familiarizado com esse tipo de problema, evitando conselhos do tipo: você deve abolir a internet do celular.?

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Seja racional

Pergunte-se: o que eu estou esperando? Eu preciso olhar isso agora? Se a resposta for negativa, deixe o celular de lado e aproveite a companhia de quem está ao seu lado. "Mas se ela for afirmativa, explique a quem está ao seu redor a importância desse contato", orienta a psicóloga Ana Luiza Mano, do Núcleo de Pesquisas em Psicologia em Informática (NPPI) da PUC de São Paulo.