PUBLICIDADE

Transar com o ex faz os sentimentos voltarem? Ciência responde

Dados apontam que a maioria das tentativas de transar com o ex são bem sucedidas

Quando terminamos um relacionamento, os sentimentos não vão embora repentinamente. É comum que ainda tenhamos atração por quem já compartilhamos uma parcela de nossas vidas. Por esse motivo ocorrem as famosas "recaídas". Mas será que é prejudicial ceder ao desejo nesses casos e se envolver novamente com o ex?

Segundo uma pesquisa publicada no periódico Archives of Sexual Behavior, não. Os cientistas afirmam que nossos níveis de afeto por ex-parceiros permanecem praticamente iguais antes ou depois de transar com eles.

Como o estudo foi feito

A Wayne State University, no estado de Michigan, realizou dois experimentos. O primeiro deles acompanhou 113 pessoas que estavam tentando transar com o ex no período de um mês. O segundo analisou 459 pessoas que conseguiram ir para a cama com o ex, questionando-as se isso havia tornado a superação do término mais difícil.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Resultados

As diferenças emocionais entre quem não havia tentado transar com o ex e quem estava buscando o sexo com o antigo parceiro foram quase nulas. Todos estavam igualmente apegados.

Outro dado curioso é que a maioria das tentativas de transar com o ex são bem sucedidas. Os pesquisadores afirmam que o sexo não irá te prejudicar tanto emocionalmente. Entretanto, é necessário explorar os motivos que nos levam a não superar o término.

Mantendo a autoestima após o fim de um relacionamento

Após um término, ou antes mesmo do início do relacionamento, é necessário cultivar a ideia de que estar bem consigo vale mais do que qualquer vínculo amoroso. "Tenha em mente que você é feliz sozinha, e o surgimento de outras pessoas deve apenas acrescentar coisas em sua vida", explica a psicóloga Lia Clerot.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quando atribuímos ao outro a função de nos completar, esquecemos nossa identidade. Para a psicóloga, o que somos e como nos sentimos depende apenas de nós mesmos. E ter consciência disso é libertador, pois percebemos a quantidade de poder que temos em nossas mãos.