PUBLICIDADE

Incentive seu filho a sair de baixo da sua saia

Assim, ele descobre as diferenças e um mundo completamente novo

Sem perceber, muitas mães ensinam os bebês a se acostumarem e não terem medo da sua ausência. É na inocente e divertida brincadeira de se esconder atrás de uma toalha ou do berço e dizer cadê a mamãe? Achou! , que você mostra que, mesmo sem estar à vista, está por perto e sempre volta.

Bem devagar, respeitando o ritmo do pequeno já que ele não costuma apreciar mudanças na rotina passe, gradativamente, mais tempo longe dele, deixando-o com pessoas com quem ele esteja familiarizado, como os avós, tios ou padrinhos. Meia hora, uma, duas, três... Sem forçar: se ele começar a sentir sua falta, é hora de voltar, ou a experiência pode ser mais traumatizante do que construtiva.Próximo aos dois anos, já existe um desenvolvimento afetivo e cognitivo capaz de ajudar a criança a entender que os objetos ou pessoas de que ela gosta são permanentes , explica Denise.

Se entender que os pais só estão escondidos e logo, logo irão reaparecer, ele vai aceitar melhor ficar sozinho ou na companhia de outras pessoas. Logo vão surgir os convites para dormir na casa dos avós, passar o fim de semana nos primos, ir brincar no vizinho, viajar nas férias. Antes de responder, pense no seu filho.

Ele quer e vai se divertir? Está acostumado a ficar longe de você? Convive bem com as pessoas que fizeram o convite? Depois, pense se o lugar é seguro, se você confia nos adultos que cuidarão dele e se as atividades da comida à diversão serão apropriadas para a criança. Se as respostas forem positivas, e o único motivo para dizer não é a sua insegurança (medo de que alguma coisa aconteça, medo de ficar longe, medo até do baby gostar demais...), respire fundo e dê uma chance.

A experiência de sair de casa para um lugar novo (ou não tão novo assim, mas simplesmente diferente), é enriquecedora para as crianças, que aprendem muito com as mudanças e variedades de hábitos, brincadeiras e até de regras e pessoas.

lAlém disso, mostrar que você confia nele, e que ele pode usufruir dessa pequena liberdade, ajuda a alimentar a segurança do seu filhote. De quebra, você ganha um tempo livre que no começo, pode até parecer estranho, mas depois é tudo que uma mãe precisa.

Prepare uma mala com tudo o que ele possa precisar roupas, brinquedos preferidos, o travesseiro querido e explique, passo-a-passo, tudo que vai acontecer nas próximas horas. Deixe claro que ele vai ser bem-cuidado pelas pessoas que ficarão com ele, mas que, a qualquer hora, você pode buscá-lo. E tchau, tchau, mamãe, até logo.

Até agora, qual a sua maior dificuldade nos cuidados com
seu bebê? Por quê?