PUBLICIDADE

Perda de audição em crianças: quando procurar um especialista?

Exames desde o nascimento ajudam o otorrinolaringologista a detectar o problema

A avaliação da audição deve começar no bebê recém-nascido. Desde 2010, o teste da orelhinha é obrigatório nas maternidades, tanto públicas quanto privadas. O teste da orelhinha é um teste objetivo, isto é, não necessita da resposta da criança, e detecta a grande maioria dos casos de perda auditiva. É um teste de extrema importância para a criança, pois nesta idade é a única forma de se detectar uma perda auditiva.

Antes da obrigatoriedade do teste, era muito comum os pais acharem que a criança conseguia ouvir porque balbuciava sons. Crianças que não escutam também balbuciam, mas os sons não tem significado.

Sabemos hoje em dia que quanto mais precoce for a detecção da perda auditiva mais chances a criança terá de desenvolver a audição. O ideal é que isso ocorra até os seis meses de vida, pois já a partir desta idade começamos a desenvolver a via auditiva, que nos permite interpretar os sons que escutamos. Quanto mais tarde for o diagnóstico, mais difícil é restabelecer essa via.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Contudo, o bebê pode passar no teste da orelhinha e depois vir a desenvolver a perda auditiva, mesmo quando as causas são genéticas. Além disso, infecções de ouvido (otites), comuns na infância, também podem levar à queda da audição. Felizmente, na maioria dos casos relacionados com otites, a audição é recuperada. Causas mais raras que podem ocorrer na criança e que levam a graus variados de perda auditiva são as meningites.

O momento de levar as crianças ao otorrino

Se a criança passou no teste da orelhinha é recomendado que os pais acompanhem sempre de perto o rendimento na escola e a comunicação da criança em casa. Se a criança não tiver um bom desempenho escolar ou os pais começarem a notar uma dificuldade de se comunicar, é importante que ela seja avaliada por um especialista.

A criança que tiver uma alteração no teste da orelhinha segue um protocolo de avaliação que inclui testes mais complexos da via auditiva - desde a orelha até a área do cérebro responsável pela linguagem.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Crianças que apresentam otites de repetição representam um grupo especial que deve ser acompanhado regularmente pelo otorrino. Nestes casos, devem ser investigados alguns problemas nasais como rinite, aumento de adenóide e deficiências imunológicas.

Sinais para ficar atento

Além de dificuldades na escola, a criança pode começar a aumentar os sons de aparelhos como a televisão, falar mais alto, ter dificuldade para entender os outros e parecer distraída. Quanto mais precoce a perda de audição, mais fica comprometida a capacidade de comunicação e a criança passa a se isolar.

Exames

Crianças a partir de três anos já conseguem realizar testes audiométricos. Entre os quatro e cinco anos a audiometria é realizada com brinquedos que emitem sons, como chocalho e tambor. Este tipo é chamado de audiometria condicionada.Crianças maiores podem fazer o teste audiométrico completo, semelhante ao dos adultos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Recomenda-se que toda criança realize um exame de audiometria. Essa triagem auditiva pode ser realizada desde os três anos ou em qualquer momento durante a alfabetização. Ela detecta perdas auditivas tardias, que prejudicam o aprendizado nesta idade.

Alguns casos necessitam de repetição anual e acompanhamento com especialista, como nas situações em que o exame inicial demonstrar perda auditiva, otites de repetição e piora do rendimento escolar.