PUBLICIDADE

Diástase abdominal: o que é, como identificar e tratamentos

Complicação é comum de acontecer na gravidez, mas pode ser tratada com cirurgia

O que é diástase abdominal?

A diástase abdominal é o nome dado ao deslocamento dos músculos reto-abdominais, os mesmos que formam os "gominhos" em pessoas que exercitam com frequência a região abdominal.

Como a barriga fica com diástase / Foto: Tetiana Mandziuk/Shutterstock
Como a barriga fica com diástase / Foto: Tetiana Mandziuk/Shutterstock

O que causa a diástase abdominal?

A principal causa de diástase abdominal é a gravidez. Isso porque, durante a gestação, o útero se expande, provocando a separação dos músculos da região central do abdômen.

"A extensão abdominal que ocorre na gravidez em decorrência do crescimento do feto afasta naturalmente os músculos reto-abdominais", conclui o cirurgião plástico, Marcelo Olivan, da USP.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além disso, outros fatores que podem causar a diástase abdominal são:

Como saber se tenho diástase abdominal?

O diagnóstico é feito por meio de exame clínico e exames de imagem como ultrassom e tomografia computadorizada. De acordo com o cirurgião Marcelo, também é possível perceber que no local onde os dois músculos se separaram pode haver um abaulamento e o abdômen se torna mais protuberante.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Foto: Sakurra/Shutterstock
Foto: Sakurra/Shutterstock

Prevenção

Não é possível prevenir a diástase abdominal, mas os médicos recomendam um espaçamento de dois anos entre as gestações.

Segundo o cirurgião plástico Juliano Souto, exercícios físicos regulares no abdômen, se bem acompanhados, também são uma boa opção para fortalecer essa região.

Complicações

A diástase abdominal provoca fraqueza dos músculos reto-abdominais e, consequentemente, sobrecarrega a coluna. De acordo com Marcelo Olivan, esse fator pode resultar em dor nas costas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Quando estes músculos estão fracos, eles também podem favorecer o surgimento de hérnias na região abdominal", explica.

Além de comprometer a postura do paciente diagnosticado com diástase, essa pessoa também pode sentir incômodo estético.

Tratamentos

Cirurgia para diástase abdominal: também conhecida como cirurgia aberta, é o tratamento mais utilizado. "A cirurgia é indicada, geralmente, após a gestação ou grandes perdas de peso", revela o cirurgião plástico Juliano Souto. É feita uma incisão suprapúbica transversal, ou seja, na linha do biquíni, para permitir o acesso dos músculos retos e a linha alba, conseguindo aproximar o músculos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Abdominoplastia: é uma cirurgia plástica indicada para a correção da diástase abdominal. Tem como objetivo aproximar estes músculos que foram deslocados pela gravidez.

"Ela é indicada sempre que exista o afastamento exagerado das duas bandas musculares que se encontram na região central do abdômen", afirma. Quando feita com essa finalidade, o tempo de recuperação pode variar entre 20 e 40 dias.

Exercícios pós-parto: devem ser focados no assoalho pélvico, no fortalecimento do "core" e no alinhamento da postura. Quando feitos com frequência e da maneira correta, podem ajudar o paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Entretanto, é possível que os músculos não voltem completamente para o lugar, especialmente após a segunda gravidez", considera o médico Marcelo Olivan.

Vale lembrar que alguns exercícios convencionais de fortalecimento da musculatura profunda do abdômen podem agravar a condição do paciente. Portanto, o ideal é que no pós-parto a mulher se recupere adequadamente e busque ajuda de um profissional médico ou fisioterapeuta para a indicação do melhor procedimento. Afinal, cada caso exige cuidados diferentes.

Fontes consultadas

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)