PUBLICIDADE

Mancha mongólica: o que significa e o que fazer

A pequena coloração na pele do bebê pode aparecer logo após o parto em regiões específicas

É comum que mães, pais ou cuidadores de primeira viagem se preocupem com manchas e outros sinais que aparecem na pele do bebê. Porém, nem tudo pode ser, necessariamente, um problema - como um hematoma ou doença dermatológica.

É o caso da mancha mongólica, que se trata de uma pequena área na pele com coloração arroxeada ou cinza azulada e que surge pouco tempo após o nascimento.

"Ela surge durante o desenvolvimento fetal, quando alguns melanócitos (células responsáveis pela produção da melanina, que é o pigmento da pele) ficam retidos na derme, que é a segunda camada da pele, logo abaixo da epiderme", explica Silvia Assumpção Soutto Mayor, coordenadora do Departamento de Dermatologia Pediátrica da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo a especialista, esse tipo de marca pode aparecer em bebês de qualquer etnia, independentemente dos pais serem de raças diferentes ou não. Entretanto, a mancha mongólica é mais comum em crianças asiáticas e afrodescendentes.

Localização da mancha no corpo

A região onde a coloração costuma aparecer é uma das principais maneiras de identificar essa alteração na pele das crianças. Silvia conta quais são as partes do corpo mais propensas para o desenvolvimento das manchas mongólicas:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mancha mongólica pode indicar complicações?

No geral, as manchas mongólicas são consideradas benignas e não trazem qualquer complicação para a saúde do bebê. O seu aparecimento, na maior parte dos casos, está relacionado apenas com a ancestralidade familiar - sendo mais comum em famílias miscigenadas.

"As manchas mongólicas podem ficar mais pigmentadas até 1 ano de idade e, a seguir, tendem a diminuir, até desaparecer durante a infância. Em alguns casos raros, as manchas persistem por mais tempo. Porém, raramente ocorrem anomalias associadas e o prognóstico é benigno", conclui a médica Silvia Mayor.

Mesmo assim, é importante que os pais e cuidadores sinalizem para o pediatra se notarem qualquer marca diferente na pele do bebê. Apenas um especialista pode realizar o diagnóstico correto de uma alteração cutânea, afastando possíveis condições ou doenças que exijam tratamento específico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)