PUBLICIDADE

Estudo mostra que 1 ovo por dia pode deixar crianças mais fortes

Pesquisa feita com bebês entre 6 e 9 meses mostrou que o alimento pode contribuir para o desenvolvimento infantil

Um estudo feito pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, descobriu que ovos podem aumentar significativamente o desenvolvimento de crianças pequenas e reduzir em 47% as chances de sofrerem atrofia muscular e raquitismo.

Pesquisadores conduziram o estudo em 163 bebês, entre 6 e 9 meses de idade, que viviam em uma região carente do Equador, em 2015. As crianças receberam aleatoriamente um ovo por dia ao longo de 6 meses. Também foi acompanhado um outro grupo de controle, que não recebeu os ovos.

Com isso, por meio de exames clínicos, os cientistas observaram que os ovos diminuíram em 74% os riscos de as crianças sofrerem com pouco peso e em 47% a probabilidade de terem alguma atrofia muscular ou raquitismo. As crianças no grupo de tratamento apresentaram maior ingestão dietética de ovos e menor consumo de alimentos açucarados em comparação ao controle.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Nosso estudo monitorou cuidadosamente as reações alérgicas aos ovos, mas nenhum incidente foi observado ou relatado pelos cuidadores durante as visitas domiciliares semanais", disse Lora Iannotti, professora e autora responsável pelo estudo. "Os ovos parecem ser uma fonte viável e recomendada de nutrição para crianças em países em desenvolvimento", completou ela.

Ovos são liberados para bebês com menos de um ano?

O Minha Vida entrou em contato com a Sociedade Brasileira de Pediatria para entender se é seguro que bebês ingiram ovos. De acordo com a assessoria de imprensa da Sociedade, desde o seu primeiro Manual de orientações sobre alimentação, de 2008, é recomendada a ingestão de ovos cozidos para crianças a partir do início da alimentação complementar como uma das fontes de proteínas, intercalando com a carne bovina ou suína, ou de frango ou de peixe.

"Comprovado cientificamente, os ovos contêm aminoácidos, colina, vitamina A, vitamina D, ferro, zinco, fatores de crescimento e DHA (um ácido graxo poliinsaturado importante para a mielinização e desenvolvimento do cérebro). Como contém proteínas, vitaminas, zinco, ferro, vitaminas entre outros pode auxiliar no crescimento da criança", destaca a SBP.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"A colina é uma vitamina do complexo B, que pode ser encontrada nos ovos, carne vermelha, fígado, couve-flor, repolho, alface, grãos, legumes e nozes. E a função da colina é contribuir com o metabolismo da gordura no fígado (melhora o colesterol bom, diferente do que se achava anteriormente) e melhorar a condução do impulso nervoso (mielinização). Alguns trabalhos científicos, como o de Kull, et al. Allergy. 2006; 61(8):1009-15, mostram que em relação a alergia ao ovo, deve-se iniciar a ingestão do ovo cozido (clara e gema) aos 6 meses de idade justamente para diminuir as reações alérgicas, como dermatite e rinite, quando comparados com início tardio da ingestão", diz o órgão.

"Sobre o estudo em questão, o Departamento Científico de Nutrologia (SBP) reforça que a população estudada nesta pesquisa é desnutrida. Portanto, qualquer aporte proteico (ovos ou carnes) o resultado será a melhora do crescimento. O importante é ter alimento saudável e nutritivo (carboidratos, proteína animal, proteína vegetal e hortaliças) para ser oferecido às crianças", finaliza a SBP.