Inchaço da gravidez faz mulher perder aliança de R$ 2,4 milhões

Anel teve que ser cortado após mãos de gestante incharem; aprenda a atenuar os inchaços da gravidez

Principalmente no calor, as gestantes sofrem com o inchaço. É comum quem não consiga nem dobrar seus dedos ou colocar os sapatos. A inglesa Megan Davidson, de 22 anos, passou por esse problema que levou a um prejuízo.

Suas mãos incharam tanto que seu anel ficou preso. Ela tentou resolver o problema com gelo, detergente, manteiga mas teve que cortá-lo, já que o dedo estava ficando roxo. O anel custava o equivalente a R$ 2,4 milhões, segundo o portal Daily Mail.

Por que as grávidas incham?

Como ficou a mão de Megan Davison
Como ficou a mão de Megan Davison

De acordo com o obstetra Alessio Calil Mathias, há várias causas para a retenção de líquidos. Uma delas é a própria mudança hormonal do período. Durante a gestação, a mulher produz muita progesterona. Também há mulheres que possuem o sistema linfático mais lento, tendo dificuldade de drenar o líquido que se acumula pelo corpo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além disso, a partir do quinto mês da gestação, o tamanho do útero dificulta o fluxo venoso dos membros inferiores para a circulação central. Assim, o sangue que está nos pés e nas pernas encontra resistência para retornar ao coração devido à compressão do útero sobre os vasos da região pélvica.

O que pode ser feito para amenizar o inchaço?

1) Cuide da sua alimentação

Use pouco sal para temperar os alimentos. Ele é um dos maiores culpados pelo inchaço na gravidez. A gestante precisa ficar atenta também ao consumo de alimentos ricos em sódio que colaboram para agravar o problema, dentre estes, destacamos os embutidos - salame, lingüiça, salsicha - , sanduíches de fast food e os temperos prontos. Orientamos também a futura mamãe a beber muita água e a priorizar legumes e verduras nas refeições.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

2) Exercite-se

Exercícios físicos ajudam a reduzir o inchaço. As atividades mais recomendadas são aquelas feitas na água, como hidroginástica e natação. A água exerce pressão no espaço extra-vascular, favorecendo a entrada de líquidos nos vasos sanguíneos e linfáticos, melhorando a circulação. Antes de começar os exercícios, a gestante deve conversar com o médico que acompanha o seu pré-natal para saber se está apta a realizar atividades físicas.

3) Use meias elásticas

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Muitas gestantes dizem que as meias incomodam, esquentam e a maioria acaba deixando-as de lado, mas as meias elásticas de compressão específica são muito importantes. O objetivo é pressionar as paredes das veias periféricas, não permitindo o extravasamento de líquido para o meio extravascular, diminuindo o acúmulo de água nas pernas e pés. O uso das meias deve ser diário, desde o início da gravidez até o período pós parto.

4) Use cremes apropriados

Há uma série de cremes que prometem aliviar o inchaço. É preciso ter cuidado na hora da escolha do produto. Produtos com cânfora em sua composição não devem ser utilizados pelas gestantes devido à toxidade que a substância apresenta para o feto. Um dermatologista pode indicar os cremes mais apropriados para cada gestante.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

5) Pernas para cima

Esta é a solução mais antiga e prática para o problema. No fim do dia é recomendável que a gestante coloque as pernas para o alto, com o objetivo de facilitar o retorno do sangue das pernas para o coração. Se estiver no trabalho, ela pode colocar as pernas numa cadeira ou qualquer apoio, mantendo os pés ao mesmo nível do quadril. Em casa, a grávida pode deitar e acomodar as pernas em dois ou três travesseiros, para elevar os pés.

6) Drenagem linfática

A massagem é uma aliada importante da gestante. Quando aplicada de maneira correta, ajuda a melhorar a circulação sanguínea e a diminuir o inchaço. Mas, antes de iniciar as sessões de massagem, é preciso certificar-se que o profissional é especializado no atendimento à grávidas. A drenagem linfática apresenta restrições durante a gravidez: a região abdominal não deve ser massageada, os movimentos devem se concentrar nos braços, pernas, costas e glúteos. As sessões só devem iniciar após o terceiro mês de gestação.