PUBLICIDADE

4 exercícios que podem piorar a diástase abdominal

Problema que costuma afetar mulheres no pós-parto causa flacidez abdominal e até dor lombar

Você já ouviu falar sobre diástase abdominal? Se não, eu explico: diástase é o afastamento dos músculos abdominais e do tecido conjuntivo, que pode chegar a 10 centímetros de distância, e geralmente acontece durante a gravidez, devido ao estiramento do músculo abdominal por conta do crescimento da barriga. Como resultado, a mulher fica com flacidez abdominal e dor lombar pós-parto.

O tratamento para corrigir esse afastamento costuma ser feito com exercícios, fisioterapia e, em último caso, até com cirurgia - principalmente se o afastamento for maior que 5 centímetros e os exercícios de correção não forem eficazes.

Para as mamães que têm dúvida se estão com diástase, sempre dou uma dica. É possível desconfiar desse quadro ao sentir a região abaixo do umbigo muito mole e flácida ou observar uma protuberância no abdômen ao levar algum peso, agachar ou tossir, por exemplo. Mas para ter uma confirmação mais exata, segue um passo a passo:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O normal é que, ao contrair o abdômen, os dedos saltem um pouco para cima. Mas, em caso de diástase, os dedos não se movem, sendo possível até mesmo colocar 3 ou 4 dedos lado a lado sem que eles se movam com a contração abdominal.

Quando se tem esse afastamento, é super importante tomar cuidado com os exercícios praticados, sendo que existem alguns que podem até mesmo piorar a situação. Confira a seguir quais práticas a pessoa com diástase deve evitar:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Por fim, sempre que você sentir um desconforto ou dor estranha, procure um especialista. E quero finalizar esse artigo com um alerta: a diástase não ocorre apenas em gestantes. Homens e pessoas que levantam objetos muito pesados em uma postura incorreta também podem ter esse problema. Portanto, fique alerta com os sinais que seu corpo dá.