PUBLICIDADE

Seis hábitos que prejudicam a fertilidade masculina

Obesidade e tabagismo podem fazer a qualidade do esperma piorar

Que os homens cuidam menos da saúde, isso já está provado e comprovado por várias pesquisas. A última delas, feita pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE, evidencia que 79,4% da população masculina autoavalia sua saúde como boa ou muito boa e, por isso, não acha necessário uma visita ao médico. E não é só o coração ou a pressão que saem prejudicados com a omissão. Alguns maus hábitos que a ala masculina costuma ter pode trazer consequências diretas para a fertilidade.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A Organização Mundial de Saúde define um nível normal da concentração espermática como sendo aproximadamente 20 milhões/ml ou mais. Abaixo disso já é considerado preocupante para a saúde masculina. Veja abaixo o que colabora para a má qualidade dos espermatozoides.

Obesidade

obesidade - foto: getty images
obesidade - foto: getty images

Um estudo recente feito pela Fertility and Sterlity descobriu que os obesos tendem a ter uma contagem de esperma baixa em comparação aos homens mais magros, pois o alto nível de gordura corporal está associado à mudanças no conjunto de proteínas que permite a sobrevivência e função do espermatozoide. E não é só isso. Além de serem em menor quantidade, os que sobram tendem a moverem-se sem rumo, o que dificulta a concepção. "Os testículos ficam dentro de uma bolsa que precisa ter uma temperatura menor que a do corpo, por isso, o saco escrotal fica pendurado. Só que quando o homem tem muito tecido adiposo, as partes do corpo ficam em contato com o saco escrotal e acaba elevando a temperatura da região, prejudicando a qualidade do espermatozoide", explica o urologista Carlos Gobbo, da Unesp.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Excesso de bebida alcoólica

homem bebendo cerveja - foto: Getty Images
homem bebendo cerveja - foto: Getty Images

Se você estiver pretendendo ter um filho, é bom maneirar na bebida. O especialista Carlos Gobbo explica que o álcool em excesso está associado à diminuição da testosterona e, portanto, diminuição no volume do sêmen. Por isso, quanto mais álcool for ingerido e mais longo for o período de abuso, maior será o comprometimento da fertilidade.

Tabagismo

tabagismo - foto: getty images
tabagismo - foto: getty images

Tudo que é em excesso é ruim, mas no caso do cigarro, o menor sinal já é responsável por alterações na qualidade do sêmen. Médicos israelitas descobriram que os fumantes apresentam elevadas concentrações de cotinina, uma substância derivada da nicotina e que está presente, inclusive em fumantes passivos. Os homens que possuem uma elevada dose de cotinina apresentam alterações na preparação do esperma e, consequentemente, taxa diminuída de fertilização. Essa pesquisa verificou que, independentemente de a mulher fumar ou não, quando o homem é fumante, a taxa de fertilidade do casal é de apenas 44,9%.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Drogas ilícitas

maconha - foto: getty images
maconha - foto: getty images

O uso de drogas ilícitas também possui um efeito diretamente na fertilidade. "As drogas ilícitas podem levar às alterações da condição espermática. A maconha faz o espermatozoide perder a força para subir até a trompa, o que deixa a fecundação impossibilitada", explica o urologista Carlos Gobbo.De acordo com os especialistas, pesquisas mostram que outras drogas, como o crack e a cocaína, provocam o aumento da produção de substâncias que são tóxicas para os testículos.

Anabolizantes

anabolizantes - foto: getty images
anabolizantes - foto: getty images

É muito comum ver homens que querem ficar fortões sem pegar firme na malhação fazerem uso de anabolizantes, mas o que poucos sabem é que essas substâncias podem destruir a fertilidade. De acordo com a nutróloga Melona Gouveia Castro, especializada em medicina esportiva, o uso de anabolizantes induz o organismo a diminuir a produção dos hormônios masculinos. "Além do comprometimento da fertilidade, os esteroides provocam um rebuliço no metabolismo a ponto de causar uma pane geral, levando ao surgimento do câncer (no fígado ou nos testículos) ou de infarto. Hipertensão, aumento do colesterol ruim, alterações de humor e o amarelamento da pele, devido à sobrecarga do fígado."

Poluição

poluição - foto: getty images
poluição - foto: getty images

A má qualidade do ar também é capaz de prejudicar a fertilidade dos homens. Segundo um estudo feito pelo Hospital das Clínicas, a poluição é uma das causas modernas mais graves para a infertilidade masculina. Os homens que respiram ar mais poluído apresentam maior concentração de radicais livres no sangue, o que provoca uma baixa na qualidade dos espermas.

Pense

envelhecimento saudável - foto: getty images
envelhecimento saudável - foto: getty images

Ao envelhecer, os homens já apresentam queda na qualidade e quantidade do esperma. "A partir dos 45 anos, os homens começam a procurar mais os médicos porque notam dificuldades de ereção, desânimo, falta de disposição. Muitos desses homens podem estar iniciando uma fase chamada Distúrbio do Envelhecimento Masculino, caracterizada por um declínio das faixas hormonais e da qualidade seminal. Por isso, ao notar os primeiros sintomas, o ideal é procurar um médico", ensina o urologista Carlos Gobbo. Quanto mais saudável são os hábitos, maior a longevidade e maior a qualidade do esperma, como mostra um trabalho publicado no American Journal of Edipemiology. "Fazer exercícios físicos, evitar excessos na alimentação, ter um relacionamento afetivo estável e acabar com os vícios prejudiciais para a saúde, vão ajudar a aumentar sua fertilidade e qualidade de vida", explica o urologista da Unesp.