PUBLICIDADE

Má higiene oral pode aumentar o risco de câncer de boca e garganta

Hábito tem ligação com infecções por HPV, uma das causas do cancro

As pessoas cujos dentes e gengivas estão em más condições podem ser mais suscetíveis ao vírus oral do HPV, que pode causar certos tipos de câncer de boca e garganta. É o que sugere um novo estudo da University of Texas Health Science Center (EUA). Os resultados foram publicados dia 21 de agosto na revista Cancer Prevention Research.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os pesquisadores acompanharam mais de 3.400 americanos adultos, que responderam um questionário avaliando sua saúde bucal como "pobre", "justa", "boa" ou "excelente". Aqueles que disseram manter uma higiene bucal como pobre ou justa eram mais propensos a ter uma infecção oral pelo papilomavírus humano (HPV).

No geral, 10% das pessoas com cáries nos dentes ou doença periodontal era positivo para HPV oral - comparado com 6,5% das pessoas que avaliaram sua saúde bucal como "bom" ou "excelente". Sua equipe tentou levar em conta outros fatores que podem afetar a saúde bucal ou as chances de ter HPV - como fumar ou múltiplos parceiros sexuais orais. E má saúde bucal ainda estava ligada a um aumento de 56% no risco de HPV oral.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo os pesquisadores, os resultados não provam que os dentes e as gengivas doentes causar infecção pelo HPV, mas há claramente uma conexão. Ainda assim, afirmam, há motivos de sobra para cuidar bem dos dentes e gengivas. O HPV, além de causar verrugas genitais e anais (transmitidas pelo ato sexual), também pode afetar a via oral. Na maioria dos casos, o sistema imunológico elimina a infecção sem apresentar sintomas, mas pode ser que o vírus persista e se transforme em uma infecção grave, podendo levar ao câncer de orofaringe, que afeta a parte de trás da garganta, a base da língua e amígdalas.

Ponha no prato alimentos que deixam dentes e gengivas saudáveis

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Escova, pasta de dente e fio dental são indispensáveis para ter dentes saudáveis. Mas se engana quem pensa que eles são os únicos aliados da saúde bucal. A dentista Oneida Werneck, presidente da Sociedade Brasileira de Reabilitação Oral, explica que alguns alimentos são fundamentais para deixar dentes e gengivas saudáveis. "Eles não substituem os cuidados básicos com a saúde bucal, mas se somam a eles para conseguir dentes perfeitos." Que tal mudar a alimentação e distribuir mais sorrisos de hoje em diante?

Vitamina C

Alimentos ricos em vitamina C - foto: Getty Images
Alimentos ricos em vitamina C - foto: Getty Images

Oneida Werneck explica que a falta de vitamina C causa sangramento das gengivas e diminuição da massa óssea, o que pode levar a perda dos dentes. Mas é bom não exagerar no consumo de alimentos muito ácidos - como a laranja e o abacaxi, ricos em vitamina C - que causam desmineralização e deixam o dente mais poroso. E, ao tomá-los, use canudinhos, impedindo o contato direto com os dentes. Outra opção é fazer um bochecho com água pura ou mesmo tomar um copo de água para neutralizar o ácido logo após sua ingestão. "Não se aconselha a escovação dos dentes nesta hora, pois o atrito da escova com o esmalte descalcificado faz com que ele se desgaste ainda mais", recomenda a especialista.

Alimentos fibrosos

Maçãs - foto: Getty Images
Maçãs - foto: Getty Images

A mastigação de alimentos ricos em fibras, além de contribuir para a saúde gastrointestinal, tem a capacidade de promover a autolimpeza dos dentes, evitando a formação de placa bacteriana, a causadora de cáries e gengivite. "Além disso, frutas como maçã e pera podem substituir doces bem açucarados, os principais responsáveis pelas cáries", afirma Oneida Werneck.

Leite e derivados

Copo de leite - foto: Getty Images
Copo de leite - foto: Getty Images

O cálcio presente no leite e derivados dele é essencial para garantir ossos fortes e saudáveis. E o mesmo vale para os dentes. O nutriente é parte da composição dos dentes e, em níveis adequados, garante uma boa saúde a eles, principalmente durante a sua formação. Mas o cirurgião dentista Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes (CRO SP-CD-56297), consultor científico da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), explica que esses não são a única fonte de cálcio. Folhas verdes escuras, como a couve, podem compensar essa demanda - especialmente para quem não gosta ou não tolera a lactose.

Água

Mulher bebendo água - foto: Getty Images
Mulher bebendo água - foto: Getty Images

"O consumo de água (com gás ou não)é importante para eliminar detritos, açúcares e ácidos", afirma Oneida Werneck. Além disso, a água das grandes cidades é fluoretada, que reforça a resistência do esmalte do dente. "Quando ingerido durante a formação dos dentes, isso é, até os doze anos de idade, o flúor torna os dentes muito mais resistentes à cárie por toda a vida".

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Chiclete sem açúcar

Chiclete - foto: Getty Images
Chiclete - foto: Getty Images

Mascar chicletes sem açúcar entre as refeições estimula a formação de saliva, o que contribui para a limpeza dos dentes. O cirurgião dentista Rodrigo conta que essas gomas se tornam ainda mais valiosas quando providas do xilitol (veja o rótulo), um adoçante que ajuda o processo de remineralização dentária e contribui para a longevidade e a proteção dos dentes.

Alimentos crus

Vegetais - foto: Getty Images
Vegetais - foto: Getty Images

Para mastigar alimentos crus, geralmente é necessário fazer mais força com os ossos da mandíbula e do maxilar."Essa força deixa os ossos que sustentam os dentes mais fortes, garantindo firmeza a eles", conta Rodrigo Guerreiro. Mas não são apenas os alimentos crus, como maçãs, que ajudam, outros alimentos mais difíceis de mastigar (como a carne) também cumprem o papel.

Vitamina D

Peixe - foto: Getty Images
Peixe - foto: Getty Images

O papel mais conhecido da vitamina D é sua atuação na absorção dos minerais cálcio e fósforo, relacionados à formação óssea. "A vitamina D aumenta a eficiência da absorção intestinal de cálcio em até 40% e a de fósforo em 80%", afirma a nutricionista Thais Souza, da rede Mundo Verde. Essa influencia também aparece na arcada dentária, onde a vitamina D ajuda na fixação do cálcio nas bases ósseas e dentárias.