Conheça os alimentos e hábitos que são os verdadeiros vilões da gastrite | Minha Vida
PUBLICIDADE

Conheça os alimentos e hábitos que são os verdadeiros vilões da gastrite

O que você come, faz e até a forma de pensar podem colaborar ou piorar as crises de gastrite

A gastrite é uma inflamação, infecção ou erosão do revestimento do estômago, que pode durar pouco tempo ou progredir por meses e anos. Os principais sintomas são dores abdominais, principalmente na região do estômago, perda de apetite, náuseas, vômitos, queimação e azia, que causam extremo desconforto para quem está com o problema. Justamente por esta razão é importante conhecer o que pode estar desencadeando ou intensificando o quadro, para assim prevenir que as crises piorem ou voltem. Conheça 13 fatores que podem estar piorando a sua gastrite:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ficar em jejum

Mulher em jejum por muito tempo - Foto: GettyImages
Mulher em jejum por muito tempo - Foto: GettyImages

Sabe quando você acorda com aquela dor no estômago que simplesmente não passa, que lembra um enjoo, ou quando no decorrer do dia ela surge, vai piorando e você decide não comer? Então, "o jejum prolongado pode desencadear a dor de estômago, que é o principal sintoma da gastrite", afirma Maira Marzinotto, gastroenterologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo. O ideal é comer alimentos saudáveis, com pouca gordura e de fácil digestão a cada três ou quatro horas, além de não pular refeições.

Cafeína

Xícara e grãos de café - Foto: GettyImages
Xícara e grãos de café - Foto: GettyImages

"Apesar de não haver comprovação científica de que a cafeína desencadeie crises de gastrite, ela é um agente irritativo do trato intestinal em qualquer quantidade, então ela deve ser evitada por pacientes com gastrite", diz a gastroenterologista do dr. consulta Paula Ferreira Lacerda. A cafeína está presente no café, chás, refrigerantes, chocolates e entre outros.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Bebidas alcoólicas e cigarro

Álcool e cigarro em uma mesa - Foto: GettyImages
Álcool e cigarro em uma mesa - Foto: GettyImages

Qualquer bebida alcóolica - fermentada, destilada e até o vinho - pode piorar os sintomas da gastrite. Logo, durante as crises o seu uso é completamente desaconselhado e, depois de passados os sintomas, se quiser beber, é bom que o faça com muita cautela. "Quanto ao cigarro, existem inúmeros componentes na formulação que são agressivos ao estômago, como a própria nicotina e o alcatrão. Caso se consiga parar de fumar e beber, a gastrite tende a melhorar muito", diz Maira.

Estresse, ansiedade e depressão

Mulher estressada com as mãos na cabeça - Foto: GettyImages
Mulher estressada com as mãos na cabeça - Foto: GettyImages

O estresse, a ansiedade e a depressão também podem estar relacionados ao aparecimento dos sintomas da gastrite, além da própria gastrite nervosa. "Os três problemas são grandes fatores desencadeadores de crises de gastrite, uma vez que todo o trato gastrintestinal é interligado com o sistema nervoso central, assim, reações de estresse, ansiedade e até depressão podem influenciar e agravar os sintomas", explica Paula. "Com certeza eles podem influenciar nos sintomas da gastrite, mas são mais relevantes causas como a alimentação, hábitos de vida, tendência genética e infecção bacteriana - que também podem estar presentes nos quadros de ansiedade, estresse e depressão", afirma o psiquiatra Ivan Mario Braun.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Evite alimentos ácidos

Suco de abacaxi e fruta na jarra - Foto: GettyImages
Suco de abacaxi e fruta na jarra - Foto: GettyImages

Alimentos ácidos também compõe a lista dos "vilões" para quem tem gastrite. Isso acontece porque "a gastrite pode ter relação com a quantidade de ácido dentro do estômago. No momento em que ingerimos algum alimento ácido, esse se junta ao suco gástrico, composto principalmente de ácido clorídrico, e pode agravar uma inflamação já existente", explica Maira. Dentre os alimentos ácidos estão as frutas cítricas, como o limão, a laranja e o abacaxi, mas um simples tomate também pode interferir.

Fuja de frituras e embutidos

Bacon e ovos em um prato - Foto: GettyImages
Bacon e ovos em um prato - Foto: GettyImages

Os alimentos gordurosos, como as frituras e os embutidos (linguiça e salsicha, por exemplo) podem piorar os sintomas e causar a sensação de estar "cheio", como se o alimento estivesse parado, um quadro de má digestão. "Os alimentos gordurosos demoram mais tempo para serem digeridos e também demandam mais enzimas para a digestão, o que causa estes sintomas. Os embutidos, além disto, têm muitos conservantes que irritam o estômago e alteram a sua motilidade, portanto devem ser evitados também", orienta Paula. Para saber mais sobre a dieta para quem tem gastrite clique aqui.

Temperos para evitar

Vários tipos de pimenta em um suporte de madeira - Foto: GettyImages
Vários tipos de pimenta em um suporte de madeira - Foto: GettyImages

Sim, um simples tempero ou condimento pode estar desencadeando os sintomas da sua gastrite. Se destacam entre estes temperos os apimentados, com excesso de alho ou de cebola, pimentão e os bastante ácidos, como os que contém limão. Isso porque "são alimentos que irritam a mucosa (parede) do estômago, potencializando a inflamação, mas atenção, geralmente eles não são os causadores da gastrite - que é a inflamação da mucosa gástrica -, mas podem piorar o quadro e os sintomas", afirma a gastroenterologista Maira.

Chicletes e balas

Balas e chicletes diversos - Foto: GettyImages
Balas e chicletes diversos - Foto: GettyImages

Pessoas que já têm predisposição a desenvolver gastrite podem ter esse sintoma agravado ou desencadeado quando mascam chicletes ou balas. Isso porque a digestão começa pela boca, na própria mastigação antes de engolir os alimentos, o que já prepara o trato gastrointestinal para receber a comida. "No caso do chiclete, a digestão é desencadeada mas não utilizada, portanto expõe a mucosa do estomago, esôfago e intestino à acidez e enzima, o que pode piorar os sintomas dispépticos", afirma Paula.