PUBLICIDADE

12 passos para cuidar de uma pessoa com demência

Esta condição clínica pode afetar qualquer pessoa, principalmente na velhice

Idosa com demência e fita vermelha amarrada ao dedo - Foto: GettyImages
Idosa com demência e fita vermelha amarrada ao dedo - Foto: GettyImages

O aumento da população idosa é um fenômeno global. Hoje a terceira idade representa aproximadamente 10% da população mundial, podendo alcançar em 2050, 22%. Com o envelhecimento populacional, houve um aumento do número de doenças degenerativas, como a demência. O termo "degenerativo", refere-se à perda do funcionamento adequado de um determinado órgão, não estando relacionada à infecção, inflamação ou tumor. Na demência, o cérebro é o órgão que deixa de funcionar.

O indivíduo com essa doença apresenta perda de memória; dificuldade para executar atividades da vida diária, como administrar dinheiro, dirigir ou comer, além de ter alterações no comportamento, como insônia, irritabilidade e agressividade. A doença de Alzheimer e a demência vascular são as demências existentes mais comuns. Esta última ocorre quando há pequenos infartos cerebrais, ou seja, devido à falta de sangue em algumas regiões do cérebro. Quanto ao Alzheimer, ainda não foi detectada uma causa que comprove a doença.

Hoje o tratamento para a demência não busca a cura da doença, e sim retardar a sua progressão. Por exemplo, para um indivíduo que tem dificuldade de se vestir sozinho, mas que ainda consegue andar por conta própria, o tratamento será no sentido de que ele mantenha a capacidade de caminhar sozinho pelo maior tempo possível.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Veja a seguir como lidar e manter o convívio em casa com uma pessoa com demência:

1. Mude a forma de se comunicar

O paciente com demência passará a ter dificuldade de lembrar nomes de pessoas e de objetos, e pouco irá compreender o que você está falando. Ele irá esquecer ou trocar palavras antes usuais, e também falar coisas sem sentido.

Logo, a comunicação verbal precisa se dar através de frases curtas e simples, por exemplo, ao oferecer algo é melhor especificar: "você quer ler?", ao invés de perguntar: "você quer fazer alguma coisa?". Dê tempo para que ele entenda o que foi dito. Se for necessário repita a frase ou utilize outra expressão com o mesmo sentido. Sempre mantenha o tom de voz calmo, e ao conversar, faça com que o paciente olhe diretamente para você.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

2. Estabeleça rotinas

O paciente, com a evolução da demência, se torna mais inseguro. Mudanças de ambiente e nas suas atividades diárias podem desencadear confusão mental. Portanto, estabeleça rotinas, de modo que as tarefas - como higiene pessoal e alimentação - sejam realizadas sempre no mesmo horário. As tarefas devem ser simplificadas, por exemplo, na hora de se vestir, reduza as opções de roupa no armário. Evite roupas com zíper, fivelas ou botões e deixe as peças de roupa separadas sempre na mesma ordem.

3. Estimule a independência: Faça COM ele e não POR ele

O envelhecimento traz limitações, porém devemos sempre estimular a autonomia do idoso. Estimule-o a fazer sozinho as atividades que estejam dentro da sua rotina, como se vestir, por exemplo. Inicialmente deixe-o tentar fazer por conta própria, se você perceber que ele não fez a tarefa completa passe a supervisioná-lo e orientá-lo. Se o paciente não conseguir após as suas orientações, auxilie-o na tarefa. E ao final, se ele se mostrar incapaz de realiza-la, você pode fazer por ele. A mobilidade também tem um papel importante para saúde do paciente, pois reduz o risco de infecções e trombose venosa, além de diminuir a sobrecarga do cuidador, então procure estimulá-lo a andar e se movimentar sempre que possível.

4. Cuide da segurança dele

Devido à diminuição da acuidade visual e auditiva, somado a instabilidade da marcha presente no idoso, é essencial tomar alguns cuidados para evitar quedas e estimular a independência:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O paciente não deve ficar em ambiente totalmente escuro, pois isso pode deixa-lo mais confuso, mantenha sempre algum tipo de iluminação indireta à noite. Nas portas, as fechaduras devem ficar sempre na parte mais alta ou na mais baixa. Outra importante medida para evitar acidentes é guardar a chave da casa e do carro em locais seguros, pois em crises ele pode ficar agitado e tentar deixar a casa.

5. Tenha algumas "regras" para a alimentação

Sempre procure oferecer as refeições em locais tranquilos e com horários regulares, lembre-se: a rotina deixa o paciente menos confuso. Evite distrações neste horário, como televisão, música alta ou muitas pessoas conversando ao mesmo tempo. A dificuldade de engolir pode estar associada ao quadro demencial, dessa maneira, um alimento com a consistência mais pastosa irá melhorar na deglutição, isso poderá evitar engasgos. A dieta deve ser fracionada, ou seja, o paciente deve ter seis refeições diárias, sendo cada uma em pequena quantidade.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

7. Preste atenção aos sinais na pele

O idoso apresenta uma pele mais fina e frágil, logo tem mais facilidade de ter lesões em áreas de apoio do corpo (região sacral e calcanhar). Para o paciente que está acamado, não é recomendado deixá-lo sempre na mesma posição, movimente-o, no mínimo, a cada duas horas. Deve-se fazer o uso de creme hidratante na pele e oferecer líquidos durante o dia para evitar uma possível desidratação. A fralda deve ser trocada, no mínimo, a cada três horas. Em caso de feridas na pele, procure uma equipe de saúde que irá prescrever o curativo.