Saúde feminina: como proteger a região íntima todos os dias

Hábitos simples ajudam a preservar a saúde da região íntima, prevenindo odores e desconfortos

Cuidar da região íntima é cuidar da saúde como um todo. Falar sobre isso, porém, ainda causa desconforto a muitas mulheres, já que o tema é considerado um tabu. Essa dificuldade, associada a uma rotina agitada, acabam fazendo com que os cuidados com essa parte do corpo fiquem em segundo plano, o que pode comprometer a saúde íntima feminina, que é naturalmente mais sensível e delicada.

Pequenas mudanças de hábito já ajudam a preservar a saúde e a proteção da região íntima, todos os dias. Pensando nisso, reunimos dicas simples e fáceis de serem colocadas em prática no cotidiano, com confiança e segurança. Confira abaixo:

Use sabonete íntimo

Diferentemente de outras partes, a região íntima merece cuidados especiais. Na hora de tomar banho, por exemplo, prefira um sabonete desenvolvido especialmente para essa parte do corpo em vez de usar sabonetes comuns. Esse cuidado é importante para evitar desconfortos e a proliferação de micro-organismos, como os fungos, que causam a candidíase.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O sabonete líquido Protex Íntimo é ginecologicamente testado e pode ser utilizado todos dias, inclusive durante a gestação ou até mesmo no período menstrual, conforme a necessidade da mulher. Protex Íntimo ainda possui formatos variados que acompanham a rotina da mulher, como a versão de 40 ml, que cabe na bolsa.

Para utilizá-lo, basta seguir o ritual comum de higiene. No banho, despeje uma pequena quantidade na mão e aplique na parte externa da vagina até espumar. Em seguida, enxágue a espuma com água abundantemente.

Vá ao ginecologista

O médico ginecologista é o especialista que acompanha a saúde da mulher desde o início da puberdade. Para ficar atenta às alterações da região íntima, marque consultas periódicas e não tenha vergonha de tratar sobre assuntos íntimos com o médico. Fale sobre suas dúvidas e lembre-se de relatar qualquer anormalidade que você tenha percebido no corpo ou na região íntima, como odores, coceira, alergias, corrimentos ou até mesmo uma coloração estranha na menstruação.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Não fique muito tempo com roupas de banho úmidas

Ir à praia ou à piscina é sempre prazeroso, mas o hábito de permanecer com a roupa de banho molhada por muito tempo pode prejudicar a saúde. Muitos casos de infecções, causadas principalmente por fungos, ocorrem nessas circunstâncias, já que o ambiente se torna propício para a proliferação dos micro-organismos. O ideal é vestir uma roupa seca assim que possível, evitando umidade e calor na região íntima.

Dê preferência para lingeries de algodão

A calcinha também tem um papel fundamental na preservação da saúde íntima. Basta lembrar que a peça está em contato direto com a vagina, ou seja, é muito importante escolher tecidos macios e que evitem o abafamento dessa parte do corpo. As peças de algodão, por exemplo, permitem que a região íntima fique ligeiramente ventilada, o que evita problemas como transpiração excessiva, secreções e proliferação de micro-organismos. Além disso, outros tecidos, como os sintéticos, podem causar alergias.

Protetor diário: use com moderação

Apesar da recomendação de uso do nome, os protetores diários não devem ser usados com muita frequência. Como ficam em contato direto com a região íntima, esses produtos podem impedir que o ar circule adequadamente, aumentando os riscos de infecções. Se você se sente mais à vontade com o protetor para proteger a roupa íntima de corrimentos e odores, procure um ginecologista e investigue as causas desses desconfortos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No período menstrual, faça trocas regulares de absorvente

A troca de absorvente é muito importante para a saúde do corpo e também da região íntima. Sem a devida ventilação e higienização, que ocorre com a troca do absorvente, a região fica sujeita à ação de micro-organismos, como bactérias e fungos.

Recomenda-se que os absorventes internos sejam trocados após cinco horas de uso, enquanto os externos devem ser trocados após pelo menos quatro horas de uso ou de acordo com a intensidade do seu fluxo menstrual.

Evite lavar a parte interna da vagina

Alguns hábitos inadequados de higiene íntima acabam passando despercebidos em meio à correria do dia a dia. Um deles é a lavagem da parte interna da vagina, também chamado de "ducha interna". Elas não são recomendadas pois podem irritar a mucosa vaginal e atrapalhar a defesa natural do corpo. O ideal realizar a lavagem apenas na parte externa com produtos específicos para a região, como o Protex Íntimo, que garante frescor e proteção todos os dias.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Evite roupas muito apertadas

Se você gosta de usar peças jeans ou mais justas com frequência, tente revezar com peças mais soltas e leves, que evitam o aquecimento e abafamento da região íntima para evitar odores e desconforto. Vale lembrar que um ambiente quente e sem ventilação favorece a proliferação de micro-organismos.

Tome banho após as relações sexuais

Não há nada melhor para a região íntima do que uma higienização correta e na medida certa. Quando falamos em sexualidade, vale o mesmo raciocínio. Para manter a saúde da região íntima em dia, recomenda-se que a mulher faça a higienização da área após as relações, de preferência no mesmo dia do encontro.

O banho previne alguns problemas associados à proliferação de fungos e, além disso, remove os resíduos de lubrificantes, naturais ou sintéticos.

Durma sem calcinha

Pequenas atitudes podem fazer toda a diferença na hora de cuidar da saúde íntima. Manter a região ventilada, por exemplo, é um hábito que traz muitos benefícios, evitando abafamento, suor, secreções e outros desconfortos. Por isso, a dica é experimentar algumas noites de sono sem usar roupa íntima, o que melhora a circulação de ar e sangue nesta região. Se você não se sente confortável com a ideia, prefira calcinhas de algodão e em modelagens mais largas, que não atrapalham tanto a ventilação da região íntima.