15 sintomas de desidratação causados pela diarreia e por que é preciso agir rápido

Entenda por que em crianças a desidratação é ainda mais perigosa e o que fazer para evitar a diarreia

A diarreia, que é entendida como fezes de consistência amolecida ou aguada, juntamente com uma evacuação de três ou mais vezes por dia, pode provocar diversos sintomas como febre, vômitos, sangue nas fezes e, sem dúvida, o mais preocupante deles, que vai muito além de um simples incômodo ou dor abdominal: a perda de fluidos pelo organismo, caracterizada pela desidratação1,2,3.

Por definição, a desidratação é um estado do organismo que acontece quando o corpo não tem a quantidade de água ou fluidos necessários para todas suas funções vitais. Há, porém, níveis diferentes de desidratação, como leve, moderada e severa, e ela varia de acordo com a quantidade de líquidos (ou fluidos) que são perdidos e não são repostos em tempo hábil4.

Quando severa, porém, a desidratação é considerada uma emergência médica e pode, inclusive, levar à morte. E a atenção deve ser redobrada no caso de crianças, pois o quadro pode ser ainda mais grave, já que essa perda de fluidos pode acontecer de forma mais rápida, daí a necessidade de agir imediatamente na reposição desses fluidos e, quando necessário, buscar ajuda médica4.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quais os sintomas da desidratação?

No caso de desidratação leve ou moderada, os sintomas podem ser:

1. Sede e boca seca4

2. Pouca urina e urina amarelo-escura4

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

3. Pele seca e fria4

4. Dor de cabeça4

5. Cãibras4

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já no caso de desidratação severa, os sintomas incluem:

6. Ausência de urina ou urina intensamente amarelo-escura ou âmbar4

7. Pele seca e enrugada4

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

8. Confusão e irritabilidade4

9. Tontura4

10. Batimentos cardíacos acelerados4

11. Respiração acelerada4

12. Olhos fundos4

13. Apatia4

14. Inconsciência4

15. Delírio4

Por que a desidratação é tão perigosa?

A desidratação causada pela diarreia é perigosa porque há perda de fluidos e neles também estão presentes vários eletrólitos, como o sódio e o potássio, que são fundamentais para o bom funcionamento do organismo. Além disso, a desidratação pode provocar convulsões, danos cerebrais permanentes e até mesmo a morte4,5.

A desidratação também pode levar a problemas renais e urinários, bem como ao choque hipovolêmico, que nada mais é do que uma condição séria provocada pelo baixo volume de sangue no organismo, o que leva a uma queda de pressão e, consequentemente, à diminuição da quantidade de oxigênio no organismo4,5.

É por isso, portanto, que a desidratação deve ser tratada imediatamente para evitar complicações mais sérias.

Como tratar a desidratação e quando procurar o médico?

Ao primeiro sinal de diarreia nas crianças, é preciso ficar atento para incentivar a ingestão de líquidos, sendo que esses podem ser desde água como sucos ou sopas. No caso de uma criança que ainda está na fase de amamentação, é importante continuar oferecendo o leite materno, já que ele também vai ajudar a repor os líquidos perdidos6.

Há, também, a possibilidade de oferecer soro de reidratação à criança6, sendo possível adquirir em farmácias o sachê pronto para ser diluído em água ou prepará-lo de forma simples em casa.

Para a forma caseira, basta adicionar 1 colher (das de sopa) de açúcar e 1 colher (das de café) de sal em um litro de água mineral, filtrada ou fervida, mexendo bem para que o sal e o açúcar se diluam bem na água. É preciso oferecer o soro à criança durante todo o período em que a diarreia estiver em curso, para contrabalançar a desidratação6.

Caso a criança continue apresentando os sinais de desidratação, é hora de buscar ajuda médica imediatamente. Isso porque o médico poderá ajudar a identificar a causa da diarreia e indicar o melhor tratamento, bem como indicar a aplicação de soro endovenoso, quando o soro é aplicado diretamente na veia da criança, promovendo a reidratação de forma segura e rápida7.

Prevenir a diarreia é fundamental

A diarreia pode ser causada por diversos agentes, entre eles os vírus, bactérias, fungos e parasitas. Muitas vezes, porém, a diarreia é provocada por falta de higiene adequada2. Abaixo, veja o que é possível fazer para prevenir a diarreia:

Referências

1 - National Institutes of Health. Diarrhea. National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Disease. Disponível em: https://www.niddk.nih.gov/health-information/digestive-diseases/diarrhea/definition-facts Acesso em 15 de dezembro de 2020.

2 - Informativo Epidemiológico. Situação Epidemiológica das Doenças Diarreicas, 2017 e 2018. Subsecretaria de Vigilância à Saúde. Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Disponível em: http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2019/08/Situa%C3%A7%C3%A3o-Epidemiol%C3%B3gica-das-Doen%C3%A7as-Diarreicas.pdf Acesso em 15 de dezembro de 2020.

3 - Guia Prático de Atualização - Departamento Científico de Gastroenterologia. Diarreia aguda: diagnóstico e tratamento. Sociedade Brasileira de Pediatria. Disponível em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/2017/03/Guia-Pratico-Diarreia-Aguda.pdf Acesso em 15 de dezembro de 2020.

4 - National Institutes of Health. Dehydration. Medline Plus - U.S. National Library of Medicine. Disponível em: https://medlineplus.gov/ency/article/000982.htm Acesso em 15 de dezembro de 2020.

5 - Patient Care & Health Information. Diseases & Conditions. Dehydration. Mayo Clinic. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/dehydration/symptoms-causes/syc-20354086 Acesso em 15 de dezembro de 2020.

6 - Biblioteca Virtual em Saúde. Diarreia e desidratação. Ministério da Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2053-diarreia-e-desidratacao Acesso em 15 de dezembro de 2020.

7 - Reid SR, Bonadio WA. Outpatient rapid intravenous rehydration to correct dehydration and resolve vomiting in children with acute gastroenteritis. Annals of Emergency Medicine. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8780476/ Acesso em 15 de dezembro de 2020.

MAT-BR-2104897