PUBLICIDADE

Falar dormindo é normal? Veja por que acontece e o que fazer

Apesar de parecer estranho, este hábito é uma parassonia muito comum e tem como ser evitada

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Alguém já te disse que você fala dormindo? Ou você já presenciou alguém falando durante o sono? Pois fique tranquilo, essa é uma situação muito comum. De acordo com um estudo recente publicado na revista Sleep Medicine, mais de dois terços das pessoas vão falar enquanto dormem durante a vida.

Na medicina do sono, a ação de falar dormindo é uma parassonia, segundo Sandra Doria, médica e pesquisadora do Instituto do Sono. "São situações não planejadas ou desejadas, inconscientes, que ocorrem durante o sono. Uma das parassonias é o 'falar dormindo', chamado de soniloquência ou soniloquismo", explica.

Por que falamos dormindo?

De acordo com a especialista, a fala durante o sono pode não ter uma relação com a realidade e, em alguns casos, não tem razão aparente. "Acredita-se ser uma dissociação entre os estados de vigília (acordado) e sono, misturando algumas características da vigília, como o falar, com a inconsciência, característica do sono", afirma.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No entanto, segundo Sandra, a soniloquência pode estar ligada a alguns fatores desencadeantes, como febre, abuso de substâncias e estresse.

É normal falar dormindo?

A fala durante o sono é uma atividade normal do cérebro. A pesquisadora do sono afirma que, apesar de parecer estranho, falar dormindo é uma ação totalmente benigna e comum. O problema maior está para quem dorme do lado de quem fala dormindo do que para a pessoa que fala.

Falar dormindo é o mesmo que sonambulismo?

É importante ressaltar que a soniloquência, o sonambulismo e a paralisia do sono são parassonias diferentes e não estão diretamente relacionadas entre si. Ainda assim, podem ocorrer em diferentes fases da vida de uma pessoa.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"É comum ter componente familiar, ou seja, mais membros de uma mesma família com história de soniloquismo, sonambulismo, terror noturno ou outras parassonias", detalha Sandra.

O sonambulismo também é uma parassonia muito comum e, basicamente, consiste em levantar-se da cama, andar ou praticar qualquer atividade enquanto ainda está dormindo. Geralmente, uma pessoa sonâmbula pode fazer desde coisas mais simples até atividades rotineiras, como se vestir ou preparar um lanche.

Já a paralisia do sono é o despertar do cérebro antes do corpo, provocando a interrupção do sono, mas sem que o indivíduo consiga se mover ou falar. Na maioria dos casos, pode provocar sensações de medo e até alucinações.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O que fazer quando alguém fala dormindo?

Geralmente, a fala durante o sono é rápida e pode variar em diferentes graus de compreensão. "Se muito recorrente, pode chegar a incomodar quem dorme ao lado. Porém, não há necessidade de interromper o sono de quem está falando enquanto dorme", explica Sandra.

Dessa forma, não seria possível "puxar conversa" ou perguntar algo e esperar uma resposta coerente. Em poucos casos, a pessoa dormindo pode responder com poucas palavras, mas de forma rápida. "Em menos de um minuto, a fala deve terminar", reforça a médica.

Falar dormindo prejudica a qualidade do sono?

Naturalmente, a fala pode suceder um breve despertar do sono, mas raramente pode levar ao prejuízo do sono, segundo Sandra Doria. A preocupação maior está voltada ao descanso de quem dorme com uma pessoa que fala dormindo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para minimizar a frequência do soniloquismo, a médica recomenda tentar diminuir o estresse, por ser um dos fatores desencadeantes, e evitar a utilização de aparelhos eletrônicos próximo ao horário de dormir. De acordo com um artigo do Hospital Israelita Albert Einstein, o uso de celular ou tablet antes de dormir interfere negativamente na qualidade do nosso sono.

Saiba mais: Como reduzir o estresse? Ouvir ASMR é opção