Por que a maioria das vacinas se toma na infância? Entenda a importância

A vacinação é uma ação preventiva essencial para reduzir a mortalidade por doenças imunopreveníveis, em sua maioria graves e fatais

É fato: as vacinas ajudam a aumentar a longevidade e melhorar a qualidade de vida. Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), em dois séculos, a vacinação conseguiu aumentar a expectativa de vida em cerca de 30 anos1. Afinal, ela é capaz de diminuir e erradicar a circulação de algumas doenças infecciosas que podem levar a complicações graves e até à morte1.

Bebês merecem ainda uma atenção especial, pois eles contam com o sistema imunológico imaturo, com as defesas imunológicas ainda em formação1. Por isso, a maioria das vacinas é aplicada durante a infância, para proteger esse grupo o mais rápido possível. Assim, o sistema imune é estimulado a produzir anticorpos específicos para esses agentes infecciosos desde cedo1, favorecendo um crescimento e desenvolvimento saudável das crianças3.

Os efeitos da vacinação são notórios! Em 22 anos, o índice de mortalidade infantil do Brasil caiu 77%. A redução de mortalidade por doenças imunopreveníveis também foi percebida na população adulta e idosa, gerando um impacto positivo na qualidade e na expectativa de vida1.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

E para que a vacina continue tendo ação positiva na saúde pública, reduzindo ou eliminando os casos de doenças altamente contagiosas, é essencial manter a vacinação das crianças em dia2. O calendário da SBIm estabelece que, até o primeiro ano de vida, a criança deve receber as seguintes vacinas4:

Apesar da quantidade de imunizantes, o sistema imunológico da criança não fica sobrecarregado, e é capaz de lidar com todas essas vacinas tranquilamente2.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Importância da vacinação

Mesmo com todos os benefícios da vacina, a cobertura vacinal está em queda no Brasil, especialmente durante a pandemia. De acordo com um levantamento do IBOPE, 29% dos pais suspenderam a vacinação dos filhos com o início da pandemia da COVID-195.

Ao adiar a vacinação, a vulnerabilidade da criança aumenta2 e, consequentemente, o risco de casos de doenças reduzidas ou erradicadas ressurgirem também. Isso porque quanto maior a quantidade de pessoas vacinadas, menor é a chance das não vacinadas adoecerem1.

Esse efeito pode ser chamado de proteção coletiva, ou "de rebanho", e acontece quando o indivíduo vacinado não transmite a doença para aqueles que ainda não foram imunizados por uma série de motivos, como: por questões de idade, por possuírem algum problema que impeça a vacinação ou porque não atingiram os níveis ideais de anticorpos, e, portanto, não estão devidamente imunizados1.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Manter a carteirinha de vacinação em dia é essencial para o controle ou erradicação de determinadas doenças em uma comunidade1. Por isso, e para proteção individual, é de extrema importância levar os bebês para vacinar conforme o calendário de vacinação previsto no País e, claro, a orientação do pediatra. Afinal, quem ama, vacina.

Referências:

1. Ballalai I, Bravo F. Imunização: tudo o que você sempre quis saber. Sociedade Brasileira de Imunizações. Disponível em: http://biblioteca.cofen.gov.br/wp-content/uploads/2018/10/imunizacao-tudo-o-que-voce-sempre-quis-saber.pdf Acesso em 22 de julho de 2021.

2. UNICEF. Vacinas - perguntas e respostas. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/vacinas-perguntas-e-respostas Acesso em 22 de julho de 2021.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

3. Wolkers PCB, Santos JS, Yakywa MS et al. Direito à Imunização na Infância e Adolescência: Uma Revisão Narrativa. Ciencia y enfermería (versão on-line). Disponível em: https://scielo.conicyt.cl/pdf/cienf/v22n3/0717-9553-cienf-22-03-00085.pdf Acesso em 22 de julho de 2021.

4. Sociedade Brasileira de Imunizações. Calendário de vacinação SBIm: criança. Disponível em: https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf Acesso em 22 de julho de 2021.

5. Sociedade Brasileira de Pediatria. Uma em cada três famílias adiaram a vacinação dos filhos durante a pandemia. Disponível em: https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/uma-em-cada-tres-familias-adiaram-a-vacinacao-dos-filhos-durante-a-pandemia/ Acesso em 22 de julho de 2021.