PUBLICIDADE

Fique livre dos males de verão

Conheça algumas doenças comuns nessa época do ano e dicas de como se prevenir delas

O verão, de fato, é a estação do ano mais esperada e desejada pelos brasileiros. É época de sol, calor, férias, praia, enfim, é o momento ideal para pôr um chinelo e exibir o corpo malhado adquirido durante horas nas academias e clínicas estéticas nas outras estações. Mas é aí que mora o perigo. Para que a estação seja perfeita, é importante relembrar algumas dicas preciosas e tomar alguns cuidados para aproveitar todos os momentos de relaxamento e diversão.

Evidentemente, quem vai à praia veste pouca roupa, usa sandálias ou anda descalço pelas calçadas e areias. Nesse momento, lesões de pele que não estão aparentes nas demais estações, mas existem há muito tempo, podem aparecer. Pode acontecer na hora de vestir uma bermuda ou um biquíni. Por outro lado, a exposição da pele à água e areia, por exemplo, permite o aparecimento de lesões cuja incidência é mais comum no verão.

As doenças mais conhecidas são a micose e a herpes, mas existem muitas outras patologias que aparecem com freqüência na época do verão. A herpes simples, principalmente a labial, é uma doença freqüente nos períodos de maior exposição ao sol. Ela é causada pelo vírus herpes simples tipo 1, adquirido normalmente na infância e adolescência, surgindo em surtos esporádicos durante a vida adulta. O tratamento pode ser tópico ou oral. Já a micose é uma doença causada por fungos, que são limitados à pele, aos pêlos, as unhas e às mucosas. Os fungos que transmitem a micose podem ser de origem humana, animal ou do solo e aparecem em locais úmidos, como a areia da praia. Na maior parte das lesões localizadas, o tratamento tópico (em creme) é suficiente para a cura.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Veja abaixo, outras doenças comuns no verão:

Câncer de pele - O câncer de pele mais comum é o carcinoma basocelular (CBC), e o mais grave é o melanoma. O CBC ocorre geralmente após os 40 anos, tendo como principal fator de causa a exposição à luz solar, principalmente para quem tem a pele clara. Geralmente começa com uma pápula (pequena bola) rósea, que tende a sangrar. O melanoma ocorre entre os 30 e 60 anos de idade. O fator genético é importante, mas o grande vilão do melanoma, na verdade, é a exposição crônica e contínua ao sol.

Queratose solar - Também chamada de queratose actínica. Caracteriza-se por apresentar lesões queratósicas, rugosas, com escamas amareladas ou acastanhadas, aderentes e secas. Ocorre principalmente nas mãos, face, antebraços, decote, orelhas, couro cabeludo em calvos. Evitar a exposição cumulativa ao sol durante a vida inteira é a melhor maneira para prevenir. O tratamento é cirúrgico e a recuperação é total.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Queimadura solar - É uma reação aguda que consiste na formação de eritema (vermelhidão), inchaço, dor local e nos casos mais intensos, queimadura de segundo grau e formação de bolhas. As lesões cutâneas dependem basicamente da intensidade da radiação e do tipo de pele. Os indivíduos de pele mais clara reagem com maior intensidade a menores doses de ultravioleta. O maior responsável é o ultravioleta B. A principal causa é a permanência por horas seguidas exposta ao sol sem protetor solar. Dependendo do caso, com o aparecimento de bolhas ou não, há tratamento, com o uso de corticóide, por exemplo.

Micoses superficiais - Compreendem grupos de patologias causadas por fungos. As infecções dos pés são bastante comuns e se apresentam com descamação e maceração da pele dos espaços entre os dedos, podendo ocorrer fissuração e coceira. O tratamento é feito com antimicóticos em creme ou via oral, dependendo do caso. Há algumas medidas importantes na prevenção dessas doenças: evitar períodos prolongados com roupas úmidas, fazer a higiene adequada e constante das dobras do corpo e não compartilhar roupas e toalhas.

Pitiríase versicolor (Pano branco) - Infecção causada por fungo chamado pityrosporum ovale, extremamente comum em climas quentes e úmidos. Clinicamente, apresenta-se com manchas acompanhadas de descamação, de cor variável, justificando o termo versicolor. As lesões situam-se habitualmente no pescoço, tórax e raízes dos membros superiores. O tratamento é feito via oral, quando necessário, com cetoconazol em forma de xampu e derivados. Na realidade, as pessoas que apresentam esta patologia já apresentam tendência ao problema.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Foliculites - São piodermites (infecções de pele) que se iniciam no folículo piloso do cabelo. São doenças universais e acometem todas as idades. Geralmente causadas por bactérias chamadas estafilococos. O tratamento é feito com antibióticos dependendo do grau em que se encontra. Como o pelo é o principal causador da infecção, fazer depilação a laser é o ideal para evitar esta patologia.

Urticária solar - As urticárias são erupções caracterizadas pelo aparecimento súbito de lesões edematosas (que apresentam inchaço) de duração efêmera e que causam muita coceira. Podem aparecer em algumas regiões ou no corpo todo. As lesões individuais de urticária persistem por algumas horas, surgindo outras lesões em outras áreas. A descoberta do agente causal pode ser extremamente difícil, pois são causas possíveis de urticária: medicamentos, alimentos como peixes e mariscos, crustáceos, carne de porco, ovos, leite, inalantes, infecções, parasitoses, agentes físicos (luz, calor, frio, pressão) e fatores psicogênicos. A urticária solar é uma forma rara de doença da pele na qual surgem lesões pela exposição à luz solar. O tratamento é com medicação à base de antialérgicos.

Desidratação - A desidratação é a perda de líquidos e sais minerais do corpo. Normalmente, perdemos em média dois litros de água por dia, seja pela urina, fezes, suor ou até mesmo pela respiração. Essa perda pode ser aumentada por vários fatores no verão, como o aumento da transpiração, vômitos e diarréias (alterações provocadas pela ingestão de alimentos contaminados) que são mais freqüentes no verão. Quando uma pessoa está desidratada, fica irritada, apresenta sede, fica muito tempo sem urinar, com a boca e mucosas secas, olhos ressecados e fundos. A desidratação pode ser grave e, por isso, deve ser evitada. Algumas dicas importantes para prevenir a desidratação são: prefira local arejado e com sombra, use roupas leves, ingira constantemente líquidos e cuidado com os alimentos consumidos. O soro caseiro pode ser utilizado no tratamento. Ele deve ser feito misturando uma colher de chá de açúcar e uma colher de café de sal em um litro de água. Deve-se oferecer à pessoa desidratada à vontade a cada 30 minutos e após cada evacuação no caso de diarréia. Há situações em que a desidratação se torna mais grave, sendo necessário o atendimento hospitalar.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Bicho Geográfico - Também denominado larva migrans. Trata-se de uma patologia constituída por erupção linear, ligeiramente saliente, que apresenta coceira causada pela penetração na pele de larvas do gênero Ancilostoma. O tratamento é feito com tiabendazol, via oral ou em pomada, dependendo da gravidade do caso. Acne solar Caracteriza-se por uma erupção que atinge principalmente o tronco e a raiz dos membros superiores, surgindo alguns dias após a exposição intensa destas áreas ao sol.

Melasma - O melasma é uma manifestação caracterizada por manchas escuras na face. O seu surgimento geralmente está relacionado à gravidez ou ao uso de anticoncepcionais hormonais (pílula) e tem como fator desencadeante a exposição da pele ao sol. Quando estas manchas ocorrem durante a gravidez, recebem a denominação de cloasma gravídico. A doença aparece principalmente nas mulheres, mas também pode acometer os homens. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética influencia o seu surgimento. A profundidade em que se localiza o pigmento na pele determina o tipo de melasma, que pode ser epidérmico (mais superficial e que responde melhor ao tratamento), dérmico (mais profundo e de tratamento mais difícil) ou misto.

Dicas para o verão:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Usar filtro solar adequado ao seu tipo de pele, mesmo em dias nublados e quando se está debaixo do guarda-sol, pois os raios ultravioletas refletem na água e na areia;

Evitar a exposição ao sol entre as 10h e 16h;

Secar bem os vãos entre os dedos dos pés e a virilha;

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Permanecer o mínimo de tempo possível com roupas de banho molhadas.

Monica Carvalho é dermatologista com especialização em dermatologia infantil e dermatoscopia (estudo detallhado das "pintas do corpo pela UNIFESP). Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.