PUBLICIDADE

Homem desenvolve testículo com "casca de ovo" após picada

Parte de um dos testículos do paciente ficou calcificada devido ao contágio por elefantíase, transmitida por picada de mosquito

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Um homem indiano de 80 anos virou assunto no mundo todo depois de ser diagnosticado com uma condição de saúde raríssima: o paciente apresentou uma calcificação peculiar ao redor de um de seus testículos, que lembrava uma "casca de ovo".

O caso ocorreu em Lucknow, na Índia, onde o idoso deu entrada em um hospital com queixa de sangramento e ardência para urinar. Para a surpresa dos médicos, o diagnóstico definitivo foi feito após a realização de exames de imagem, que mostraram a rara condição desenvolvida pelo paciente.

Apesar da suspeita inicial de infecção urinária, foi constatada a presença de uma camada cheia de líquido na região genital do idoso - conhecida como hidrocele testicular. Em casos pouco frequentes, essa "bolsa" de líquido pode levar a calcificações no escroto.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Homem tem testículo "casca de ovo" devido à elefantíase - Foto: Reprodução/BMJ Case Reports
Homem tem testículo "casca de ovo" devido à elefantíase - Foto: Reprodução/BMJ Case Reports

A ocorrência foi publicada no periódico BMJ Case Reports, em que médicos verificaram que a hidrocele aconteceu como uma consequência do quadro de elefantíase - doença que acometeu o paciente.

O que é elefantíase

A elefantíase, também chamada de filariose, é uma doença parasitária transmitida por mosquitos, em que a larva causadora adentra a corrente sanguínea, se reproduz e dá origem a vermes.

Primeiramente, as larvas ficam alocadas no pulmão e depois entram na circulação. Os vermes, então, podem obstruir os vasos linfáticos (responsáveis por transportar células que agem contra infecções), gerando graves inflamações - levando, inclusive, à incapacidade permanente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quase 70% dos casos não apresentam sintomas iniciais, sendo percebidos somente na fase crônica (etapa com lesões irreversíveis). Quando percebidos, os principais sintomas de elefantíase são:

Tratamentos

O tratamento para elefantíase é prioritariamente feito com o uso de analgésicos e elevação dos membros afetados pelo inchaço. Meias elásticas e drenagem linfática também podem ser recomendadas pelos médicos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para a hidrocele, em especial, cuidados com a pele e cirurgia podem ser requisitados, conforme avaliação profissional. No caso do paciente indiano, os médicos não revelaram se o quadro de calcificação do testículo pode ser revertido.

Como se prevenir da elefantíase

A elefantíase é mais comum em países tropicais e subtropicais, incluindo regiões brasileiras como Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Paulista. De acordo com o Ministério da Saúde, é necessário um longo período de permanência em áreas de alto risco para contrair a doença.

Contudo, medidas podem ser tomadas para evitar a contaminação, como:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Doenças transmitidas por mosquito

Conheça todas as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

Descubra o que é e como evitar a febre oropouche

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Saiba identificar e diferenciar dengue, malária e febre amarela