PUBLICIDADE

Confirmadas mais 2 mortes associadas à cerveja Backer em MG

Autoridades mineiras anunciaram nesta segunda (03) que as vítimas tinham suspeita de intoxicação por dietilenoglicol

Nesta segunda-feira (03), mais duas mortes relacionadas ao consumo de cervejas contaminadas da empresa Backer foram confirmadas em Minas Gerais. Ao todo, seis pessoas morreram após apresentarem sintomas de intoxicação por dietilenoglicol, substância química que foi encontrada em diversos lotes de produtos da cervejaria.

Pela manhã, a Polícia Civil anunciou que João Roberto Borges, de 74 anos, veio a óbito depois de ficar internado tratando os efeitos da síndrome nefroneural - doença que vem sendo associada à intoxicação causada pelas bebidas da Backer. Ele estava no Hospital Madre Teresa, no bairro Gutierrez, em Belo Horizonte.

Mais tarde, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou a sexta vítima suspeita de envenenamento por dietilenoglicol. Trata-se de um homem que faleceu no sábado (1º) e que não teve outras informações pessoais divulgadas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mortes e casos notificados

De acordo com o órgão, até esta segunda-feira, foram notificados 30 casos suspeitos de intoxicação provocada pelas cervejas da Backer. Desses, 26 pessoas são do sexo masculino e quatro do sexo feminino.

Do total, apenas quatro casos foram confirmados e os 26 restantes continuam sob investigação, uma vez que apresentaram sinais e sintomas compatíveis com o quadro de intoxicação por dietilenoglicol e com relato de exposição ao produto contaminado.

Entre as vítimas fatais, somente uma pessoa está entre os quatro casos em que foi confirmada a presença da substância dietilenoglicol no sangue. Os outros cinco óbitos, incluindo os dois que foram confirmados hoje, estão em investigação e a confirmação sobre a causa da morte depende do resultado de análises laboratoriais.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Recolhimento de cervejas

Após exames periciais, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) determinou a interdição cautelar de todas as marcas de cerveja da empresa Backer e lotes com data de validade igual ou posterior a agosto de 2020. Além disso, foi suspensa a comercialização e distribuição dos produtos em todo o território nacional.

A recomendação dos órgãos públicos é de que, por precaução, nenhuma cerveja produzida pela cervejaria Backer, independente de marca e lote, seja consumida. A SES-MG também orienta a população a não descartar os produtos, devendo entregá-los apenas nos pontos de recepção organizados pela Vigilância Sanitária.

Relembre o caso

Após morte, doença misteriosa preocupa autoridades em MG

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Substância em cerveja teria causado doença misteriosa em MG

Sobe para 4 número de mortes relacionadas à cerveja em MG