Marinelza perguntou:

Que doença faz uma pessoa perder a voz ou fala após os 70 anos de idade?

  • Respondido em 12/09/2014
    Tainá Ferreira Fonoaudiologia - CRFa 2-17529/SP
    especialista minha vida
    Olá,

    A produção da voz está relacionada à respiração, à produção de som pelas pregas vocais (popularmente conhecidas como cordas vocais) e às estruturas que articulam e modificam a ressonância dos sons que incluem o nariz, a cavidade oral, os lábios, a língua e outras.

    Já a fala é a manifestação motora da linguagem e engloba a produção de voz, a articulação dos sons e a transmissão de mensagens.

    As alterações de voz ou fala prejudicam a comunicação e podem aparecer com o envelhecimento normal ou com o envelhecimento não saudável.

    No caso do envelhecimento saudável é mais comum observarmos alterações na organização das informações, na memória, na recuperação e produção de palavras, na qualidade da voz que pode ficar mais rouca e fraca e no tom da voz pode ficar mais aguda ou mais grave. As alterações exclusivamente vocais estão relacionadas a modificações na anatomia da laringe e das pregas vocais no decorrer da vida e também dependem do uso da voz ao longo dos anos e das condições de saúde – são chamadas de presbifonia. Vale ressaltar que alguns idosos podem começar a falar mais alto devido a perda auditiva que também pode aparecer nessa fase da vida.

    No caso do envelhecimento não saudável um grande número de doenças pode afetar a comunicação. A demência é a doença mais comum que afeta os idosos e ela consiste na deterioração das habilidades intelectuais e cognitivas que interferem nas atividades cotidianas das pessoas. A demência mais comum é a de Alzheimer, mas também podemos observar alterações de linguagem em outras como Demência Fronto-Temporal e Demência Vascular. Algumas doenças degenerativas, especialmente as alterações neuromusculares como Síndrome de Guillain-Barré, Miastenia Gravis, e as Distrofias Musculares podem modificar apenas as condições de produção vocal sem causar alterações de fala ou linguagem. Os AVCs também podem causar, entre outras alterações, alterações de voz, fala e linguagem.

    Notando-se alterações de voz, fala ou linguagem, tanto agudas quanto progressivas, é fundamental procurar ajuda médica para o correto diagnóstico e intervenção precoce. Na maioria dos casos, também será indicada terapia fonoaudiológica para recuperação das habilidades prejudicadas ou adaptação funcional e manutenção das habilidades ainda preservadas.

    Fonte:
    Tratado de Fonoaudiologia 2ª edição / Organização: Fernandes, F.D.M, Mendes, B.C.A, Navas, A.L.P.G.P. São Paulo, Editora Roca, 2009.
    Fonoaudióloga Tainá Ferreira – Responsável pela Clínica Fono Porã Especialidades Fonoaudiológicas

    PUBLICIDADE