Minha Vida - Saúde, Alimentação e Bem-Estar

Use a natureza para combater o estresse

Andar na terra, respirar o ar puro e até tomar sol fazem você relaxar

Por Letícia Gonçalves - publicado em 05/07/2012


Aqueles 15 minutinhos de sol que você toma ao caminhar na rua parecem insignificantes, mas são suficientes para descarregar uma boa carga do estresse que você passa no dia a dia. Estudos científicos e especialistas apontam que usar a natureza a seu favor é uma ótima alternativa para relaxar. Morar em cidades com poucas paisagens verdes não é desculpa, pois as sugestões para escapar da rotina são simples: vale desde ouvir sons da natureza até andar com os pés descalços na terra. Que tal experimentar? Confira as sugestões a seguir. 

de 7

Pés descalços na grama - Foto: Getty Images

Andar com os pés na terra

A prática de usar os pés para aumentar o bem-estar já foi encontrada em diferentes civilizações há centenas de anos. "No Japão, no século XII, os samurais cortavam bambus e andavam sobre eles para fortalecer a perseverança", afirma a terapeuta corporal Alda Martinelli, de São Paulo. A aplicação de pressão nos pés tem apelo terapêutico nos dias de hoje: serve para revitalizar, energizar e até prevenir e curar problemas nos ossos, músculos e circulação.

Ao reservar alguns minutinhos do dia para caminhar com os pés descalços na terra, você sente melhor as diferentes superfícies e temperaturas. "Com isso, você mobiliza a musculatura tensionada ou enfraquecida, promovendo relaxamento e revigorando outras partes do corpo por reflexo de pontos presentes no pé", explica a terapeuta. 

Homem no parque respirando o ar puro - Foto: Getty Images

Respirar o ar de áreas verdes

O contato com a natureza é importante para que a flora bacteriana do nosso organismo se desenvolva, fortalecendo a imunidade. É o que aponta um estudo desenvolvido pela Universidade de Helsinque, na Finlândia, e divulgado na publicação científica Proceedings of the National Academy of Sciences. Segundo a pesquisa, a falta de exposição à natureza pode aumenta a incidência de asma e outras alergias entre moradores de cidades.

"O tempo seco, partículas de fumaça, gases irritantes, substâncias químicas existentes no ar agravam as crises asmáticas", afirma o pneumologista Carlos Carvalho, do Hospital do Coração. Se você prezar por alguns minutinhos de passeio em um parque ou por uma viagem de final de semana a uma cidade mais verde, diminui as crises de alergia e outros problemas respiratórios que acabam com o humor de qualquer um.  

Mulher abraçada com cachorro - Foto: Getty Images

Ter contato com animais

Tem sensação melhor do que chegar em casa e esbarrar no seu cachorro, de língua de fora e rabo abanado de felicidade? O contato com um animal, seja de estimação ou não, é uma ótima forma de se distrair e de estimular a afetividade. "Muitas pessoas têm dificuldade de dar e receber carinho de outros seres humanos", afirma o neurocientista Alexandre Monteiro, coordenador do Projeto Animallis, que faz terapia assistida com animais em idosos com demências, como Alzheimer, e depressão. "O contato com animais pode funcionar como uma ponte para trabalhar as emoções, aumentando a sensação de segurança, a socialização e a motivação."

Homem tomando sol na cidade - Foto: Getty Images

Tomar 15 a 20 minutos de sol por dia

Um estudo feito pela Universidade do Alabama, nos Estados Unidos, indicou que viver em regiões com menor exposição solar agrava crises de depressão. Segundo especialistas, o sol estimula a produção do hormônio melatonina, que ajuda a regular o sono e o apetite sexual, combatendo a sonolência. Bastam alguns minutos diante do sol para você ter um dia com mais disposição. Só não se esqueça de passar filtro solar todo dia e evitar a exposição exagerada ao sol das 10 às 16 horas.  

Ouvir música no parque - Foto: Getty Images

Ouvir sons da natureza

Existem desde aplicativos para celular com sons da natureza até CDs e DVDs. Barulhos de chuva, cachoeira, pássaros e até baleias ajudam a levar a mente para longe dos problemas - recurso perfeito para relaxar antes de dormir. Pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, observaram esse benefício em pacientes com câncer: aqueles que tiveram contato com imagens de paisagens naturais e sons de pássaro fizeram menos queixas de dores do que as pessoas que viram imagens e sons de cidades ou ficaram sem ver nada.  

Mulher sentindo o aroma de pétalas de rosa - Foto: Getty Images

Aromas naturais

O cheiro de terra molhada, flores, madeira e diversos outros elementos da natureza pode tanto aumentar a disposição como promover relaxamento. A aromaterapia é uma técnica que combina esses diferentes aromas naturais e indica os melhores para cada situação. "Existem aromas que são estimulantes, ou seja, auxiliam na oxigenação e na circulação sanguínea, promovendo a eliminação de toxinas e o excesso de gás carbônico", afirma a aromaterapeuta e psicóloga Sâmia Maluf, da By Samia Aromaterapia. "Com esse verdadeiro 'arrastão', o organismo recupera as suas funções normais e acaba com a lentidão e o cansaço causados pelo estresse."

Casal com cachorros caminhando no parque - Foto: Getty Images

Cinco minutos de caminhada no parque

Mesmo que o dia esteja nublado, você pode se beneficiar pelo simples fato de estar ao ar livre em contato mais próximo com a natureza. De acordo com um estudo da Universidade de Essex, na Inglaterra, bastam cinco minutos de exercícios em uma área verde, como um parque, para melhorar a saúde mental. Foram analisadas 1.250 pessoas e aquelas que praticavam atividade física ao ar livre tiveram uma melhora mais rápida do humor e da autoestima.  

ver texto completo


Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."