Descubra o cheiro certo para afastar a insônia e o estresse

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 14/11/2006

Espantar o estresse e acabar com o cansaço do dia-a-dia pode ser tão simples quanto respirar. Melhor ainda, pode ser feito ao respirar. Usando o olfato como aliado, a aromaterapia previne e chega a ajudar na cura de uma série de males emocionais. "O nariz é uma porta aberta para o cérebro. Ao sentir determinado cheiro, a pessoa lida diretamente com as emoções", explica Sâmia Maluf, psicóloga e proprietária da consultoria By Samia Aromaterapia. Ao sentir o aroma, as moléculas entram em contato com a mucosa do nariz e logo vão para o bulbo-olfatório, que transmite a mensagem ao sistema límbico. Responsável pelas emoções e comportamentos, o sistema límbico é o local onde o cheiro começa a agir. Isso tudo leva de dois a três segundos. "É por isso que costumamos dizer que a aromaterapia traz respostas imediatas ao organismo", diz Sâmia.

Divididos em essências sintéticas, óleos essenciais e vegetais, os aromas são capazes de energizar o corpo e acalmar a mente, entre muitas outras funções. Óleos essenciais: aromas destilados retirados da natureza, eles agem terapeuticamente, porque desempenham uma função na memória olfativa do paciente. De acordo com Sâmia, ao reconhecer um cheiro que trazia boas sensações no passado, a pessoa é capaz de sentir o bem-estar novamente.
Óleos vegetais: chamados de carreadores, são condutores dos óleos essenciais, usados para diluí-los. "Às vezes, uma gota de óleo essencial equivale a 30 gramas de determinada planta. O óleo vegetal é usado para dispersar esse conteúdo", explica.
Essências sintéticas: imitam os aromas produzidos pela natureza e, por esse motivo, podem causar bem-estar, mas não servem como tratamento. "Ao inalar certa essência, a pessoa pode notar resultados imediatos, mas não a longo prazo", explica a aromatóloga. Isso porque eles não agem na memória olfativa do indivíduo. Um aroma, várias aplicações
"Os óleos agem independentemente da forma que são aplicados. Podem ser despejados em um lenço e inalados, usados durante um banho de banheira ou escalda-pés, como sabonete, como óleos de uma massagem ou, ainda, aromatizando o ambiente", fala Sâmia sobre algumas possibilidades e indicações de uso. "É só usar a criatividade". Mas ela alerta que os óleos essenciais não podem ser aplicados diretamente na pele. "O óleo de lavanda é muito famoso por seu efeito relaxante. Você pode pingar uma gotinha em um pedaço de algodão e colocá-lo entre o travesseiro e a fronha, na hora de dormir, por exemplo". A pedido do Minha Vida, a aromatóloga disponibilizou três receitas práticas contra a ansiedade, a insônia e o estresse. Confira. Controle a ansiedade
Para deixar a ansiedade de lado, a receita indicada por Sâmia contém seis gotas de óleo essencial de lavanda, duas gotas de óleo essencial de camomila e quatro gotas de óleo essencial de ylang-ylang diluídas em 20 ml de óleo vegetal de semente de uva. Use a mistura para fazer uma massagem relaxante no corpo. Drible a insônia
Aromatizar o ambiente com óleo essencial de lavanda ou massagear a base dos pés com duas gotas de óleo de majerona são dicas para ter uma boa noite de sono. Acabe com o estresse
Acrescente cinco gotas de óleo essencial de cedro, três gotas de óleo essencial de alecrim e três gotas de óleo essencial de palmarosa a dois litros de água. O resultado é um detetizador caseiro natural capaz de proporcionar momentos relaxantes.









PUBLICIDADE