Exercícios físicos na terceira idade

A prática de atividades nessa época da vida só trás benefícios

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 18/06/2009

foto especialista
Uninove .

Saúde

A diminuição da taxa de natalidade e o avanço nos serviços de saúde têm levado ao aumento da população idosa no Brasil e, com isso, novas preocupações e questionamentos tem sido feitos acerca das possibilidades para o envelhecimento saudável. É indiscutível que adquirir hábitos salutares, como uma dieta adequada e a prática de exercícios físicos, traz inúmeros benefícios.

Mas, todos os idosos podem realizá-los? E quais são os exercícios mais indicados?

A resposta para essas questões é positiva, ou seja, todos os indivíduos com idade avançada devem praticar a modalidade de exercício físico que melhor se adapte a sua condição física e a sua preferência pessoal.

Vale ressaltar que dentre as vantagens obtidas estão às melhoras da força muscular, do equilíbrio, da flexibilidade, da resistência aeróbica e da composição corpórea, que interferirão positivamente na realização das atividades diárias do idoso. Além disso, o exercício físico é um grande instrumento que pode ser utilizado na manutenção e na melhora da memória, já que pela repetição e dificuldade na realização dos movimentos exigidos, trabalha-se a concentração, a atenção, o raciocínio e o aprendizado motor.

Tem-se observado que os idosos ativos melhoram a sua capacidade cognitiva, porém são poucos os profissionais da saúde que utilizam o exercício físico como um mecanismo de melhoria na memória do idoso. Cabe lembrar que pela prática regular e sistemática do exercício físico, o organismo libera maior concentração de hormônios da hipófise anterior (beta-adrenérgicos), que proporcionam a sensação de prazer e de bem-estar, diminuindo e prevenindo condições depressivas.

Outro aspecto relevante é que, com o envelhecimento, é muito comum que a rede social diminua devido à aposentadoria, ao isolamento social e à perda de amigos e de familiares. Essa condição atualmente é vista como um fator agravante das condições de saúde, pois aumenta o sedentarismo e facilita as doenças emocionais, como a depressão. Participar de grupos de atividade física contribui para o aumento da rede social e do autocuidado, o que permite ao idoso uma nova visão do processo do envelhecimento. A relação entre a imunologia e o exercício físico também é importante.

Com o passar do tempo o sistema imunológico declina, facilitando o surgimento de algumas infecções e da presença do estado pré-inflamatório , devido ao aumento da proteína C reativa e da interleucina.

Idosos praticantes de exercícios físicos apresentam menor incidência de infecções respiratórias e urinárias e, ainda, apresentam uma recuperação mais rápida quando acometidos por alguma afecção.

Além de todos esses benefícios ocorre um efeito interessante na economia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), para cada dólar empregado em programas de atividades físicas para idosos, há uma economia de 4,5 dólares em serviços de saúde. Com tudo isso, cabe aos profissionais da área incrementar os núcleos de prática de exercício físico para os idosos e divulgar todos os benefícios relacionados a essa atividade. Dessa forma, a população idosa será mais ativa e saudável.

Profa. Ms. Fernanda Varkala Lanuez é docente do curso de Fisioterapia da UNINOVE

Guia de Fontes:
A UNINOVE conta com professores, mestres e doutores altamente qualificados que podem ser fontes para suas reportagens. Para saber mais sobre esses profissionais Clique Aqui.

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não