Por que será que todos os médicos dizem que é virose?

Doença é comum por abranger uma série de sintomas sem características próprias

ARTIGO DE ESPECIALISTA - ATUALIZADO EM 27/09/2016

Dr. Yechiel Moises Chencinski
Pediatria - CRM 36349/SP
especialista minha vida

Você não fica com muita raiva quando leva seu filho ao médico e ele vem, mais uma vez, com aquele papinho de virose? E não interessa em que época do ano, que sintomas ele tenha, bastou ir ao pronto socorro, fazer exames, avaliações e lá vem ela de novo: a virose.

Vou te contar uma coisa: esses médicos devem estar com a razão. Em janeiro de 2010, em Mongaguá, na Baixada Santista, houve um surto de cerca de 400 casos com diarréia, vômito e febre, lotando os hospitais da região e exigindo um cuidado maior das autoridades de saúde locais. E adivinhem! Isso mesmo: é virose.

São vários os microorganismos que podem causar doenças nos seres humanos, em qualquer faixa etária. Podemos ter bactérias, fungos, parasitas, mas sem a menor dúvida, mais de 90% dos quadros infecciosos febris - que atingem especialmente a população infantil - são causados pelos vírus.

PUBLICIDADE
"Quadros provocados por vírus que não apresentam uma composição característica, mas que se encaixam em certos padrõs, nós, médicos, damos o nome genérico de viroses"

Todos conhecem algumas das doenças causadas por vírus pelo nome: sarampo, caxumba, rubéola, catapora, raiva, dengue, febre amarela, herpes, HPV, AIDS, hepatite A, B e C, rotavírus, bronquiolite entre outros.

Mas há muitas, muitas, muitas outras que provocam sintomas tanto respiratórios (tosse, coriza, falta de ar), quanto digestivos (diarréia, vômitos) e até bem gerais (febre, falta de apetite, desânimo, prostração), mas que não têm um nome especial, nem um apelido.

Para esses quadros provocados por vírus que não apresentam uma sintomatologia característica, mas que se encaixam nesse perfil através de avaliações epidemiológicas, clínicas, radiológicas e laboratoriais nós, médicos, damos o nome genérico de viroses.

Cada vírus tem sua preferência por alguma parte do nosso organismo. Nas épocas de verão e calor, é mais comum o aparecimento de quadros digestivos (diarreia, vômitos e febre). Já no inverno, os quadros respiratórios aparecem com mais intensidade (tosse, coriza, espirros, respiração cansada, dor de garganta, ouvidos, entre outros).

Agora você deve estar se perguntando: então, como posso saber se meu filho está com virose? Te explico! Existem alguns sintomas que podem nos fazer suspeitar desse quadro, mas é principalmente a evolução e o aparecimento dos quadros mais específicos que poderão garantir o diagnóstico. Mal estar, inapetência (falta de apetite), uma febrícula inicial que pode aumentar muito, alteração de humor, de sono, indisposição são alguns desses sintomas que podem estar presentes em quadros virais.

Mas lembrem-se: o mais importante, nos quadros virais, é a prevenção. Há doenças virais que podem ser prevenidas por vacinas com alto índice de eficácia. Entre elas a poliomielite (Sabin ou Salk), hepatite A e B, sarampo, caxumba e rubéola, febre amarela e mais recentemente o HPV. Não deixe de conversar com seu pediatra ou ir aos postos de saúde para acertar a carteira de vacinação do pequenino. As crianças são as que mais sofrem com os sintomas de virose.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.