publicidade

A importância do contato íntimo na relação sexual

<FONT face=Arial><FONT style="FONT-SIZE: 12px"><EM>Para muitas pessoas&#44; o sexo é resumido apenas em penetração&#44; o que gera uma vida sexual frustrada&#44; empobrecida e com pouco prazer.</EM></FONT></FONT>

Por Especialista - publicado em 21/05/2007


O ponto de partida de toda relação sexual prazerosa é o contato íntimo. Assim, torna-se fundamental conhecer e reconhecer a sexualidade como uma expressão lúdica, em que o prazer é parte essencial.

As expectativas femininas e masculinas do encontro sexual, em geral, não são convergentes e por isso tendem a provocar frustrações individuais ou mútuas. Estudos indicam que 50,9% das mulheres brasileiras sofrem com algum tipo de disfunção sexual e 48% dos homens também. Cada um dos sexos tem a sua visão específica do que é o prazer sexual para si e acaba usando esse referencial pessoal para satisfazer o outro na relação de intimidade.É típico do homem ter o seu prazer mais genitalizado, isto é, focado no pênis. Por isso, ele tende a conduzir as estimulações eróticas direcionadas para essa área partindo logo para a penetração. Já a mulher, em geral tende a preferir estimulações em outras áreas erógenas do corpo antes de ser estimulada diretamente nos genitais.



O homem é mais visual e fica mais à vontade para fantasiar com o sexo. Com isso, conforme ele imagina que pode acontecer um clima de intimidade com sua parceira ou com uma parceira potencial, ele já vai preenchendo o seu "reservatório erótico interno" com intensas motivações sexuais.

A mulher costuma preencher o seu  "reservatório erótico interno" com fantasias mais voltadas para o prazer do encontro, das carícias, dos elogios, mesmo que ela também esteja desejando sexo com o parceiro ou com um parceiro potencial.

Resumindo, os dois podem ter as mesmas intenções, estarem com o mesmo nível de desejo sexual, mas cada um imaginando um caminho diferente para chegar no mesmo ponto. É com esses diferentes significados, e conseqüentemente, com essas diferentes expectativas que ambos se aventuram nessa mesma situação. Se essas diferenças não forem compreendidas e a sintonia erótica não for conquistada, o envolvimento sexual pode se tornar problemático.



Os principais fatores que costumam estar na raiz das disfunções sexuais são: falta de intimidade, falha na comunicação a dois, necessidade de agradar o parceiro ou parceira e medo de falhar.

O que fazer
É importante lidar com a situação com muita criatividade na relação a dois. O


homem pode começar a valorizar um pouco mais o potencial erógeno que o seu corpo tem e a mulher centralizar um pouco mais as suas sensações eróticas nos seus genitais. Assim, ambos poderão aumentar as sensações agradáveis das preliminares e extrair muito mais prazer de um encontro íntimo.

O que você costuma fazer quando o seu parceiro (a) não está muito a vontade na cama?





Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X